Carlesse quer esfriar o calor político

Na disputa do 2º turno da eleição suplementar, governador tenta pôr calma no ambiente político para concluir mandato-tampão, mas o adversário Vicentinho Alves endurece nas críticas à gestão do interino

O candidato que ganhou o primeiro turno da eleição suplementar, governador interino Mauro Carlesse (PHS), retomou o discurso da “estabilidade” para defender a confirmação de sua eleição no segundo turno. Apesar de ressaltar, constantemente, esta necessidade, o gestor criticou o posicionamento dos “adversários” que, segundo ele, tentam “engessar o governo”. “Quem está preocupado com o Estado está nos ajudando. O Tocantins precisa superar esse momento difícil. Agora é uma gestão de transição”, comentou.

Na verdade, Carlesse quer acalmar o ambiente político, o que lhe é interessante. Ele tem destacado que essa eleição suplementar é para um mandato de apenas seis meses e que, neste momento, o Executivo precisa atender as demandas mais urgentes. “Toda ação do governo depende da estabilidade. O que mais prejudicou o Tocantins nos últimos anos foi a falta de projetos, de planejamento e as muitas trocas de governo em pouco tempo. Isso causa insegurança jurídica. O Tocantins não aguenta mais isso”, avalia.

Nesse sentido, o governador interino afirma em algo e bom som: “Não sou de fazer promessas, sou de trabalhar. E nossas ações visam manter a economia do Estado funcionando, retomando obras, pagando os servidores e os fornecedores em dia. Realizando as cirurgias nas pessoas que estavam esperando há quase quatro anos, renegociando dívidas, resgatando a credibilidade do Estado”.

Apesar de interino, Carlesse diz que projetos de desenvolvimento virão a médio e longo prazos, e serão consequência do trabalho realizado neste momento. “Com o Estado estabilizado vai ser possível desenvolver projetos para a retomada do crescimento. Mas para isso, temos que equilibrar as contas, reduzir as despesas do Estado, pagar os fornecedores e captar recursos”, explica.

Os apoios a Carlesse têm crescido nos últimos dias: na terça-feira, 12, a chapa liderada pelo governador interino recebeu o apoio da vereadora Vanda Monteiro (PSL), garantindo assim 7 dos 19 legisladores da capital. A parlamentar era da base de Carlos Amastha (PSB) quando prefeito, contudo ela revelou ao candidato que não poderia ficar de fora do processo eleitoral em um momento importante para o Estado.

“Apoiamos o projeto de Car­lesse pela estabilidade e o crescimento do Tocantins. Estamos juntos nesse segundo turno pensando no melhor para a população do Estado”, disse a vereadora.
Além de Vanda Monteiro, apoiam Mauro Carlesse os vereadores Léo Barbosa (SD), Marilon Barbosa (PSB), Milton Neres (PP), Rogério Freitas (PMDB), Vandim do Povo (PSDC) e, surpreendentemente, Laudecy Coimbra (SD), que sempre se posicionou intransigentemente ao lado de Amastha.

Mauro Carlesse agradeceu o apoio de Vanda Monteiro e dos demais parlamentares, por considerar importante uma base forte na capital. “São líderes importantes que estão acreditando em nosso projeto. Isso nos dá mais confiança ainda de que vamos conseguindo colocar o Tocantins no rumo certo”, pontuou.

Deixe um comentário