AGU aperfeiçoa Sistema de Inteligência Jurídica e lança programa Sapiens 2.0

Aprimorado, instrumento utilizado pela instituição para produzir conteúdo jurídico e gerir fluxos processuais e administrativos passará a ser utilizado por procuradorias estaduais e municipais

Foto: Anafe

O Comitê de Governança da Advocacia-Geral da União (AGU) aprovou o projeto de implantação do Sapiens 2.0, que traz novos e avançados recursos de apoio à produção de conteúdo jurídico. O sistema oferece um preciso controle de fluxos administrativos e processuais para os mais de 100 mil usuários do sistema.

O Sapiens 2.0 será implantado ao longo do primeiro semestre de 2021 e se tornará a plataforma tecnológica utilizada por toda a advocacia pública brasileira.

Dezenove estados e 15 capitais já celebraram acordos de cooperação técnica com a AGU para utilizar o Sapiens 2.0 em suas procuradorias, o que criará uma comunidade nacional de desenvolvimento, reduzindo custos e aumentando a satisfação do público usuário.

Innovare

Criado em 2013, o Sistema AGU de Inteligência Jurídica vem buscando simplificar as rotinas de trabalho e auxiliar, com suas ferramentas de inteligência artificial, o processo de tomada de decisão e a elaboração dos mais diversos documentos jurídicos e administrativos.

A implantação do Sapiens 2.0 acontece no momento em que a versão atual do sistema recebe o reconhecimento nacional por sua contribuição ao aprimoramento da Justiça no Brasil.

O projeto foi o grande vencedor da 17ª Edição do Prêmio Innovare, disputando com outras 106 iniciativas de todo o País na categoria Advocacia. A cerimônia de premiação foi realizada na última terça-feira, 1°, em Brasília.

Avanços

Um dos principais avanços do Sapiens 2.0 é sua nova e moderna interface, que facilita o controle de demandas, a pesquisa e a obtenção das informações.

Criada de acordo com os conceitos de Material Design do Google, essa interface foi construída com base na experiência do usuário, atuando de maneira intuitiva e focada na simplicidade.

A lógica é muito parecida com os leitores de e-mail, mas em vez de receber e-mails, o usuário recebe tarefas. A partir daí, é possível agrupá-las e fazer as movimentações em bloco, de acordo com a semelhança das demandas. Também é possível criar pastas, arrastar, soltar e filtrar os processos.

Além da nova interface focada na simplicidade, o Sapiens 2.0 possui total suporte para utilização em smartphones, tablets, notebooks e desktops com duas telas, e é compatível com todos os sistemas operacionais, inclusive iOS e Android.

Praticidade

O Sapiens 2.0 também oferece mais praticidade ao permitir que a assinatura dos documentos seja feita por simples registro de usuário e senha.

Com isso, é possível receber as tarefas, lançar atividades e, em alguns casos, fazer o peticionamento eletrônico junto ao Poder Judiciário sem a necessidade do uso do token. O certificado em nuvem possibilita, ainda, que a assinatura digital seja feita utilizando o próprio smartphone, inclusive através de biometria.

Velocidade

Segundo a AGU, o Sapiens 2.0 é 70% mais rápido do que a versão anterior. Suas listas de carregamento infinito permitem um fluxo contínuo de operações, sem muitas telas ou idas e vindas para executar as tarefas, simplificando o trabalho dos usuários.

O instrumento reúne diferentes soluções de inteligência artificial, trazendo novos algoritmos de compreensão da linguagem que visam melhorar a qualidade das sugestões feitas pelo sistema.

Além disso, por meio de etiquetas inteligentes, o Sapiens 2.0 permite que os usuários cadastrem regras para que o sistema etiquete automaticamente suas tarefas e defina as ações para automatizar o trabalho, contribuindo para o aperfeiçoamento do processo de triagem.

Integração

Focado na integração com os sistemas informatizados do Poder Judiciário e do Poder Executivo, o Sapiens 2.0 é fruto de uma construção coletiva que conta com o envolvimento de colaboradores dos mais diferentes órgãos da AGU. A evolução do sistema levou em conta também inúmeras demandas recebidas dos próprios usuários.

Treinamento

Para que o Sapiens 2.0 possa ser implantado ao longo do primeiro semestre de 2021, a Advocacia-Geral da União, por meio da Escola da AGU, está elaborando um treinamento completo para capacitar os usuários a utilizarem a nova versão do sistema. Os conteúdos contam com a colaboração de representantes dos órgãos que atuam em áreas finalísticas e em atividades meio.

Desenvolvidas de acordo com o perfil de cada usuário, as capacitações serão divididas em módulos e realizadas totalmente à distância, pela plataforma Moodle. O colaborador assistirá a um conjunto de vídeo-aulas e depois poderá usar o ambiente de homologação para treinar as suas habilidades. Ao todo, serão seis módulos de treinamento: Administrativo, Consultivo, Judicial, Disciplinar, Cálculos e Dívida Ativa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.