Entre os problemas detectados, está a pratica abusiva de preços, adulteração de produtos e ausência da placa obrigatória de incentivo ao etanol

Procon Goiás afirma que continuará fiscalizaçça de estabelecimentos de distribuição de combustível no Estado | Foto: Reprodução/ Procon Goiás

O Procon Goiás intensificou no mês de outubro a fiscalização dos postos de combustíveis com base em denúncias. Dentre os 29 estabelecimentos percorridos, o órgão identificou irregularidades em 18 deles. Com isso, 62% foram autuados.

Entre os problemas detectados na prestação de serviço, está a diferença no percentual entre o valor do litro da gasolina e do etanol, produtos fora do prazo de validade, ausência da placa de incentivo obrigatória ao uso do etanol (Lei Nº 20810 de 15/07/2020).

O Procon Goiás pretende continuar as ações intensificadas nos postos, após a Petrobrás aprovar um reajuste de 4% no preço da gasolina nas refinarias, que consequentemente sobe o valor final do produto. O intuito do órgão é evitar que empresários do setor se aproveitem do reajuste para aumentos abusivos do preço e adulteração do produto.

O órgão possui uma equipe treinada pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustível (ANP), que faz a testagem do produto para garantir a qualidade e quantidade adequada para o consumidor.