O júri popular dos réus Raissa Nunes Borges e Jeferson Cavalcante Rodrigues está marcado para 29 de agosto. O juiz Jesseir Coelho de Alcântara, da 3ª Vara dos Crimes Dolosos Contra a Vida e Tribunal do Júri da comarca de Goiânia, definiu a data. Eles respondem pelo homicídio e pela ocultação do cadáver da jovem Ariane Bárbara Laureano de Oliveira, de 18 anos, que ocorreu em agosto de 2021. Uma mata no Setor Jaó, na capital goiana, foi o local onde encontraram o corpo.

De acordo com o inquérito policial, os réus se aproximaram de Ariane em uma pista pública de skate, perto de um supermercado da cidade. Raissa queria realizar um “teste prático” para saber se sofria de transtorno de personalidade antissocial, conhecido como psicopatia. Ela contou com a colaboração de Jeferson, Enzo Jacomini Carneiro Matos e uma adolescente para colocar o plano em prática.

O crime

No dia do crime, eles entraram no carro de Jeferson e Raissa tentou estrangular Ariane, mas não conseguiu. Enzo então enforcou a vítima por trás, com um golpe chamado “mata-leão”, até ela desmaiar. Raissa e a menor pegaram facas que estavam no veículo e golpearam Ariane várias vezes, causando a morte dela.

Depois do homicídio, eles colocaram o corpo no porta-malas, que já estava forrado com saco plástico. Enzo sugeriu um matagal no Setor Jaó para desovarem o cadáver. Lá, eles enterraram o corpo com terra e pedras. Em seguida, foram se limpar em um banheiro público e pararam para lanchar.

Raissa e Jeferson estão presos desde setembro de 2021. Enzo recebeu uma condenação de 15 anos de prisão pelo crime em novembro de 2022. A adolescente está em liberdade assistida enquanto aguarda o julgamento.

Leia mais

Jovens acusados de matar Ariane serão ouvidas pela justiça nesta quarta-feira

Juiz torna réu trio responsável pela morte da jovem Ariane Bárbara em Goiânia