Alunos de agronomia da UFG causam polêmica ao pedir “menos amor e mais agrotóxico”

Camisetas são vendidas a R$ 35 e exaltam o Glifosato, poderoso herbicida apontado como cancerígeno

Alunos posam com a polêmica camiseta | Foto: reprodução

Uma foto postada nas redes sociais da Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Produção Agropecuária (Emater) causou polêmica nesta semana após sites especializados condenarem a atitude de alunos do curso de agronomia da Universidade Federal de Goiás (UFG).

Como é possível ver abaixo, a imagem mostra os estudantes com camisetas com os dizeres “- amor + Glifosato por favor” (agrotóxico mais usado no mundo e considerado como cancerígeno), durante um evento na universidade sobre processamento de soja para alimentação humana.

Foto: reprodução/ Ambiente do Meio (clique na imagem para ampliar)

Poderoso herbicida não-seletivo, ou seja, que mata a maioria das plantas, o Glifosato é a base do famoso “Roundup”, amplamente utilizado nas lavouras e com comercialização liberada para qualquer pessoa. Acusado de ser cancerígeno e causador do desaparecimento das abelhas, é produzido pela Monsanto (multinacional norte-americana).

A matéria com a foto foi postada originalmente no dia 12 de junho, mas foi só na última segunda-feira (10/7), que o site “De Olho nos Ruralistas” publicou uma crítica à atitude dos jovens.

Nesta terça-feira (11), o conteúdo já havia sido retirado do site e das redes sociais da Emater, que, inclusive, emitiu uma nota de esclarecimento, por meio da qual alega que não incentiva o uso da controversa camiseta, mas respeita a liberdade de expressão.

Veja abaixo:

“Tendo em vista a repercussão da foto que retrata participantes da palestra Soja na Alimentação Humana realizada durante a Agro Centro-Oeste Familiar (ACOF), a Agência Goiana de Assistência Técnica, Extensão Rural e Pesquisa Agropecuária (Emater) esclarece que:

  • Nem a Emater, nem a Universidade Federal de Goiás (UFG), nem a organização da ACOF têm qualquer ligação com a produção ou o incentivo ao uso da camiseta em que constam os dizeres “- Amor + Glifosato, por favor”, usada por estudantes retratados na referida imagem.
  • A Emater respeita o direito à liberdade de expressão, garantido pela Constituição Federal e, por isso, não realizou qualquer tipo de censura relacionada ao uso da camiseta entre os participantes da palestra.
  • A Agência reconhece, colabora e incentiva toda e qualquer prática sustentável de produção agropecuária apoiada em procedimentos seguros e ambientalmente corretos, afiançados pela legislação vigente.”

Emater

Já a Universidade Federal de Goiás (UFG) afirmou, também por meio de nota, que não tem qualquer ligação com a produção ou o uso da camiseta usada pelos estudantes.

Sobre a foto que retrata participantes da palestra “Soja na Alimentação Humana” realizada durante a Agro Centro-Oeste Familiar (ACOF), a UFG informa que nem ela, nem a organização do evento têm qualquer ligação com a produção ou o uso da camiseta usada pelos estudantes e que defende o uso de práticas sustentáveis de produção, de acordo com a legislação vigente.

Ascom da Universidade Federal de Goiás

“Peça já a sua”

Foto: reprodução/ Ambiente do Meio (clique na imagem para ampliar)

Nas redes sociais, a Atlética de Agronomia da UFG comercializa a camiseta que pede menos amor e mais agrotóxicos por R$ 35. O post, que foi obtido pelo site “Ambiente do Meio”, mostra a propaganda no Instagram.

1 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
2 Comment authors

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Felipe Neves

Vocês “jornalistas” deveriam no mínimo pesquisar contexto antes de publicarem reportagens tendenciosas assim. No âmbito da UFG, existem diversas associações atléticas dos cursos, essas associações funcionam de forma a aumentar a interação com o aluno, através de festas, e principalmente de esportes, todo ano, temos um campeonato entre os cursos da UFG, em que se disputam modalidades como atletismo, natação, futebol society, futsal, handbol, basquete, volei, rugby, dentre outros. Cada atlética criou uma bebida (normalmente suco com vodka) e a batiza com nomes derivados de algo relacionado ao curso, como é o caso do fluor que é a bebida batizada… Leia mais

Bianca

Mesmo que for uma bebida alcoólica e não o agrotóxico em si, é mais das coisas que alimentam a cultura do estupro, do tipo “mais cachaça , mais bebedeira mais gente sem noção e menos amor” ´e ruim de todo jeito, todo dia é um agrônomo passando vergonha :/