“A verdade aparece cedo ou tarde”, diz Neymar em depoimento à polícia

Presença do jogador alterou a rotina do 6ª DDM que precisou transferir atendimento às vítimas; Neymar chegou ao local sob forte esquema de segurança 

Foto: Reprodução

O jogador de futebol Neymar Jr. compareceu nesta quinta-feira, 13, à Delegacia de Defesa da Mulher para prestar depoimento sobre o suposto estupro à modelo Najila Trindade. O atacante chegou ao prédio do 6ª DDM com 45 minutos de antecedência e demonstrando aparente tranquilidade.

Segundo informações, Neymar foi educado com as promotoras, as delegadas e a escrivã que estavam na sala onde prestou depoimento. A cordialidade foi estendida aos policiais que cruzaram com o jogador na chegada e na saída do local.

No entanto, a tranquilidade transmitida pelo atleta não significa que ele não estava preocupado com a situação. Neymar chegou à delegacia em uma van preta blindada e escalou para sua segurança, os três profissionais em quem mais confia. Esse staff costuma ser escalado para grandes eventos, como quando vai ao Carnaval do Rio de Janeiro.

Janelas e portas vedadas

O jogador respondeu todas as perguntas no primeiro andar do prédio da delegacia por causa da lesão no tornozelo direito que o tirou da Copa América, que começa hoje com Brasil x Bolívia, no Morumbi. A lesão o obriga a usar muletas e dificulta a subida de escadas. Estavam no recinto três promotoras de Enfrentamento à Violência Doméstica, duas delegadas e uma escrivã. Um trio de advogados acompanhou o jogador.

O andar onde o atacante foi ouvido estava com janelas e a porta de vidro fechadas com papel pardo. Pela manhã, uma advogada do jogador chegou com o material. O terceiro andar, onde fica a sala da delegada, e parte do segundo andar também foram envelopadas.

Atendimento às vítimas

Foi determinado que somente agentes ligados à investigação de estupro pudessem ficar no prédio da 6ª Delegacia de Defesa da Mulher. Os policiais civis que fazem o atendimento rotineiro às vítimas de violência doméstica trabalharam na 11ª Delegacia, que fica no mesmo terreno da DDM.

Depois do depoimento, as três promotoras que atuam no caso falaram com a imprensa. Elas reafirmaram que podem pedir novas providências à Polícia Civil. “Como o inquérito é sigiloso, não podemos divulgar quais serão as outras diligências. Ele respondeu todas as perguntas de maneira satisfatórias. Ele negou o crime”, disse a promotora Flávia Merlini.

Neymar: “a verdade aparece cedo ou tarde”

Neymar também falou. Em breve pronunciamento, declarou que a “verdade aparece cedo ou tarde”. Ele agradeceu as mensagens de apoio que recebeu e acrescentou que deseja que a investigação termine o mais rápido possível. Quando deixou a delegacia, pessoas que se aglomeravam na rua gritaram o nome do jogador. Um grupo de jovens chegou a correr atrás da van que levou Neymar. (Com informações do UOL)

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.