Antes apoiador de Gustavo Mendanha, Ênio Salviano pode fechar com José Eliton

Ex-presidente da Fundação Ulysses Guimarães em Goiás chegou a declarar apoio ao ex-prefeito de Aparecida de Goiânia e era um dos maiores entusiastas de candidatura própria no MDB

Ênio Salviano e José Eliton podem caminhar juntos nas eleições deste ano | Foto: Reprodução

Um dos principais defensores da candidatura de Gustavo Mendanha (Patriota) ao Governo de Goiás, à época pelo MDB, o advogado Ênio Salviano não deve caminhar com o ex-prefeito de Aparecida de Goiânia. A baixa em mais um potencial apoiador de Mendanha foi sinalizada nesta segunda-feira, 09, quando o ex-presidente da Fundação Ulysses Guimarães em Goiás, seccional da instituição do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), esteve reunido com José Eliton (PSB), ex-governador do Estado que tentar articular a volta ao Palácio das Esmeraldas e com apoio de partidos progressistas.

De acordo com José Eliton, Ênio está disposto a “contribuir com a formação do plano da frente ampla em favor de Goiás e do Brasil”. Essa aliança seria composta por partidos como PT, que resiste à ideia e mantém colocado o nome do ex-reitor da Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO), Wolmir Amado; PCdoB; e PV, cujo diretório regional defende apoio à reeleição do governador Ronaldo Caiado (UB). As três siglas devem federar. Para o ex-governador tucano, Ênio é uma “referência em planejamento” e tem visão ampla dos desafios e potencialidades de Goiás. “[Tivemos] um excelente diálogo, onde analisamos o Estado a partir da premissa de urbanização de Goiás, formação do PIB com relevo em serviços e comércio, geração de empregos e demanda dos centros uranos”, narra

Antes de se aproximar de José Eliton, Salviano chegou a declara apoio a Gustavo Mendanha. “O MDB está preparado para governar Goiás e o prefeito da segunda maior cidade do estado tem todas as condições de ser o sucessor dos ex-governadores emedebistas Mauro Borges, Henrique Santillo, Iris Rezende e Maguito Vilela”, falou, na época em que o partido dialogava sobre compor ou não com Caiado.

Ele deixou a sigla depois que o MDB fechou aliança com o governador e indicou Daniel Vilela, presidente do diretório goiano, para a vice. No entanto, com a consolidação da pré-candidatura de Mendanha ao Governo pelo Patriota, a expectativa era de que o advogado mantivesse o apoio ao ex-correligionário.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.