Aeroporto de Goiânia adere à greve geral e deve parar na sexta-feira (28)

Sindicatos confirmaram ao Jornal Opção que trabalhadores em Goiás apoiam movimento nacional contra reformas de Temer

Aeroporto Santa Genoveva | Foto: Renan Accioly / Jornal Opção

Os sindicatos que representam os profissionais que trabalham no Aeroporto de Goiânia confirmaram ao Jornal Opção que, tanto os aeroviários (funcionários de companhias aéreas em solo) bem como os aeroportuários (que trabalham para a Infraero), vão aderir à greve geral marcada para esta sexta-feira (28/4).

Com isso, os voos e serviços no terminal Santa Genoveva devem ficar prejudicados já a partir da manhã. Apesar de não confirmado ainda, a expectativa é que, em todo o Brasil, os aeronautas (pilotos e comissários de bordo) também paralisem as atividades.

O Sindicato Nacional dos Aeroportuários informou que apoia “totalmente” a paralisação e tem instruído os trabalhadores a se unirem ao movimento, “desde que sem violência”. Já o Sindicato Nacional dos Aeroviários explicou que a adesão à greve geral se estenderá a todos os aeroportos em que tem base: Goiânia é um deles e apenas os concedidos à iniciativa privada ficaram de fora (Guarulhos, Porto Alegre, Recife e Manaus). Já o Sindicato Nacional dos Aeronautas se reúne nesta quinta-feira (27) à tarde para definir sobre a greve geral.

A assessoria de imprensa da Infraero disse ao Jornal Opção que não há posicionamento quanto à paralisação e o aeroporto irá funcionar “normalmente”.

A greve geral o é organizada pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) e pelas frentes de esquerda Brasil Popular e Povo Sem Medo, que têm participação de diversos movimentos sociais. O objetivo é se manifestar contra as reformas da Previdência e Trabalhista, em discussão no Congresso Nacional.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.