Eduardo Gomes se consolida como a maior liderança política do Tocantins

Ele apoiou vários aliados e correligionários vencedores pelo Estado do Tocantins, entre os quais, Wagner Rodrigues (SD) em Araguaína e Carlinhos da Nacional (MDB) em Miranorte

Conhecido pela ímpar habilidade e capacidade de articulação, o senador Eduardo Gomes (MDB) pode ser considerado o grande vencedor das eleições municipais de 2020, mesmo sem ter registrado candidatura. Ele apoiou vários aliados e correligionários vencedores pelo Estado do Tocantins, entre os quais, Wagner Rodrigues (SD) em Araguaína, Carlinhos da Nacional (MDB) em Miranorte, Camila Fernandes (MDB) em Miracema, Celso Morais (MDB) em Paraíso, Josi Nunes (PROS) em Gurupi e Cinthia Ribeiro (PSDB), com seu irmão André Gomes (Avante) de vice, em Palmas.

A maior vitória, inquestionavelmente, foi a da capital, uma vez a prefeita enfrentava profunda rejeição, pois foi eleita por 36,24% e rejeitada por 63,76% da população. A vitória só foi possível em razão da pulverização de candidatos, que fragmentaram muito a oposição. Eduardo Gomes teve participação ativa nesta campanha vitoriosa. 

Gomes seria o candidato natural do Palácio Araguaia em 2022?

A trajetória recente de Gomes é admirável. Já no primeiro mandato, conseguiu seu lugar na Mesa Diretora do Senado. Logo após, emplacou a liderança do governo do presidente Bolsonaro no Congresso Nacional. Enfim, ele ocupa espaços nunca antes ocupados. Não obstante a isso, também goza da confiança do atual governador, como também do apoio dos prefeitos eleitos nas maiores cidades do Tocantins. Por tudo isso, Gomes seria o candidato natural a governador do Estado do Tocantins em 2022? Não é tão certo quanto parece. 

Seria um caminho natural se não houvesse a possibilidade de Gomes ser alçado à presidência do senado para o biênio 2021/2022. Trata-se de um nome forte, tanto dentro do MDB quanto fora dele. Caso Gomes se torne presidente do Senado, todas as pautas – bombas ou não! – estariam nas mãos dele para serem colocadas em discussão ou votadas em plenário em 2022. Neste caso, as decisões de Gomes certamente iriam interferir na reeleição – ou não – do presidente Bolsonaro. Para blindar e garantir a reeleição do chefe da república, Eduardo Gomes poderia sacrificar e adiar seu projeto pessoal de se tornar governador em 2022. 

Procurado, estrategicamente Eduardo Gomes não quis tecer comentários sobre a sua candidatura à presidência do Senado. O que se pode apurar é que ele só se manifestará quando o MDB fechar questão em torno do nome dele. Há outros candidatos dentro da própria sigla – como Simone Tebet (MS), Eduardo Braga (AM) e Fernando Bezerra (PE) – contudo Gomes teria melhor trânsito junto à esquerda, como também junto a outros grupos dissonantes. O fato de ser da confiança do presidente e, também, do próprio “Centrão” também conta pontos preciosos para o tocantinense. 

Ainda há muito para acontecer, contudo, a sucessão do governo do Tocantins em 2022, está diretamente relacionada à eleição de presidente do senado, prevista para fevereiro de 2021. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.