Apenas dois são indiciados por divulgar vídeo de Cristiano Araújo

Polícia vai ouvir Leandro Martins, suspeito de publicar imagens na web. Márcia Louzada, que aparece nas imagens, mandou imagens pra ele

Clínica demitiu funcionários que aparecem em vídeo |Foto: Reprodução/Site Clínica Oeste

Clínica demitiu funcionários que aparecem em vídeo |Foto: Reprodução/Site Clínica Oeste

Apenas os dois funcionários da Clínica Oeste que aparecem no vídeo que mostra o corpo do cantor sertanejo Cristiano Araújo sendo embalsamado foram indiciados pela Polícia Civil, na noite de quinta-feira (26/6). Márcia Valéria dos Santos Louzada e o técnico de tanatopraxia Marco Antônio Ramos são alvos da investigação. Nenhum deles foi preso, mas responderão criminalmente por vilipêndio de cadáver.

Márcia foi apontada como aluna do curso de Enfermagem da Universidade Federal de Goiás (UFG) pelo delegado Eli de Oliveira. No entanto, a assessoria da instituição entrou em contato com o Jornal Opção Online e garantiu que ela não faz parte do corpo discente da UFG.

O terceiro investigado é Leandro Almeida Martins, que seria colega de faculdade de Márcia. Seria ele o responsável por compartilhar as imagens nas redes sociais. Por isso, será ouvido pelo delegado Eli de Oliveira, titular do 4º Distrito Policial, no Setor Bueno, ainda nesta tarde. “Há a possibilidade de, ainda hoje, que uma terceira pessoa seja indiciada”, afirmou o investigador. Ele complementa dizendo que o inquérito policial foi instalado e que está praticamente concluído.

Em depoimento à polícia, Márcia afirmou que enviou as imagens ao colega pelo WhatsApp. A estudante não imaginava que o conteúdo seria reproduzido e que causariam tanta repercussão. “Toda a vida trabalhei com isso e sabia do erro. Foi um ato impensável”, teria dito ela. Em um trecho do vídeo, Márcia diz a Marco “dá um tchauzinho”.

Na noite de quinta-feira (25), a Clínica Oeste divulgou nota informando que tomou as providências legais para efetuar as demissões por justa causa e confirmou que o vídeo foi gravado pelos dois funcionários (veja texto abaixo).

Na manhã de hoje, o Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (Cremego) que vai investigar a divulgação de imagens do preparo do corpo do cantor Cristiano Araújo nas redes sociais “por se tratar de um ato médico”.

Boatos do IML

Ainda na noite de ontem a Secretaria da Segurança Pública e Administração Penitenciária (SSP) confirmou de que as imagens gravadas não foram gravadas por servidores no Instituto Médico Legal (IML), conforme boatos. As investigações apontam que o local pode ser a sala de um estabelecimento de preparação de corpos para velório e sepultamento e as pessoas que aparecem, funcionários da empresa.

Em nota, a Polícia Civil disse que as pessoas que participaram do ato criminoso podem ser condenadas à pena de um a três anos por vilipêndio a cadáver.

O resultado das investigações será encaminhado para o Poder Judiciário, segundo a corporação.

“Ótimos funcionários”

O Jornal Opção Online conseguiu contato um familiar de uma sócia da Clínica Oeste, nesta sexta-feira. A fonte relata que o estabelecimento contratou equipe de assessoria de imprensa para auxiliar no caso.

“Ela disse que não tem cabeça para falar, está assustada. Parte da família [da sócia] ainda não sabe do caso. Os dois [Márcia e Marco] eram ótimos profissionais”, relatou o parente.

Nota emitida pela Clínica Oeste:

Em virtude dos últimos acontecimentos envolvendo a divulgação de imagens do corpo do cantor Cristiano Araújo, a Clínica Oeste vem a público informar que repudia com veemência o ato dos dois funcionários que, de maneira mórbida, gravaram e divulgaram tais imagens.

A clínica tem como procedimento orientar sua equipe que, inclusive, assina regulamento interno de trabalho e Ordem de Serviço de Segurança e Medicina do Trabalho individual para cada caso, documentos estes que proíbem que toda e qualquer etapa do trabalho desenvolvido na empresa seja gravado, fotografado e, principalmente, divulgado.

Diante do erro cometido por dois funcionários de seu quadro profissional, a clínica informa que não é conivente com este tipo de conduta e que já tomou as providências legais para efetuar as demissões por justa causa.

A Clínica Oeste existe há quatro anos e reitera seu compromisso com a ética, a transparência, o zelo pela prestação do serviço e o respeito às famílias, e se solidariza com todos os que, como ela, repudiam tal ato.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.