69% dos brasileiros consideram que situação econômica do Brasil piorou, diz pesquisa

Durante o governo Dilma Rousseff (PT), em 2015, o índice chegou a 82%. No governo Michel Temer (MDB), no período de junho de 2018, a 72%

Paulo Guedes, ministro da economia | Foto: Fábio Pozzebom/ Agência Brasil


Para 69% dos brasileiros a situação econômica do Brasil piorou nos últimos meses. Segundo pesquisa Datafolha, publicada pelo jornal Folha de S. Paulo nesta segunda-feira, 20, o número está próximo dos maiores patamares já registrados nos levantamentos. Dados foram coletados de 13 a 15 de setembro deste ano.

Durante o governo Dilma Rousseff (PT), em 2015, o índice chegou a 82%. No governo Michel Temer (MDB), no período de junho de 2018, a 72%. No governo Jair Bolsonaro (sem partido), a pergunta apareceu nas pesquisas de 2019, com resultado em torno de 35%, e retornou agora em setembro de 2021.

Entre os apoiadores de Bolsonaro, 31% apontam que a economia melhorou e 36%, que piorou. Para 32%, a situação ficou como estava. A pesquisa foi feita presencialmente, com 3.667 brasileiros em 190 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais.

Segundo o Datafolha, a situação econômica do país piorou para 74% das mulheres e 62% dos homens; para cerca de 70% das pessoas de 16 a 44 anos e de 65% dos entrevistados acima dessa faixa etária; 62% dos evangélicos e 71% dos católicos.

Para o futuro, 39% acreditam que a situação vai piorar. Nos levantamentos de 2020, 41% tinham expectativa negativa. No início do governo, em 2019, eram 18%. O índice de quem acha que a economia do Brasil vai melhorar também oscilou na margem de erro, em julho era de 30% e em setembro deste ano, 28%. Em março, 11% dos entrevistados estavam otimistas. No início do governo, era 50%.

Uma resposta para “69% dos brasileiros consideram que situação econômica do Brasil piorou, diz pesquisa”

  1. Avatar Divino Rodrigues disse:

    claro antes não tinha pandemia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.