“Não se concebe mais Palmas sem uma secretaria de Turismo”

Vereador defende dotação de mais recursos para a pasta, que, segundo ele, é estratégica ao desenvolvimento da capital

O vereador Euzimar Pereira de Assis, conhecido como Eudes Assis (PSDB), está cada vez convicto que Palmas é um destino turístico que já conquistou o Brasil e que falta pouco para a atividade vir a ocupar um lugar de destaque no PIB da capital. O vereador que recentemente fez duras críticas à reforma administrativa proposta pelo Executivo que extinguia a Agência de Desenvolvimento Turístico (Adtur) comemora o recuo da prefeita Cínthia Ribeiro (PSDB), depois de uma forte pressão do Parlamento. “eu penso que com os avanços que nós tivemos nos últimos anos, na organização do turismo, não se concebe mais Palmas sem uma secretaria de turismo. Nós temos é que botar mais recursos e fortalecer a pasta como se observa em outros estados”, defende o parlamentar.

Eudes Assis que preside a Comissão de Finanças da Casa, cita ainda o crescimento das receitas próprias de Palmas, mesmo no período da pandemia para justificar mais investimentos em áreas consideradas estratégicas, como o turismo. O vereador aponta o crescimento de 16% das receitas municipais como comprovação do desenvolvimento de Palmas que ao que tudo indica não foi tão afetada com a crise da pandemia da Covid-19. “Nós crescemos na arrecadação do ISSQN, IPTU, no ITBI, nós crescemos em todos os segmentos que compõem a receita do município. Isso é muito importante porque mostra lá atrás o que foi feito. Palmas cresceu em todas as receitas, então mostra que a cidade não parou”, ressalta.

No campo político o vereador observa que nos últimos dias houve uma aproximação do governador Wanderlei Babosa (Republicanos) a prefeita Cínthia Ribeiro (PSDB), mas segundo ele, essa aproximação administrativa não significa apoio político automático. “Acompanhamos nos últimos dias, principalmente no aniversário de Palmas, o governador buscou uma aproximação da prefeita Cínthia Ribeiro. Os dois participaram de inaugurações, lançamento de obras de forma conjunta, mas a decisão de apoio do PSDB a prefeita ainda não anunciou”, garante.

Eudes Assis é tocantinense de Filadélfia, pioneiro de Palmas. Bacharel em Teologia, atua como diácono da Assembleia de Deus Ministério Missão, projeto Restaurando vidas. Entrou para a vida pública em 1998, quando foi eleito pela primeira vez presidente do Grêmio Estudantil do Colégio Estadual São José em Palmas. Ocupou o cargo de secretário de Turismo de Palmas, durante sua gestão implantou o Conselho Municipal de Turismo, o Plano Municipal de Turismo. Como secretário esteve à frente da realização de eventos como, Palmas capital da Fé, Temporada de Férias e Festival Gastronômico de Taquaruçu. Vereador em primeiro mandato. Nesta entrevista ao Jornal Opção ele fala ainda sobre sua pré-candidatura a deputado federal, eleição da mesa diretora da Câmara e o início da sua trajetória política como líder estudantil.

Como o sr. avalia a decisão da prefeita Cínthia Ribeiro que decidiu recuar na reforma administrativa que extinguia órgãos da administração. Valeu a pressão do Parlamento?

A decisão da prefeita, bem pensada, tomada com cautela, aponta para o desenvolvimento. Vejo grandeza nessa decisão que abrange não apenas alguns setores diretamente atingidos, mas toda Palmas. Porque quando se fala de turismo se fala de uma atividade que gera emprego, renda, traz desenvolvimento econômico e social. Precisamos reconhecer que houve uma transformação do turismo de Palmas. Foram realizadas várias missões com empreendedores e técnicos de turismo para conhecer outros destinos parecidos com Palmas, como Bonito (MT), Extrema (MG) Chapada Diamantina (BA) Chapada dos Veadeiros (GO) e tudo isso para chegarmos a um modelo ideal de desenvolvimento do turismo sustentável. Nós só temos hoje em todo o Brasil 62 municípios classificados pelo Ministério do Turismo como classe “A”. Palmas é um destes destinos.

Como foi esse processo de classificação de Palmas junto ao Ministério do Turismo como destino classe “A”?

