Segundo defesa, decisão do Tribunal de Justiça da Bahia, foi tomada “por conta da questão psicológica das crianças”. Goleiro foi preso, nos Estados Unidos, após ser acusado de agredir à esposa, Milena Bemfica que segue com a guarda dos filhos

Foto: Reprodução

O Poder Judiciário, por meio do Tribunal de Justiça do Estado da Bahia, decidiu aumentar o valor da pensão paga pelo jogador Jean Paulo Fernandes, goleiro do Atlético Goianiense, à ex-esposa, Milena Steffen Bemfica. Ela segue com a guarda das duas filhas após o jogador ter sido preso e enfrentar um processo, nos Estados Unidos, acusado de agredir a mulher durante uma viagem em família.

No entanto, apesar da decisão da Justiça, a defesa de Milena acusa o Atlético Goianiense de desobedecer a sentença. Haja vista que, neste caso, o clube é o responsável por realizar o desconto e depositar os valores na conta indicada pelas alimentadas.

Em entrevista ao Jornal Opção, o advogado de Milena, Gabriel Bonfim, lembra que no dia 15 de janeiro foi estabelecido contato com o clube para informá-los sobre a decisão que havia sido proferida pelo magistrado. “Mas nesse intervalo de tempo o desembargador aumentou em mais de 50% o valor da pensão por conta da questão psicológica das crianças”, argumentou o jurista.

Em seguida, ele relata ter entrado, mais uma vez, em contato com o clube. “Enviamos uma mensagem para o e-mail do time e não tivemos respostas. Depois de ligar insistentemente é que conseguimos falar com uma das pessoas da diretoria que nos orientou a mandar um novo e-mail para o RH do clube. Então, novamente, submeti o pedido ao crivo do Atlético, mostrando que a Justiça aumentou a pensão e determinou cumprimento imediato ainda no mês vigente”.

Segundo Bonfim, o time, mais uma vez, não o respondeu e, chegado o dia 6 – data prevista para o recebimento – os valores não foram descontados do salário do atleta. “Ligamos para o time para entender o que estava acontecendo e enviamos, desta vez, o ofício que determina que os descontos sejam realizados”. “O time não pode se negar a responder o Poder Judiciário nem deixar de realizar esses descontos. Estão incorrendo no crime de descumprimento judicial previsto no Código Penal”, pontuou.

A assessoria de comunicação social do Atlético Goianiense foi procurada pela reportagem haja vista que o time, e não o jogador, é responsável pelo desconto e repasse da quantia. No entanto, foi declarado que o Atlético “não vai se pronunciar” sobre a questão. Por fim, o informe acrescenta que o clube “está ciente, acompanha a situação e está legal perante o caso citado”.

Rompendo o silêncio

Goleiro Jean e ex-mulher Milena Bemfica / Foto: Reprodução

Recentemente, o goleiro falou sobre o episódio durante um coletiva de imprensa. Na ocasião ele argumentou que “toda história tem dois lados”. E completou: “Não estou aqui dizendo que por isso eu estou certo em agredir. Foi uma reação que tive e que nunca tinha tido antes na minha vida. Eu não sou um menino agressor, sou um cara de coração bom. Quem me conhece a mais tempo sabe de toda minha história e se surpreendeu com o que aconteceu”, disse o jogador.

Requerimento

Senador Luiz do Carmo | foto: Reprodução

Em janeiro deste ano, acompanhado da presidente da Comissão da Mulher Advogada, da OAB-GO, Ariana Garcia, e da presidente da Associação Brasileira das Mulheres de Carreira Jurídica Comissão Goiás (ABMCJ), Larissa Bareato, o senador Luiz do Carmo (MDB) apresentou um requerimento de abertura de inquérito policial contra o jogador Jean Paulo Fernandes Filho na Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher (DEAM).

“A violência contra mulher está muito grande. Tem que deixar bem claro que o jogador não deve perder o emprego, mas tem que responder pelo crime que cometeu. Ele é uma figura pública. Se ninguém fizer essa denúncia, fica muito fácil. Qualquer homem pode falar ‘olha, o jogador fez e não aconteceu nada’. Então é preciso denunciar para ver se reduz a violência contra mulher”, justificou o senador.