Adolescentes que tentaram matar amiga em Trindade ficarão três anos internadas

Crime que chocou todo o País no início de outubro teve seu desfecho nesta semana

Divulgação

Divulgação

As quatro adolescentes que torturaram e planejaram o assassinato de uma amiga no município de Trindade terão que cumprir, como medida socioeducativa, três anos de internação. A sentença é da juíza Karine Unes Spineli Bastos, da 1ª Vara Cível, da Infância e da Juventude da comarca, proferida na segunda-feira (31/10).

O crime bárbaro, que teve repercussão nacional, ocorreu no último dia 29 de setembro. Motivadas por ciúmes, as quatro meninas, entre 13 e 16 anos, organizaram e executaram uma verdadeira sessão de tortura contra a outra jovem, de apenas 14 anos. As menores chegaram a cavar uma cova no fundo da residência de uma delas para enterrar o corpo da vítima, que conseguiu pular o muro e fugir.

Usando o pretexto de uma falsa festa, as adolescentes atraíram a jovem até a casa de uma delas, dando início às agressões. As menores usaram um martelo, pedaços de pau e até um facão para torturar a vítima, que teve dez cortes na cabeça e três nas costas. A jovem chegou a ter o aparelho dentário retirado à força de sua boca por uma faca.

Em depoimento prestado à polícia, uma das adolescentes envolvidas confirmou a intenção de matar a menor, ao falar que, inicialmente, planejou cortar a cabeça da colega. Perguntada se havia se arrependido, a menina disse que sim, apenas por causa da preocupação que havia causado em sua mãe, mas não em relação ao que causou à vítima, apesar “dela ter ficado muito feia com as agressões, preferia que estivesse morta”.

Defesa

A defesa de duas das agressoras pediram à Justiça desclassificação do ato análogo a homicídio para ato análogo à lesão corporal grave. Os advogados alegaram, ainda, que as meninas teriam deixado, propositalmente, a vítima fugir.

Contudo, a juíza não acatou o pedido, uma vez que o relatório médico sobre as lesões da vítima concluiu que houve perigo concreto para a vida, com lesões múltiplas e extensas, risco de hemorragia e traumatismo craniano.

Além disso, a magistrada ponderou que o ato análogo a homicídio não se consumou por razões alheias à vontade das adolescentes. “Além de a vítima ter alegado categoricamente que conseguiu escapar devidamente a um descuido das representadas, algumas testemunhas ouvidas confirmaram que R. foi encontrada em fuga, muito machucada e ainda com as mãos amarradas”, conclui.

As defesas da jovem que filmou as agressões pelo celular e da menor que chegou ao local por último chegaram a pediu absolvição, prontamente negadas pela juíza. Para a magistrada, todas as adolescentes prestaram auxílio durante as etapas do plano, “minuciosamente arquitetado por vários dias”.

Uma resposta para “Adolescentes que tentaram matar amiga em Trindade ficarão três anos internadas”

  1. Avatar José Carlos disse:

    Tentaram matar amiga? Pense se fosse inimiga então…
    ?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.