Aluno que denunciou suposto estupro diz que não mentiu e que tem nova testemunha

Daniel Júnior está em viagem e, por mensagem, reconhece que virou a câmera, mas que fato nada tem a ver com o que aconteceu 

O estudante Daniel Júnior afirmou ao Jornal Opção que não mentiu sobre o suposto caso de estupro que teria acontecido na Faculdade de Informação e Comunicação da Universidade Federal de Goiás (UFG) no último dia 14 de junho.

Por meio de mensagem, ele informou que está viajando e que só se pronunciará oficialmente após se reunir com seus advogados. “O que eu posso dizer agora é que eu não menti em momento algum”, escreveu ele.

Em uma mensagem de voz que está circulando no WhatsApp, Daniel Júnior reconhece que virou a câmera de segurança — como mostram as imagens divulgadas pela delegada Ana Elisa Gomes, da Delegacia da Mulher nesta sexta-feira (17/6) –, mas nega que tal ato tenha algo a ver com a denúncia.

“Estava todo mundo da Dacom [Diretório Acadêmico de Comunicação da UFG] lá, eu virei, mas tipo não tem nenhuma relação, foi há três semanas, não sei quanto tempo antes”, disse. Ele revela, ainda, que há outra pessoa que presenciou o caso: “Tenho uma outra testemunha que eu não contei e ela está indo agora na Deam [Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher] prestar depoimento, ele viu a menina e tudo mais.”

No áudio, Daniel Júnior pede que colegas da UFG procurem pessoas que estavam na agência júnior de comunicação da universidade, a Ponto Comunicação — que também teriam ouvido os gritos e pedidos de socorro.

Desde que a delegada desmentiu a versão de estupro, o estudante tem sofrido críticas e até ameaça nas redes sociais. Ainda na manhã desta sexta (17), Daniel apagou seu perfil no Facebook após sofrer ameaças.

Deixe um comentário