O que esperar do governo do Tocantins, da Câmara de Palmas, da OAB, do Sebrae e da Acipa em 2019

Governador Mauro Carlesse | Foto: Divulgação

A semana que passou foi de posses e mudanças de rumos nos governos, instituições, órgãos e associações. Na Presidência da República, assumiu Jair Bolsonaro (PSL), eleito com mais de 57 milhões de votos em outubro de 2018, que promete dar uma sacudida completa na base governamental e alterar significativamente o modelo de gestão. As intenções liberais são boas. Mas e os resultados? Só o tempo dirá se o povo — e o próprio presidente — acertaram quando escolheram tais caminhos.

Por sua vez, Mauro Carlesse (PHS) tomou posse para mais um mandato à frente do governo do Tocantins. Ao anunciar medidas amargas, cortes, contingenciamentos e demissões, Carlesse prometeu enquadrar o Estado na Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). O objetivo é claro: recuperar a capacidade de endividamento e, por consequência, o crédito junto às instituições financeiras internacionais.

Sem dúvidas, há um cenário de incertezas, típico dos inícios de governo. Muitos desempregados e a máquina pública sem conseguir oferecer — mesmo que momentaneamente — os serviços básicos, entre outros problemas. O pacote de medidas e a reforma administrativa eram necessários — isso não se discute. Contudo, deixou transparecer um certo amadorismo, por parte do Palácio Araguaia, extinguir contratos de mais de 600 médicos, mais de 2.500 servidores da saúde, além de mais de 400 agentes penitenciários — serviços para lá de essenciais e que não poderiam, e não podem, sofrer paralisações.

É inadmissível, pois não se trata de um governo que se iniciou em 1º de janeiro de 2019. O governador Carlesse já estava no cargo desde abril de 2018 e não pode alegar que não sabia que, dos mais de 15 mil demitidos, havia cerca de três mil profissionais da saúde e outros tantos vitais ao funcionamento da segurança pública. Equívocos à parte, o que se espera é que haja mais acertos do que erros e que, realmente, o governador consiga reequilibrar as contas públicas do Tocantins, recolocando o Estado nos trilhos do desenvolvimento.

Câmara Municipal de Palmas 

Na Câmara Municipal de Palmas, tomou posse como presidente, para o biênio 2019/2020, o vereador Marilon Barbosa (PSB), substituindo Folha Filho (PSD). A gestão de Barbosa ainda é uma incógnita. Se antes era aliado do ex-prefeito Carlos Amastha (PSB), ao final de 2017 retirou o apoio — mesmo permanecendo no mesmo partido — e, posteriormente, seguiu de forma independente. Após a renúncia do ex-gestor, em abril de 2018, Marilon não criou muitos vínculos com a sucessora, Cinthia Ribeiro (PSDB). Aliado a isso, é fato notório que seu irmão, o vice-governador Wanderlei Barbosa (PHS), pretende disputar a Prefeitura de Palmas em 2020. Assim sendo, é difícil crer que o novo presidente do parlamento municipal seja subserviente à prefeita ou permita que a Câmara se torne um puxadinho do Paço Municipal, como ocorreu recentemente durante a gestão de Amastha.

OAB-TO

O advogado Gedeon Pitaluga tomou posse como presidente da Ordem dos Advogados do Brasil – Seção Tocantins (OAB-TO) e se comprometeu com valorização total do Conselho Seccional Pleno, que, segundo ele, será o órgão que pautará a gestão da instituição. Ele ressaltou que a sua proposta não é de rasgar páginas, mas de mudança de páginas. O novo presidente destacou que a instituição será incansável na defesa da advocacia, sem ser subserviente e exigindo o respeito devido.

Muito mais pela liturgia do cargo do que pela sua própria vontade ou satisfação, seu antecessor, o ex-presidente Walter Ohofugi Júnior, fez um rápido pronunciamento, afirmando que a OAB foi entregue com a gestão sanada.

É, sem dúvidas, o início de um novo tempo na entidade classista. A nova gestão não tem quaisquer vínculos com administrações anteriores e, exatamente por isso, não está presa a amarras ou compromissos espúrios.

Sebrae

O administrador e secretário executivo de Finanças da Prefeitura de Palmas, Rogério Ramos, assumiu a presidência do Conselho Deliberativo Estadual (CDE) do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) no Tocantins. No propósito de dar uma nova cara e identidade à instituição, Ramos considera que a entidade é a ferramenta mais importante para o crescimento e a consolidação das micro e pequenas empresas. O Sebrae Tocantins contará, ainda, com os serviços do diretor-superintendente Moisés Pinto Gomes — esposo da senadora Kátia Abreu (PDT) —, da diretora-técnica Eliana Castro de Oliveira e do diretor-administrativo-financeiro Jarbas Luis Meurer, que foi reconduzido ao cargo.

Segundo o novo gestor, o incentivo ao empreendedorismo será a mola mestra e, ao contrário da gestão anterior, promete prestigiar os meios de comunicação, divulgando as ações e resultados obtidos pelo Sebrae Tocantins nas mídias locais. É aguardar para ver.

Acipa

A Associação Comercial e Industrial de Palmas (Acipa) ainda não deu posse ao futuro presidente, Joseph Madeira. Contudo, o novo gestor já arregaçou as mangas, tem atuado nos bastidores, promovido reuniões e estabelecido metas, mesmo porque foi eleito por aclamação e não há quaisquer divergências com a diretoria anterior. O novo presidente, cuja gestão será o quadriênio 2019/2022, disse que tem a honra de ocupar a presidência da Acipa, enfatizando que acredita ser possível escrever um marcante capítulo na história da entidade.

O ano de 2019, portanto, inicia-se com muitas expectativas, otimismo e boas promessas. Promete ser, de fato, o início de um novo tempo.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.