40% dos deputados federais do PSL vão mudar de partido após fusão com o DEM

Entre as razões mais citadas pelos parlamentares que vão deixar o PSL está a declaração do presidente da nova sigla, Luciano Bivar, de que o União Brasil terá candidato próprio à Presidência

Carla Zambelli é uma das parlamentares que admite deixar o PSL para apoiar o futuro partido do presidente | Foto: Luís Macedo/Câmara dos Deputados

DEM e PSL estão a um passo de formar um novo partido, que constituirá a maior bancada na Câmara. A previsão é de que fusão seja anunciada no próximo dia 6. Se a aliança ocorrer como previsto, a maior fatia do fundo eleitoral será da nova legenda batizada de “União Brasil”. Levantamento feito pelo Globo, entretanto, mostra que a promessa do superpartido não convenceu parte da bancada do PSL. Quatro entre dez deputados federais não pretendem se manter onde estão até as eleições do ano que vem.

O Globo procurou todos os 54 deputados em exercício do partido. Do total, 23 confirmaram saída (42,6%), 16 disseram que vão permanecer (29,6%), seis ainda não decidiram (11,1%) e nove não retornaram o contato (16,6%). A fuga dos eleitos coloca em risco os planos do União Brasil de ter a maior bancada da Câmara. Por outro lado, alimenta o sonho bolsonarista de “bombar” uma nova sigla em 2022, repetindo o feito de 2018, quando o PSL foi de nanico para um dos maiores partidos do Congresso.

Até agora Bolsonaro não conseguiu entrar em um partido e viu alguns movimentos serem frustrados, como ocorreu com o Patriota em maio deste ano. Entre as razões mais citadas pelos parlamentares que vão deixar o PSL está a declaração do presidente da nova sigla, Luciano Bivar, de que o União Brasil terá candidato próprio à Presidência.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.