O secretário de Governo, Jairo Mariano (PDT), um dos principais articuladores políticos do projeto de reeleição do governador Wanderlei Barbosa (Republicanos), comemora a formação da Aliança pelo Tocantins, que segundo ele, consolida a frente ampla de partidos da base governista, incluindo legendas de vários campos ideológicos – Republicanos, União Brasil, PDT, Patriota, pP – e que, conforme previsão, até o dia 5 de agosto, somará uma dezena de partidos. “Estamos definindo uma aliança gigante com vários partidos e com muitos candidatos”, anuncia.  

Jairo Mariano avalia que a confirmação da deputada federal Dorinha Seabra Rezende, a Professora Dorinha (UB), na chapa governista fortalece o projeto eleitoral do governador. Ele ressalta que a atuação da deputada no Congresso Nacional a respalda na busca por uma cadeira no Senado. “A professora Dorinha tem se destacado muito, não só em nosso Estado, trazendo recursos, mas também nacionalmente. Uma pessoa que tem trabalhado não só para o Tocantins, para todo o Brasil”, observa.

Sobre o episódio do rompimento do grupo da senadora Kátia Abreu (PP), formado pelos partidos pP, PSD, PRTB e Avante, o secretário diz que não foi provocado pelo governador Wanderlei Barbosa, que reconhece que a senadora foi muito importante na pacificação política do Estado e na garantia da governabilidade. “Nós entendemos a grande contribuição que a senadora deu para que o Estado criasse esse processo de tranquilidade, de pacificação, no que diz respeito à parte administrativa. Nós sempre a agradecemos de público”, enfatiza, Jairo Mariano, reiterando que este episódio está encerrado.

“Da nossa parte está consolidado este processo todo. Nós tivemos uma conversa, colocamos todas as cartas na mesa com relação a este assunto e agora é tocar a nossa campanha com tranquilidade”, destaca, lembrando que a aliança continua aberta a todos os partidos que queiram somar ao projeto de defesa do Tocantins e de sua gente e que será oficializada nas convenções, evento que vem sendo articulado para ser uma das maiores mobilizações políticas da temporada.

Jairo Soares Mariano é tocantinense de Pedro Afonso, formado em Ciências Contábeis, com especialização em Administração. Foi prefeito de Pedro Afonso por dois mandados consecutivos, tendo conseguido eleger o sucessor. Foi presidente da Associação Tocantinense de Municípios (ATM) por duas vezes e ocupou o cargo de vice-presidente da Confederação Nacional de Municípios (FNM). Durante o governo Carlesse, ocupou a presidência da Agência de Desenvolvimento do Turismo e Economia Criativa (Adetuc). No governo Wanderlei Barbosa, passou pelas secretarias da Fazenda, Infraestrutura e Governo, se mantendo sempre como um dos seus principais conselheiros políticos do governador. Nesta entrevista exclusiva ao Jornal Opção, o secretário fala sobre as realizações do governo, sobre as articulações políticas que seguem e promete novidade para o dia 5 de agosto, data da convenção da Aliança para o Tocantins.

Estamos executando o maior programa de infraestrutura em 33 anos de história do Tocantins

Que balanço que o sr. faz do trabalho de articulação política para composição da chapa do governador Wanderlei Barbosa?

Nós temos hoje uma aliança muito fortalecida. O Wanderlei em oito meses de governo tem demonstrado claramente a sua grande vontade de dar resultado, de trazer muito benefícios para o Tocantins inteiro. Hoje, estamos executando o maior programa de infraestrutura do Estado, com recursos próprios, da história dos 33 anos do Tocantins. Por outro lado, a Professora Dorinha tem se destacado muito, não só em nosso Estado, trazendo recursos, mas também sendo destaque nacional. Uma pessoa que tem trabalhado não só para o Tocantins como para todo o Brasil. Então, é uma aliança que sai fortalecida a partir desse momento.

Governo pretende alicerçar a sua base de candidaturas pulverizadas por todo o Estado do Tocantins

O que o governador ainda busca articular de apoio até às convenções?

