Palmas investe mais de R$ 3 milhões em terminal logístico de cargas

O objetivo da nova obra é operacionalizar o desembaraço alfandegário para que não haja necessidade de deslocar mercadorias para outros locais e, assim, manter recursos no Estado

Terminal logístico já tem o envolvimento direto de 300 empresas

Terminal logístico já tem o envolvimento direto de 300 empresas

Gilson Cavalcante

Durante o seminário “No­vas Fronteiras para o Tocantins — Desen­vol­vimento do Comér­cio Internacional”, que será realizado no Palácio Araguaia nesta terça-feira, 9, o governo do Estado, em parceria com a Federação das Indústrias do Tocantins (Fieto) e a Infraero, vão apresentar o projeto do Terminal de Logística de Carga (Teca) do Aero­porto Brigadeiro Lysias Rodri­gues, em Palmas. Em torno de 300 empresas foram mobilizadas.

“A utilização dessa estrutura logística significa maior agilidade e menor custo para o empresariado, fatores imprescindíveis na cadeia logística”, afirmou o superintendente do Aeroporto de Palmas, Afrânio Mar. Segundo ele, a apresentação é oportunidade para que todos os segmentos envolvidos conheçam o projeto do terminal e seus aspectos positivos para o Estado. Ele avalia que, para a região, representa uma oportunidade ímpar de aquecer a economia e ampliar a presença de seus produtos nas diferentes regiões do País.

O terminal  é composto por uma construção modular, totalizando 1,2 mil m² de área construída, com área de armazenamento de 500 m², com possibilidade de ampliação conforme a demanda local. O armazém do complexo terá ainda sala de atendimento ao cliente e espaços administrativos, guarita de segurança e três docas para o embarque e desembarque de cargas, equipados com elevadores, além de estacionamento próprio para veículos leves e caminhões frigoríficos. Para a construção da plataforma, foram investidos R$ 3,84 milhões na obra.

Desenvolvimento

O diretor de Desenvolvimento Estratégico e Atração de Investi­mentos da Secretaria de Desenvol­vimento Econômico e Turismo (Sedetur), Paulo Marcelo Mendon­ça, explicou que, com o terminal, será possível operacionalizar o desembaraço alfandegário sem necessidade de deslocamento para outros estados. “Tudo o que é exportado tem que ter um aval da Receita Federal. Com o Teca, isto poderá ser feito aqui no Tocantins, tanto para mercadorias que serão distribuídas por transporte aéreo, quanto de outros modais”, frisou, ressaltando que este equipamento não é importante apenas para o Tocantins, mas para toda a região do Matopiba, que compreende também os estados do Maranhão, Piauí e Bahia.

Para Paulo Marcelo, o terminal vai ampliar as oportunidades de negócios do Estado. “Além das empresas que têm interesse em exportar seus produtos, e poderão contar com este diferencial logístico, é uma ocasião para despachantes e demais prestadores de serviços relacionados a exportações se instalarem na região”, ressaltou.

Segundo a gerente do Centro Internacional de Negócios da Fieto, Greice Labre, 300 empresas já foram mobilizadas para o evento. Segundo ela, o terminal dará agilidade às empresas e promoverá a redução de custos. “Acredito que a concretização do terminal e a possibilidade e alfandegamento vai trazer empresas para se instalar no Estado e deve agilizar o processo daquelas que já atuam no Tocantins. Nosso Estado ganhará muito em desenvolvimento com a operacionalização dessa plataforma”, afirmou.

Programação

O evento deve contar ainda com a presença de empresários, representantes da Receita Federal, Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e Associação Brasileira de Logística (Abralog).

Deixe um comentário