Imagem no WhatsApp sobre prisão decretada do governador Mauro Carlesse é falsa

Print compartilhado no aplicativo de mensagem e nas redes sociais noticia que chefe interino do Executivo do Tocantins seria detido nos próximos cinco dias e usa nome do Jornal Opção

Imagem com informação falsa que se utiliza de link de uma matéria do Jornal Opção circula por grupos de aplicativos e redes sociais | Imagem: Reprodução/WhatsApp

Com uso do link da matéria “Operação da PF no Palácio Araguaia buscou provas de aliciamento eleitoral”, escrita na manhã desta sexta-feira (15/6) pelo repórter Dock Jr., uma imagem com uma notícia falsa tem circulado nas redes sociais e é compartilhada pelo aplicativo de mensagens WhatsApp. O conteúdo da informação inverídica avisa, com uso de letras maiúsculas e discurso sensacionalista, o seguinte: “PRISAO DO GOVERNADOR INTERINO CARLESSE DEVE SER DECRETADA PREVENTIVAMENTE NOS PRÓXIMOS 5 DIAS PELA PRÁTICA DE CONDUTAS CRIMINOSAS JÁ EM SUA GESTÃO !!!”.

A informação é falsa, já que o link publicado na imagem junto à frase – recheada de sensacionalismo e falta de acentuação – diz respeito ao mandado de busca realizada por operação da Polícia Federal para verificar se houve o pagamento de R$ 1,78 milhão em emendas parlamentares a projetos não prioritários, o que pode ter descumprido a liminar que determinava apenas gastos com despesas essenciais ao governo do Tocantins desde a cassação de Marcelo Miranda (MDB) do cargo de governador.

No final do texto, a matéria do Jornal Opção descreve o que pode – o que não é possível dizer se irá ser a decisão da Justiça – acontecer com o governador interino. “Se o candidato obteve ganhos eleitorais com o pagamento das referidas emendas, é questão meritória do processo que não se pode aqui mensurar, mesmo porque essa obrigação é da Justiça. Entretanto, uma vez mais, se repete a história de uma eleição com suspeita de crime eleitoral e que poderá – pela terceira vez – resultar numa cassação do chefe do poder executivo do Tocantins.”

Em nenhum momento a publicação do Jornal Opção afirma que a Justiça determinará a prisão preventiva do governador interino Mauro Carlesse (PHS) nos próximos cinco dias, como diz o texto da imagem que usa o link da matéria deste veículo de comunicação, mas que há a possibilidade de cassação – o que ainda também não se sabe se irá acontecer.

Carlesse, que disputa o segundo turno das eleições suplementares para governar o Estado até o dia 31 de dezembro de 2018, ainda não foi punido pelo Judiciário com base na busca e apreensão realizada pela Polícia Federal no Palácio Araguaia, secretarias estaduais, três prefeituras tocantinenses e na Redesat.

A busca e apreensão foi determinada pela corregedora Regional Eleitoral Angêla Prudente após denúncias apresentadas pelo adversário nas eleições suplementares, o senador Vicentinho Alves (PR).

“Neste ponto, não cabe aqui analisar se a denúncia foi realizada pelo candidato adversário, por outro agente político, órgãos de controle ou qualquer pessoa da comunidade. O fato é que de acordo com os documentos e publicações oficiais – entre os quais o próprio portal da transparência – do governo do Estado do Tocantins, houve pagamentos de emendas parlamentares não prioritárias referentes a temporada de praia, shows artísticos em exposições agropecuárias e festas de aniversário de municípios. Neste caso, não restam dúvidas que houve desobediência à primeira ordem judicial, que proibia – terminantemente – pagamento de despesas não consideradas urgentes”, escreve Dock Jr. na matéria publicada pelo Jornal Opção.

Portanto, a informação “PRISAO DO GOVERNADOR INTERINO CARLESSE DEVE SER DECRETADA PREVENTIVAMENTE NOS PRÓXIMOS 5 DIAS PELA PRÁTICA DE CONDUTAS CRIMINOSAS JÁ EM SUA GESTÃO !!!”, que se aproveita do link de uma matéria do Jornal Opção para tentar ganhar credibilidade, não foi noticiada pelo Jornal Opção ou trata-se de uma informação apurada pelo veículo.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.