Vamos consolidar essa parceria nas convenções, marcada para o dia cinco de agosto, no Parque do Povo, o Centro de Convenções Arnaud Rodrigues, em Palmas, um grande evento que a gente quer lotar o espaço e estamos definindo uma aliança gigante com vários partidos e com muitos candidatos. O governo pretende alicerçar a sua base de candidaturas pulverizadas por todo o Estado do Tocantins. Candidaturas desde o norte, passando pelo Bico do Papagaio, até o sul, isso tudo, certamente vai fazer com que a gente possa ter uma campanha de grande nível, propositiva, fazendo com que o eleitorado do Tocantins vislumbre nesta aliança, uma chapa que possa dar bons frutos nos próximos quatro anos para o nosso Tocantins.      

Laurez é um parceiro de primeira hora e a gente tem muita confiança em tudo que ele representa para região sul do Tocantins

A aliança com o PDT do ex-prefeito Laurez Moreira também está consolidada com sua indicação como vice, quando será a apresentação?

Nós estamos alinhando com o Laurez. O PDT tem sido um partido que a gente tem conversado desde o primeiro momento, desde o início do ano. O Laurez [Moreira] hoje, por toda sua história política, pelos mandados que exerceu sempre foi um político respeitado. Veja o exemplo de sua cidade, Gurupi, onde realizou um mandato de muito capricho. E é uma defesa de toda a região sul para que ele seja indicado para compor a chapa junto com o governador Wanderlei Barbosa. Estamos neste momento intensificando as conversações, temos outros partidos também interessados na composição, mas o Laurez é um parceiro de primeira hora e a gente tem muita confiança em tudo que ele representa para região sul do Tocantins. Foi um deputado federal que teve votação em toda a região sul, região sudeste, região central do Estado; bem conhecido também no Bico do Papagaio e isso também pode ser uma condição que venha somar muito com a chapa do governador Wanderlei.

Infelizmente a política tem a sua dinâmica

Como estão as conversações com a senadora Kátia Abreu (PP), uma das primeiras lideranças a apoiar o governo. Ela permanece na base, será candidata ou já rompeu?

O governador foi muito claro em suas atitudes. Ele nunca deu qualquer declaração, em nenhum momento demonstrou algum tipo de interesse em cometer traição neste processo todo. Sempre manteve sua palavra rigorosamente. Infelizmente a política tem a sua dinâmica. Não foi o governador quem deu o primeiro passo dessa separação. Estamos bem tranquilos em relação a isso. Não temos interesse em falar mal de ninguém, pelo contrário, nós entendemos a grande contribuição que a senadora [Kátia Abreu] deu para que o Estado criasse esse processo de tranquilidade, de pacificação no que diz respeito à parte administrativa. Nós sempre a agrademos de público. O governador sempre foi muito verdadeiro nessa questão. Da nossa parte está consolidado este processo todo. Nós tivemos uma conversa, colocamos todas as cartas na mesa com relação este assunto e agora é tocar a nossa campanha com tranquilidade.

Ainda há espaço para a senadora Kátia Abreu e o seu grupo político que compreende quatro partidos que integravam a base do governo?

Há espaço para todos os partidos, desde que haja interesse. Se houver interesse, se houver dedicação… nós estamos num projeto e esse projeto é preciso ter várias mãos para construir. Então nós estamos de portas abertas para todos os partidos, desde que haja o interesse de compor conosco.

No início dessa caminhada o sr. fazia a projeção de que o projeto de reeleição do governador Wanderlei Barbosa poderia contar com seis grandes partidos. Quais são os partidos que já estão confirmados nesta frente?

Olha, nós temos um volume um pouco maior que seis partidos. Eu não quero antecipar nada porque ainda estamos em processo de conversação e isso tudo é uma costura que a gente pretende concluir no dia cinco de agosto. Nesta data vamos anunciar o conjunto da nossa aliança, quais os partidos parceiros e as figuras políticas que ainda comporão essa estrutura de coordenação, de orientação política para as eleições de 2022.

A minha vida pública sempre foi pautada em projetos de resultados

O sr. ocupou vários cargos no governo, mas manteve desde o início a responsabilidade pela coordenação política. Qual vai ser a sua missão na campanha, que cargo deve ocupar, será o coordenador geral?

Eu sou um soldado do projeto. A determinação do governador é minha orientação, hoje. O que ele definir nós estaremos aí de prontidão para poder dar a nossa contribuição maiúscula, como sempre. A minha vida pública sempre foi pautada em projetos de resultados. E é isso que nós queremos construir, um Tocantins bem melhor para a nossa gente, de respeito, de dedicação e de resultado como eu sempre falo.