“Ação vergonhosa”, afirma deputado sobre proposta do governo em limitar passe livre

Parlamentar critica reestruturação do programa e considera que restrições sociais vão retirar benefício de cerca de 90% dos atuais contemplados

Fotos: reprodução

O deputado Lucas Calil afirmou, nesta quarta-feira, 8, que a emenda apresentada pelo líder do governo que inclui Ensino Superior entre os beneficiários do Passe Livre é uma “cortina de fumaça”. Segundo o parlamentar, outras exigências previstas no projeto de reestruturação do programa irá provocar o corte de mais de 70 mil usuários.

A íntegra do texto apresentado pela governadoria à Assembleia Legislativa na terça-feira, 7, retirava o direito de estudantes do Ensino Fundamental e superior. A emenda de Bruno Peixoto retorna o direito a universitários, entretanto, a restrição social segue prevista, o que para Calil é um equívoco.

Nas regras de restrição social, estudantes precisam comprovar renda familiar máxima de três salários mínimos, além de ser beneficiário de algum programa social do governo. Lucas Calil disse que com esses critérios, dos 83 mil atuais beneficiários, apenas cerca de 12 mil continuarão a receber benefício.

A sessão que discutia a matéria foi suspensa nesta quarta-feira após protesto de estudantes que acompanhavam as falas dos deputados no Plenário. Segundo Calil, a partir de agora irá procurar incluir os estudantes nos próximos debates. “É preciso evidenciar as ações desse governo e combater esse tipo de proposta com argumentos, números e dados”, considerou o parlamentar.

Calil criticou ainda a celeridade que o governo tenta impor sobre a matéria. “Isso mostra o medo do governo, se fosse um projeto bom, eles buscariam evidenciar para toda a população os benefícios”, disse.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.