Deputado denuncia esquema de “bandidagem eleitoral” na região do Bico do Papagaio

No decorrer da campanha deste ano, vários candidatos da região desistiram da disputa eleitoral sob a alegação de que a diferença de poder econômico torna a luta desigual

Tocantins_1885.qxd

Mesmo reeleito, José Bonifácio não deixou de denunciar aquilo que chamou de “compra descarada de votos”

Gilson Cavalcante

As eleições proporcionais deste ano podem ter sido a mais cara da história do Tocantins, o que levou alguns candidatos, no meio da campanha eleitoral, a desistirem da disputa sob a alegação de que estariam numa aguerrida luta desigual, tamanho o derrame de dinheiro, principalmente na região do Bico do Papagaio, uma das mais pobres do Estado.

Ainda no decorrer da campanha, surgiram denúncias de que naquela região o abuso de poder econômico não tinha nenhum controle. Candi­datos que disputavam uma das 24 vagas de deputado estadual – alguns tentavam a reeleição – pela coligação governista se viram como verdadeiros adversários. Vendo sua reeleição sendo ameaçada pelo que classificou de compra descarada de votos por correligionários, o deputado José Bonifácio (PR) pôs a boca no trombone.

O assunto voltou à tona na Assembleia Legislativa, dez dias após o resultado das eleições. Reeleito, Bonifácio voltou a denunciar o que denominou de crime eleitoral. Sem citar nomes, o parlamentar disse que um candidato, a quem chamou ironicamente de “príncipe”, deixando implícito que se tratava de Eduardo Siqueira Campos (o mais votado), chegou a oferecer 15 mil para uma presidente de colônia de pescadores.

Bonifácio não poupou críticas também ao colega Amélio Cayres (reeleito) ao acusar que assessores deste tentaram tomar os votos dele em Tocantinópolis, principal base eleitoral do parlamentar do PR. Denunciou ainda o deputado eleito Olyntho Neto que, segundo ele, conseguiu “milionariamente” comprar alguns votos dele. “Consegui vencer porque sou mais duro que a rocha”, desabafou.

Polêmico por suas posições, Bonifácio disse que predominou nessa campanha eleitoral, na região do Bico do Papagaio, o “engodo, a mentira e o abuso de poder econômico”. “Meu partido errou ao nos jogar num chapão suicida na intenção de eleger um deputado federal que nem chegou perto”, observou o parlamentar. “Fui dado como derrotado, mas fiz uma eleição contra tudo e todos. Fui perseguido na minha região, onde compraram votos dos meus amigos”, acrescentou Bonifácio, que rompeu com o siqueirismo ainda durante a campanha eleitoral.

Acusados exigem provas

O deputado Amélio Cayres (SD) utilizou da seguinte retórica para responder às acusações de Bonifácio: “Eu parto do princípio de que ninguém toma ninguém de ninguém, apenas ocupa o espaço que estava desocupado e foi isso o que aconteceu”. Cayres exigiu do colega provas de que praticou crime eleitoral.

Na réplica, da tribuna, Bonifácio ameaçou denunciar Cayres formalmente no Ministério Público Eleitoral. “Posso provar que, pelo menos, três pessoas de sua assessoria compraram votos lá em Tocan­tinópolis. Não estou de brincadeira, o que aconteceu em Tocantinópolis foi bandidagem”, engrossou.

Em nota à imprensa, Eduardo Siqueira Campos (PTB) retrucou as acusações de Bonifácio argumentando que em todas as eleições, “tanto o deputado José Bonifácio quanto o companheiro querido Fabion Gomes fizeram questão da presença minha e de meu pai em seus palanques. Assim foi nas vitórias e também nas derrotas”, o que, no seu en­tendimento, é a demonstração de que ele (Bonifácio) reconhece “a nossa história política, as realizações, todas em prol do povo tocantinense”.

A exemplo do deputado Amélio Cayres, Eduardo Siqueira também desafiou Bonifácio a apresentar provas de que ele praticou compra de votos no Bico do Papagaio. “Para se fazer acusações o caminho correto é procurar o órgão responsável, sempre munido das devidas provas. Ao se utilizar da Tribuna, suas acusações tornam-se meras elucubrações que desmerecem o resultado das eleições e se configuram como um ato desrespeitoso aos 28.841 eleitores que me escolheram para representá-los”, disse Eduardo.

Uma resposta para “Deputado denuncia esquema de “bandidagem eleitoral” na região do Bico do Papagaio”

  1. Gilvan Nolêto disse:

    Bonifácio detém uma postura independente desde o princípio deste mandato, é polêmico mas sabe negociar bem, é o mais preparado em conhecimento jurídico e tem toda uma bagagem para ser o próximo Presidente da Assembleia Legislativa do Tocantins.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.