Levantamento realizado pela Associação Brasileira de Lojistas de Shoppings também constatou que a internet será o principal meio de compra destes presentes

Restrições em shoppings levará consumidores a procurarem presentes na internet / Foto: Fernando Leite

A Associação Brasileira de Lojistas de Shopping (Alshop) realizou levantamento entre os dias 4 e 7 de outubro com 4.100 pessoas maiores de 18 anos para estimar como será o consumo de presentes no Dia das Crianças.

Para 27% dos consumidores entrevistados, a data comemorativa não terá presentes. Já 73% pretendem comprar algo. Os brinquedos está entre os itens mais procurados, com 49% da intenção de compra. Já livraria e papelaria, 12%. Outros 2% pretendem comprar materiais esportivos, 2% cosméticos, e 2% alimentos e bebidas. Os que ainda não sabem o que irão comprar são 6%.

O valor médio estimado pelos consumidores para ser gasto no presente está entre R$50 e R$100 para 42%. Para 12%, o valor máximo do item será de R$50. Pretendem gastar de R$101 a R$150 7% dos entrevistados. A mesma porcentagem estima pagar acima de r$200.

A forma de pagamento pretendida pelos consumidores é de cartão de crédito à vista para 42%; cartão de crédito ou carnê parcelado para 29%;2% deverão pagar com ticket restaurante ou algum vale.

Também foi questionado pela pesquisa onde essas pessoas pretendem comprar os presentes. O e-commerce foi o favorito dos consumidores, com 37% da preferência do público. Pretendem se dirigir aos shoppings, 22%. Já as lojas de rua são preferência de 10%.

Restrições

Para Nabil Sahyoun, presidente da Alshop, a preferência pela internet se dá pelas restrições nos espaços de shoppings centers.

“Temos feito encontros e encaminhamos um ofício ao governo do Estado de São Paulo pedindo aceleração na reabertura das lojas em horário integral o que permite por um lado evitar o desemprego que está em taxas alarmantes e, por outro, beneficiar a economia”, afirmou.

Para que pudessem retomar o funcionamento, os shoppings aderiram a 20 medidas restritivas.