50% dos músicos perderam toda a renda em função da pandemia, diz pesquisa

Segunda edição do levantamento aponta um total de 89% de músicos com perdas devido a pandemia. Público ainda não se sente seguro para frequentar apresentações

Oitenta e nove por cento dos músicos tiveram perdas em função da pandemia da Covid-19, em 2021, de acordo com a segunda edição da pesquisa Músicos/as & Pandemia. Realizada pela União Brasileira de Compositores (UBC), em parceria com o cRio, laboratório de ideias da Escola Superior de Propaganda e Marketing (ESPM), o estudo mostrou que, no mesmo ano, 50% dos trabalhadores do setor perderam toda a sua renda. 

A pesquisa ouviu cerca de 611 músicos associados ou não à UBC e 37 empresas ligadas ao setor de eventos de todos os estados do país, em dezembro último. Entre todos os entrevistados, 46% trabalham unicamente com a música, contra 18% que já começaram  a procurar outras atividades por causa da pandemia. Outro 35% afirmaram que tinham outros trabalhos anteriormente.

Procurando entender as intenções em um cenário pós-pandemia, o levantamento também indicou que 53% dos entrevistados pretendem continuar trabalhando com a música, embora diversificando suas atuações no mercado. 30% seguirão se dedicando à carreira da mesma maneira; 3% pretendem seguir no mercado, mas diminuir a atuação com música e focar em outra profissão complementar; e 2% pretendem deixar de trabalhar com música.

Com o cancelamento de shows desde o ano de 2020, essas medidas de suspensões foram adotadas como formas de avanço para conter a disseminação do vírus. O cenário se repete, atualmente, para frear a transmissão da variante Ômicron. Já prevalecendo no país, a nova linhagem do coronavírus é considerada de preocupação pela Organização Mundial de Saúde (OMS) justamente pela alta taxa de transmissibilidade. 

A pesquisa da UBC propõe também criar um índice anualizado para o setor, para sentir o impacto da pandemia da Covid-19 no mercado, ao longo do tempo. A crise no mercado da música atingiu também outras representações do ramo. Ainda de acordo com o levantamento, 33% das empresas tiveram que diminuir os salários dos colaboradores desde que se iniciou o isolamento social, e apenas 40% não precisaram demitir funcionários.

Com o cenário sinalizando uma crise continuada, metade dos entrevistados afirmaram perder integralmente os faturamentos. Seis em cada dez empresas consultadas admitiram precisar reduzir o quadro de funcionários para não fechar as portas durante o período de isolamento social.

Público

Quanto ao retorno do público, dados divulgados pelo Reclame Aqui apontou que 76,6% das pessoas ainda não se sentem seguras para o retorno de festas presenciais. Além disso, 25, 9% dos brasileiros que estiveram presentes em shows durante a pandemia foram para acompanhar suas bandas favoritas. Em contrapartida, 54,2% das pessoas que foram a eventos no país disseram nem lembrar no momento da festa que o país enfrenta uma pandemia, também mostrou os dados.

A pesquisa da UBC aponta um retorno positivo das plateias nas apresentações ao vivo. 39% acreditam que os eventos terão grande adesão de público devido à demanda reprimida durante o isolamento. Já 34% dos músicos entrevistados apontam que os shows e eventos terão adesão controlada, seguindo os protocolos das agências sanitárias e 11% afirmaram que apresentações ao vivo terão baixa adesão de público devido ao medo de novas variantes.

*Com informações de Agência Brasil e CNN Brasil

Uma resposta para “50% dos músicos perderam toda a renda em função da pandemia, diz pesquisa”

  1. Avatar Valter Martins Mustafé disse:

    Excelente matéria, que retrata um quadro caótico para os trabalhadores com música em todo Brasil, pós pandemia. E tenho certeza, como um atuante na área, há mais de 40 anos, que o quadro aqui em Goiás é infinitamente maior e mais drástico! (Valter Mustafé – músico)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.