Agressor de Silvye pagou fiança de R$ 11 mil, confirma advogada de vítima

“Não é que ele foi declarado impune. Ele vai responder ao processo, mas não é um exemplo que deveria ser dado por uma pessoa que preside a vara de violência contra a mulher. Mas eu aprendi que com decisão não se discute, se recorre, e é o que vou fazer”, afirmou Darlene Liberato

Empresário Ricardo Hilgenstieler sendo encaminhado à DEAM e a jornalista Silvye Alves | Foto: Reprodução

Advogada da apresentadora Silvye Alves, Darlene Liberato, diz que irá recorrer da decisão que arbitrou a fiança do empresário Ricardo Hilgenstieler, preso em flagrante por agressão à jornalista. A decisão foi concedida na manhã desta terça-feira, 22, pelo juiz o juiz Vanderlei Caires Pinheiro, do Juizado da Violência contra a Mulher.

“Ele foi solto. Ficou preso por 28 horas, pagou fiança no valor de R$ 11 mil e foi solto por volta das onze horas da manhã”, detalhou a advogada. Ao Jornal Opção, ela ainda explicou que, diferente do procedimento padrão das prisões em flagrante, não houve audiência de custódia para que a decisão fosse tomada. Assim, a decisão do juiz foi direta e se baseou na vida pregressa do acusado: réu primário, com bons antecedentes, residência fixa, entre outros aspectos considerados.

Para a advogada, que analisa o caso com tristeza, essa situação “deveria servir de exemplo para que outros homens não agridam as mulheres e saiam com o sentimento de impunidade”. “Não é que ele foi declarado impune. Ele vai responder ao processo, mas não é um exemplo que deveria ser dado por uma pessoa que preside a vara de violência contra a mulher. O Brasil é o país com um dos maiores índices de feminicídio no mundo”, afirma.

No entanto, apesar de discordar da decisão, Darlene é clara. Para ela, o juiz, em sua decisão, foi puramente legalista. “Ele seguiu o que a lei diz e analisou a parte técnica. Mas eu aprendi que com decisão não se discute, se recorre, e é o que vou fazer”, afirmou. A advogada ainda ressalta que para que fatos como esse não retornem a acontecer, é preciso urgentemente fazer uma avaliação das penalidades legais brasileiras.

“As fianças, nos Estados Unidos, por exemplo, são milionárias. Nem se a pessoa vender a casa dela ela consegue pagar. No caso da Silvye, não falo que houve impunidade, mas falo de inconformismo. Ela está muito abalada psicologicamente e essa é uma marca muito difícil de sair da vida da pessoa”, pontua Darlene.

Após o pagamento da fiança, o empresário pôde retornar à Santa Catarina. Ricardo, no entanto, pela medida protetiva que Silvye tem contra ele, não pode tentar entrar em contato com ela ou com seus familiares por quaisquer meios.

O caso de agressão ocorreu na madrugada desta segunda, quando o suspeito teria invadido o prédio da apresentadora e desferido tapas, chutes e socos no rosto dela, na frente do filho de 11 anos da jornalista. Após o episódio, policiais se deslocaram ao aeroporto e identificaram Ricardo Hilgenstieler, que foi preso enquanto tentava embarcar em um vôo, no Aeroporto Santa Genoveva. Junto com Ricardo, que é de Santa Catarina, foram encontrados uma mochila, uma mala com pertences pessoais e uma quantia de R$ 308, além de um Iphone e uma nota de um dólar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.