Os motoristas que trabalham no governo do Estado estão sem receber diárias desde o início do ano, segundo de­núncia do presidente do Sin­dicato dos Motoristas Oficiais do Estado do Tocan­tins (Si­moeto), Cleber Camargo.

Desvalorização

Além da “queda brusca nos salários”, Cleber Camargo reclama ainda das condições de trabalho, porque segundo ele, a frota de carros oficiais está em péssimas condições. Conforme suas contas, o Estado conta com cerca de 1000 motoristas, entre concursados e comissionados.