Prefeito de Esperantina é alvo de Ação Civil Pública por suposto desvio de verbas públicas

Se comprovada a fraude, Albino Cardoso será afastado do cargo | Foto: Divulgação

Se comprovada a fraude, Albino Cardoso será afastado do cargo | Foto: Divulgação

O Ministério Público Estadual (MPE) solicitou ao Poder Judi­ciário a suspensão dos direitos políticos e a perda da função pública do prefeito de Espe­rantina, Albino Cardoso Sousa, e do secretário municipal de Finan­ças, Antônio Marcos Silva Santos. Os dois são acusados de efetua­rem pagamentos relativos à pres­tação de serviço a pessoas que não trabalharam para o município de Esperantina.

Segundo o promotor de Justiça Paulo Sérgio Ferreira de Almeida, autor da ação, em dezembro de 2014 foi efetuado um pagamento no valor de R$ 2.371,58 para Jonas da Silva; e outro na quantia de R$ 2.371,58 a Manoel Gomes Soares. Os valores seriam referen­tes à prestação de serviço de lim­peza de estrada vicinal e à colocação de bueiros. Porém, após depoimento, os dois negaram que tivessem realizado os serviços ou mesmo que houvessem firmado qualquer contrato com a Pre­feitura de Esperantina.

Além da perda da função pública e do afastamento do car­go, estão entre os pedidos contidos na ACP a indisponibilidade online de todas as contas ban­cárias dos réus e pagamento de multa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.