Governo estadual capacitou 360 trabalhadoras em um ano

Marcelo Miranda e trabalhadoras: inclusão

O projeto Jeito de Mulher, promovido pelo governo do Tocantins, por meio da Secretaria de Estado do Trabalho e da Assistência Social (Setas), foi lançado em março de 2016, proporcionando a quebra de paradigmas e comprovando a capacidade e a destreza feminina em desenvolver trabalhos em áreas ainda dominadas por homens.

Em um ano, já foram capacitadas 360 mulheres nas cidades de Araguaína, Araguatins, Dianópolis, Guaraí, Gurupi, Palmas, Paraíso do Tocantins e Porto Nacional. Os cursos oferecidos são de eletricista de instalações comerciais e residenciais, instalador de alarme residencial, mecânica de manutenção de motocicletas, pedreiro e produção de derivados do leite. A meta é que os mesmos encerrem até julho deste ano.

“A marca do Governo do Estado foi impressa em cada cidade que chegamos com o projeto Jeito de Mulher. Nos municípios, percebemos as novas oportunidades de emprego que surgiram para elas, para além do salto na melhoria da qualidade de vida das famílias atendidas pelo projeto”, pontuou a gestora da Setas, Patrícia do Amaral.

Além de propiciar uma carreira que contrapõe ao estereótipo de “vagas só para homens”, o governo tem incentivado as mulheres a conquistarem espaço no mercado de trabalho, como por exemplo, no curso de mecânica de manutenção de motocicletas, finalizado na semana passada.

Embora existam olhares “tortos” para as mulheres que estão executando essas atividades estereotipadas, o governo do Estado aposta seriamente nessas profissionais, e tem estimulado o empreendedorismo nesse setor.

No mês de fevereiro, o Banco do Empreendedor (BEM), por meio de parceria com a Setas, expandiu sua linha de crédito financeira para todas as profissionais que fizeram o curso do Jeito de Mulher, bem como para aquelas que fizeram outras capacitações oferecidas pela Setas. As interessadas no recurso poderão iniciar o próprio negócio com um empréstimo inicial concedido pelo Banco, que varia entre R$ 3 mil e R$ 10 mil. O acesso ao dinheiro é menos burocrático e os juros são baixos, conforme informou o presidente do BEM, Acy de Carvalho Fontes. “Como políticas públicas voltadas para as mulheres no tocante ao emprego, o governador Marcelo Miranda pediu para que trabalhássemos de forma conjunta de modo que as habilidades delas não ficassem apenas em um diploma pendurado na parede, mas sim que fossem transformadas em um negócio, e esse empreendimento resulte em emprego e renda”, enfatizou a secretária Patrícia do Amaral.

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.