Nós cumprimos todas as exigências do Ministério do Turismo, dentre elas, um ganho enorme que foi criar a Governança do Polo Turístico de Taquaruçu e o Conselho Municipal de Turismo de Palmas (Comtur). Nós tínhamos uma lei com mais de 20 anos que previa a sua criação, mas só agora efetivamente implantamos o conselho e elaboramos o Plano Estratégico de Desenvolvimento do Turismo que prevê ações para os próximos 10 anos.  Foi um avanço muito grande. A reforma administrativa já era algo planejado, algo pensado, estava tudo preparado para o começo de 2021. De repente as dificuldades todas da pandemia retardou um pouco e só agora em 2022 foi efetivada. A reforma tinha muito pontos positivos e bons, principalmente os ajustes administrativos. A reforma vir e é salutar para Palmas. Uma reforma administrativa tendo que discutir, eu penso, que com os avanços que nós tivemos nos últimos anos, na organização do turismo, não se concebe mais Palmas sem uma secretaria de turismo. Nós temos é que botar mais recursos e fortalecer a pasta como se observa em outros estados. Nós temos o que oferecer, então vejo que temos que trabalhar ainda mais e continuar acreditando neste potencial que temos, continuar acreditando na organização da atividade. Lembrando que terminou de ficar pronto o Masterplan, projeto que prevê a implantação de um distrito turístico em Palmas, e que pode transformar a nossa capital em um dos destinos turísticos mais importantes do país. O turismo foi uma das bandeiras da minha campanha e eu não tem como retroceder naquilo que defendi em praça pública. Vou continuar a minha luta em defesa desta bandeira. Graças a Deus a prefeita entendeu, e, nós mais que dobramos o orçamento do turismo.

O turismo ganhou um instrumento importante que foi o Plano Estratégico, que o senhor mencionou, mas a gestão ainda não iniciou o seu cumprimento. A manutenção da secretaria é mais uma possibilidade de cumprimento de políticas públicas para o setor?

Nós vivemos um momento muito interessante em que pudemos comprovar a atratividade do destino Palmas que foi na ABAV -Expor 2019, em São Paulo. Estávamos no estande de Palmas quando o diretor da CVC compareceu ao estande e propôs uma integração do destino Serras e Lagos e o Jalapão, dois dias do pacote os visitantes ficariam em Palmas. De repente veio a pandemia e não pudemos dar continuidade a este acordo com uma das mais importantes operadoras de turismo do país. Agora chegou o momento de retomarmos estas iniciativas que podem incrementar o turismo de Palmas e do Tocantins. Eu acredito que vivemos um bom momento e o que é preciso é juntar todos para um debate consistente sobre as prioridades para alavancar o turismo em Palmas. Os grandes eventos precisam voltar porque nós temos capacidade para realiza-los, tem a rede hoteleira, bares, restaurantes, atrativos, todos estão bem organizados para receber esses eventos. Tem dinheiro para todas as áreas. O orçamento passou pelas minhas mãos, não ficou nenhuma área sem ser contemplada neste orçamento que está sendo executado de 1,7 bilhões, com um crescimento de 16%, R$ 200 milhões a mais no orçamento e foi muito bem distribuído em todas as áreas.

Ao que se pode atribuir este crescimento da receita municipal, mesmo em época de crise?

Cresceu e vamos continuar crescendo muito mais. Ontem nós fechamos o quadrimestre financeiro e nesse período nos surpreendemos com o crescimento. Nós crescemos na arrecadação do ISSQN, IPTU, no ITBI, nós crescemos em todos os segmentos que compõem a receita do município. Isso é muito importante porque mostra lá atrás o que foi feito. Palmas cresceu em todas as receitas, então mostra que a cidade não parou. Nós perdemos em alguns aspectos, mas em outros Palmas avançou e isso se dá em função da boa equipe técnica que a Prefeitura dispõe. O ex-secretário Rogério Ramos fez um trabalho de excelência na secretaria de Finanças. Sem aumentar nenhum tipo de imposto, dando oportunidade e convencendo a sociedade sobre a importância de pagar os seus tributos. Palmas cresceu acima da média nacional. Tenho orgulho de ser hoje o presidente da Comissão de Finanças e estar aqui hoje participando de todos os momentos econômicos de nossa cidade.

Como se posiciona o PSDB no Tocantins que não tem candidato a governador?

