Gilmar Mendes nega pedido de efeito suspensivo para Marcelo Miranda e Cláudia Lelis

Novas eleições estão marcadas para o dia 3 de junho

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes | Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes negou pedidos do MDB de Tocantins e da vice-governadora afastada, Cláudia Lelis (PV), de efeito suspensivo ao recurso que questiona a decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) de cassar o diploma do governador Marcelo Miranda (MDB) e sua vice.

As petições alegam que a alternância da chefia do Poder Executivo do Estado é “indesejável” e argumentam que, na decisão do TSE, “contém vícios que certamente levarão ao provimento do recurso interposto”, além de não haver provas robustas, mas sim um conjunto de indícios.

Para Gilmar Mendes, a decisão do tribunal é sustentada por “uma miríade de provas técnicas, testemunhais e documentais”. “Ante todo o exposto, apesar de parecer inadequada a realização de eleições diretas às vésperas das eleições gerais, indefiro o efeito suspensivo”, disse o ministro.

Marcelo Miranda e Cláudia Lelis foram cassados no dia 22 de março sob a alegação de arrecadação ilícita de recursos. Novas eleições estão marcadas para o dia 3 de junho.

 

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.