Acidentes de trânsito: Hugo atendeu 3,6 mil acidentados de moto no ano passado

Levantamento revela que 3.639 pacientes usavam moto; 5,3 mil atendimentos resultaram em 6.134 cirurgias e 162 mortes

HUGO consome cerca de 700 bolsas de sangue por mês em atendimentos | Foto: Reprodução

O Hospital Estadual de Urgências de Goiânia (Hugo) realizou levantamento de pacientes envolvidos em acidentes de trânsito no ano passado. A unidade atendeu 5,3 mil pessoas. Desses atendimentos, 3.639 usavam motocicletas como meio de transporte no momento do acidente e 162 morreram.

Em decorrência desses atendimentos, foram realizados 6.134 procedimentos cirúrgicos, sendo 27 deles para amputação de algum membro.

De acordo com levantamento do HUGO, 3,7 mil pacientes são homens e 1,6 mil mulheres, o que corresponde a 72% e 28%, respectivamente. Ambos em idade economicamente ativa, pois a faixa etária predominante varia entre 15 e 29 anos.

Ações

O HUGO realizou atividades no mês passado, chamado de Maio Amarelo, para conscientizar condutores de veículos no trânsito acerca das trágicas consequências de acidentes.

No início de maio, o hospital recebeu uma unidade móvel do Hemocentro para colher doações de sangue, que posteriormente foram doadas à unidade de saúde.

Na ocasião, integrantes do Corpo de Bombeiros e da Aeronáutica participaram da atividade. O hospital consome, em média, 700 bolsas por mês e, com alta frequência, vítimas de acidentes de trânsito precisam de transfusões.

Números Globais

Um estudo da Organização Mundial da Saúde (OMS) mostrou que, em 2009, cerca de 1,3 milhão de pessoas, em 178 países, perderam a vida em acidentes de trânsito, mais de 3,5 mil por dia. Outras 50 milhões de pessoas sobreviveram, mas com sequelas.

Diante disso, a Assembleia-Geral das Nações Unidas editou, em março de 2010, uma resolução definindo o período de 2011 a 2020 como a “Década de Ações para a Segurança no Trânsito”.

O trânsito figura a nona posição de mortes no mundo. Se analisado somente a faixa etária entre 15 e 29 anos de idade, passa a ser a primeira.

Atualmente, esses acidentes representam custo de US$ 518 bilhões de dólares por ano, cerca de 1% e 3% do Produto Interno Bruto (PIB) de cada país no mundo, de acordo com a OMS.

A instituição estima que, se nada for feito, quase 2 milhões de pessoas devem morrer no trânsito em 2020 e, em 2030, o número salta para 2,4 milhões.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.