Adufg pede explicações ao ministro Abraham Weintraub sobre “plantações ostensivas de maconha”

Ministro da Educação disse recentemente que universidades plantariam a droga e desenvolvem laboratório de entorpecentes, no entanto, não apresentou provas

Ministro Weintraub | Foto: Reprodução

O Sindicato dos Docentes das Universidades Federais de Goiás (Adufg) interpelou judicialmente o ministro da Educação, Abraham Weintraub, junto ao Supremo Tribunal Federal. A entidade quer explicações do titular da pasta sobre declaração dada a um jornal em que disse que as universidades têm “plantações ostensivas de maconha”.

A Adufg questionou quais universidades o ministro se referia quando afirmou que possuem “plantações extensivas de maconha” e quais universidades estão “desenvolvendo laboratório de droga sintética”. A entidade pede explicações também sobre como o ministro tomou ciência dos fatos alegou e quais medidas o gestor adotou após a ciência.

De acordo com a argumentação da assessoria jurídica da entidade, as declarações do ministro ferem a autonomia universitária, bem como a honra e moral coletiva dos professores (as) de todas as Universidades e Institutos Federais do Brasil. Por isso, pede “uma retratação de Weintraub”. A entidade ainda prepara uma ação reparatória pelos danos morais causados.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.