Iniciado o vazio sanitário do algodão no Tocantins

Cotonicultores estão proibidos de manter o plantio até o dia 20 de novembro, para controlar a principal praga que ataca a cultura, o bicudo do algodoeiro

Lavoura de algodão: cultura suspensa temporariamente | Foto: Anderson Onofre

Iniciou-se na sexta-feira, 20, o período do vazio sanitário do algodão no Tocantins, que segue até o dia 20 de novembro, conforme prevê a Instrução Normativa nº 05 de 1º/04/2019. Com isso, os cotonicultores estão proibidos de manter o plantio da oleaginosa. Segundo a Agência de Defesa Agropecuária do Tocantins (Adapec) esta medida é fundamental para prevenir e controlar o bicudo do algodoeiro, a principal praga que ataca a cultura.

A Adapec é o órgão responsável pelo monitoramento e fiscalização no campo para garantir que não haja plantas com risco fitossanitário durante o vazio sanitário. Durante o vazio sanitário, a Adapec irá fiscalizar essas áreas, orientando os produtores da importância da eliminação de todas as plantas com risco fitossanitário por meio de controle químico ou mecânico. Vale ressaltar que em caso de presença, o processo de eliminação é de responsabilidade do proprietário ou ocupante da área, e que, conforme a legislação, o produtor que for notificado pela Agência, e não eliminar as plantas estará sujeito a sanções previstas em lei.

O presidente da Adapec, Alberto Mendes da Rocha, disse que o objetivo da implantação do vazio sanitário na cultura do algodão é garantir que o cultivo da cultura que está iniciando no Estado tenha um sistema de controle que quebre o ciclo da praga, garantindo que os produtores de algodão não tenham prejuízos econômicos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.