Ana Carla Abrão diz que programa “espanta” crise de Goiás

Durante evento que lançou projeto, secretária da Fazenda disse que iniciativa gera renda para o Estado. Anúncio foi feito a empresários e comerciantes

Ana Carla Abrão ao lado do presidente da Fecomércio, José Evaristo | Foto: Divulgação

Ana Carla Abrão ao lado do presidente da Fecomércio, José Evaristo | Foto: Divulgação

A secretária da Fazenda do Estado de Goiás, Ana Carla Abrão, apresentou a Nota Fiscal Goiana aos comerciantes goianos na manhã desta segunda-feira (27/4), em evento realizado na Federação do Comércio do Estado de Goiás (Fecomércio).

O governo do Estado tem se empenhado na divulgação do projeto, que foi lançado em dezembro de 2014, mas parece estar começando a “engrenar” somente agora. Propagandas televisivas e radiofônicas começaram a rodar na semana passada e a secretária anunciou que em breve outdoors e busdoors começarão a aparecer pelo Estado também, além da distribuição de material de divulgação para lojistas.

“A grande motivação da Nota Fiscal Goiana é criar o hábito de pedir a nota fiscal a cada compra, porque, afinal de contas, o imposto já está inserido no preço, mas isso garante que esse imposto virá para os cofres do Tesouro e se reverterá em benefícios para a sociedade”, afirmou Ana Carla.

A secretária também falou sobre o programa como uma forma de incentivar o consumo, o que pode “espantar” a crise financeira no Estado. “Em um momento de queda de vendas, essa é também é uma ação que motiva as pessoas a continuarem comprando e, portanto, gerando renda e riqueza para o Estado”, disse.

Helenir Queiroz, presidente da Associação Comercial, Industrial e de Serviços do Estado de Goiás (Acieg), ressaltou a importância do engajamento dos comerciantes no projeto. “O fato dos consumidores pedirem a nota requer uma forte adesão dos lojistas. É muito fácil as pessoas esquecerem de pedir para colocar o CPF na nota, mas, quando os lojistas treinam seus funcionários, essa adesão é muito mais rápida”, afirmou.

A presidente da Acieg apontou ainda o valor da Nota Fiscal Goiana para o comércio: “O projeto dá mais uniformidade ao comércio, ou seja, quem tem um preço melhor por não emitir nota, que é uma competição desleal, perde essa vantagem. Isso torna o mercado mais uniforme”.

O presidente da Fecomércio, José Evaristo dos Santos, brincou durante sua fala que os consumidores vão gostar da Nota Fiscal Goiana, porque “o brasileiro, de modo geral, gosta de um ‘joguinho'”, disse, se referindo aos sorteios. Ele destacou ainda que não há custo nenhum ao empresário e que os prêmios são por conta da secretaria.

Primeiro sorteio

Durante coletiva de imprensa que antecipou o evento, a secretária anunciou que o primeiro sorteio do programa será no dia 29 de maio. Para concorrer, o consumidor deve se cadastrar no site da secretaria de Fazenda e pedir a inclusão do CPF nas notas fiscais de suas compras. O primeiro prêmio será de R$ 200 mil.

Cada real em compras corresponde a um ponto e, a partir de cem pontos acumulados, o consumidor passa a concorrer automaticamente no sorteio. É possível acompanhar a pontuação e as notas fiscais através do site da secretaria. Além dos prêmios, será possível, a partir de 2016, usar a pontuação da Nota Fiscal Goiana para abater no Imposto sobre a Propriedade de Veículos Automotores (IPVA).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.