A primeira etapa do processo que era o dever de casa, o PSDB fez direitinho. Nós temos hoje uma chapa na proporcional tanto para a disputa de deputado estadual quanto para deputado federal, montamos duas chapinhas com bons pré-candidatos. Temos a meta de eleger um deputado federal e pelo menos três deputados estaduais. O PSDB estará junto com o Cidadania, conforme federação em nível nacional. Neste chapa temos apenas um pré-candidato com mandato que é o Eduardo do Dertins e vem o Eduardo Montoan, com uma das grandes apostas que nós temos para um mandato na Assembleia Legislativa e temos muitos outros nomes. Então o PSDB aqui no Tocantins no comando da prefeita Cínthia que é nossa presidente, ele cumpriu o seu dever tanto para a sua reeleição, tendo feito a maior bancada, três vereadores e estamos trabalhando para conquistar três cadeiras de deputado estadual e um deputado federal.

O partido não tem candidato a governador, a aproximação da prefeita ao governador Wanderlei Barbosa sinaliza que ela já decidiu quem vai apoiar?

Acompanhamos nos últimos dias, principalmente no aniversário de Palmas, o governador buscou uma aproximação da prefeita Cínthia Ribeiro. Os dois participaram de inaugurações, lançamento de obras de forma conjunta, mas a decisão de apoio do PSDB a prefeita ainda não anunciou. Ela ainda não chegou até nós que somos a base para poder dizer quem nós vamos apoiar. Devemos salientar que temos uma eleição pela frente que é a definição da mesa diretora da Câmara. Eu vejo que neste momento a prefeita se dedica a acompanhar este processo da eleição da mesa diretora do Legislativo. A eleição será dia 29 de junho, vamos eleger o próximo presidente da Casa e a prefeita tem acompanhado porque se trata de uma eleição dentro da sua gestão.

Seria uma tentativa de evitar um novo presidente de oposição como tem sido a presidência da vereadora Janad Vacari?

A prefeita, neste mandato, trabalha para não ter nenhuma surpresa. A política é muito importante que haja oposição. A oposição tem outro olhar e isso ajuda a ver a gestão como um todo, então a oposição ajuda na governabilidade.

Os deputados que foram rejeitados pelo PSDB acusam a direção estadual de usar o partido para benefícios próprios, a eleição do esposo da prefeita, Eduardo Montoan, a deputado estadual. Como o sr. avalia essas denúncias?

A questão política é complicada. Cada grupo vai se fortalecendo e construindo o seu modelo de política para avançar. O que o PSDB pretende? O partido pretende resgatar o prestígio politico que já teve no passado. A primeira vez que o governador Marcelo Miranda foi eleito para o governo foi pelo PSDB. O partido já teve deputado federal, estadual e um grande número de prefeitos. O PSDB nos últimos anos declinou e houve um momento que teve que ter uma disputa política pelo comando da legenda. A prefeita Cínthia saiu vitoriosa com este grupo que está na legenda. Eu acredito que esta decisão do partido foi para oxigenar. Foi para trazer novos nomes, novos sonhos, levar o PSDB a começar a se preparar um projeto de futuro.

Que balanço o sr. faz da sua atuação no Parlamento?

Eu sempre fui apaixonado por política, desde menino. Eu fazia política, desde Colinas. Cheguei para cá me envolvi com o movimento estudantil, políticas de juventude, tive a honra e o orgulho de participar da juventude da UT (União do Tocantins) e sempre apoiei do Mascarenhas (Humberto) ao senador Eduardo Gomes, e vários outros políticos como o governador Siqueira Campos. Nós estamos numa cidade que cresce criando novos desafios. Eu cheguei na Câmara já assumindo a responsabilidade pelo comando da Comissão de Finanças, uma das mais importantes do município, que é você cuidar de todo o orçamento do município. A vida do vereador é de fiscal realmente, um trabalhador do povo. Um vereador da capital, a responsabilidade dele é grande. Ele tem que viver, debater e compreender a política com uma grandeza de muita força de vontade para poder trabalhar. O mandato de vereador tem me trazido muitas coisas boas. Boas surpresas e desafios. Eu defendo que quem for vereador de Palmas está preparado para qualquer desafio grande. Senador da República, deputado federal, deputado estadual, governador e hoje o exemplo é que os grandes políticos do Tocantins saíram de Palmas. O governador Wanderlei Barbosa, o senador Eduardo Gomes, um grande político do Tocantins se igualando aí ao sempre senador in memoriam, João Ribeiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.