Ala do PSDB considera nome de Marconi Perillo para 2018, diz jornal

Tucanos estão divididos quanto à permanência no governo Temer. Nome do governador de Goiás também já foi ventilado para presidência do partido

A votação da denúncia contra o presidente Michel Temer na última quarta-feira (2/8), na Câmara dos Deputados, escancarou a divergência entre as alas do PSDB que são contra e a favor da permanência do partido no governo Temer.

Segundo publicação desta quinta-feira (3/8) da coluna Painel, do jornal Folha de S. Paulo, a ala que é contra o desembarque começa movimento para esvaziar a pré-candidatura à presidência da República do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e já ventila outros nomes possíveis, entre eles, o do governador de Goiás.

Foi do líder paulista a articulação para que a bancada do partido na Casa encaminhasse voto pelo prosseguimento da denúncia contra Michel Temer. Alckmin defende que o PSDB deixe os quatro ministérios que hoje ocupa e saia da base do governo, sem deixar de apoiar as reformas.

Dos 47 parlamentares tucanos, 21 votaram a favor do presidente e contra a denúncia, 22 votaram para que o presidente fosse investigado e quatro se ausentaram da votação.

A projeção nacional de Marconi Perillo dentro do PSDB levou à cogitação de seu nome para a presidência do partido, hoje comandado de forma interina pelo senador Tasso Jereissati (CE), mas o governador afastou a possibilidade enquanto estiver à frente do Executivo estadual.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.