Para vereador, troca de secretários por Rogério Cruz é normal “dentro de uma disputa de poder”

Em entrevista ao Jornal Opção, o vereador Mauro Rubem (PT) comentou a troca de Andrey Azeredo da Secretaria de Governo da Prefeitura de Goiânia por Arthur Bernardes, na última terça-feira, 16.

Segundo o parlamentar, ele vê com certa normalidade a possível troca do secretariado de Rogério Cruz “dentro de uma disputa de poder”.

“Avalio a saída do Andrey como uma mudança muito arriscada. Ele conhece os vereadores. Conhece bem Goiânia”, pontuou o petista. “Acho um prejuízo para a gestão dele [Rogério Cruz].”

Saúde

No entanto, a troca prevista de diversos secretários do prefeito Rogério Cruz foi protelada sob justificativa do momento delicado que Goiânia vive na Saúde, com o crescimento exponencial dos casos e óbitos por Covid-19.

“Estamos iniciando o aprofundamento do colapso. Esse buraco não tem fundo”, avaliou Mauro Rubem.

“Estamos vivendo uma tragédia que tem uma base ideológica que a alimenta o próprio viés conservador”, apontou o parlamentar fazendo referência ao negacionismo do presidente Jair Bolsonaro, que se opõe às medidas de enfrentamento da pandemia, como o isolamento social, uso de máscara e, anteriormente, à vacina.

“Se o prefeito ir nesse caminho é muito ruim”, observou. “Ele [Rogério] não apontou que estaria seguindo essa cartilha radical da Igreja Universal. Então é um bom sinal.”

Estatuto do Servidor

Presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT) antes de Bia de Lima, Mauro Rubem tem como uma de suas principais pautas os direitos dos trabalhadores.

Na entrevista, ele também opinou sobre a reformulação de direitos dos servidores municipais aprovadas na Câmara em dezembro do ano passado. “Houve uma atitude extremamente ruim contra os servidores a retirada de correção de salário. Fim do quinquênios. Acabou. Isso é uma tragédia”, lamentou o parlamentar.

Apesar da pauta polêmica já ter passado na Casa, ele garante que não desistiu e vai continuar a luta para retomar os direitos perdidos.

“Não aceitamos. O prefeito sinalizou que voltará. Naquelas mudanças do ano passado deu um golpe muito duro. Equipe saúde está estafada. Os salários muito baixos. Essa questão a gente tem que ir em cima”, afirmou.