Wanderlei Barbosa diz que Hospital Geral de Palmas não terá portas fechadas

Imagens e vídeos circularam pelas redes sociais mostrando ambulâncias sendo recusadas na unidade hospitalar

Desde o último dia 14 a Secretaria de Saúde do Tocantins, anunciou que o Hospital Geral de Palmas só receberia casos de alta gravidade, ou pacientes autorizados pelo Núcleo Interno de Regulação (NIR). A informação foi confirmada pela SES após o hospital ter tido os portões fechados no sábado dia 13 e barrado ambulâncias vindas de outros municípios. Imagens e vídeos circularam pelas redes sociais causando alvoroço por toda a população.

O Secretário de Saúde Afonso Piva, afirmou que a orientação já existia, mas os municípios do interior não respeitavam a regra, enviando pacientes de média e baixa complexidade. Wanderlei Barbosa, o governador em exercício reuniu-se com os secretários, diretores da saúde e alguns vereadores e pronunciou em nota que em seu governo não haverá hospitais de portas fechadas, e isso não acontecerá mais.

O que será feito é uma organização com os hospitais dos outros municípios para que consigam atender com qualidade, retornar as cirurgias eletivas e automaticamente, desafogar o HGP.

“O que nós temos que fazer é uma ação conectada com os municípios, com as unidades de menor porte para a baixa complexidade que não precisa ser mandada para um hospital de referência como o caso do HGP e do hospital de Araguaína. Esse tratamento precisa ser feito lá na localidade, nos hospitais regionais das cidades menores e nas UPAs”. Declarou o Governador. Todavia, caso pacientes cheguem até o Hospital Geral de Palmas, o atendimento não será negado.

O Secretário Afonso Piva, declarou que a reunião com o governador foi proveitosa, e informou que a determinação é que as US dos municípios do interior melhorem cada vez mais. “Os nossos pacientes nunca ficaram sem atendimento e já conseguimos aumentar os nossos leitos de UTIs e reduzir o número de pessoas nos corredores. O governador autorizou o aumento do número de leitos de UTIs e de salas cirúrgicas”, pontuou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.