Câmara de Palmas promove encontros para discutir meio ambiente e saúde pública

Reunião contou com participação de membros de órgãos de fiscalização, representantes da sociedade civil organizada, como também dos executivos da concessionária

A Comissão de Administração da Câmara Municipal de Palmas realizou reunião pública na quarta-feira, 19, cujo debate principal tratou dos serviços de fornecimento de água e tratamento de esgoto ofertados pela empresa BRK Ambiental na capital.

O encontro contou com a participação de membros de diversos órgãos de fiscalização, representantes da sociedade civil organizada, como também dos executivos da concessionária, que explanaram sobre a captação e o tratamento de esgoto no município.

A BRK ambiental foi representada pelo seu diretor presidente, Thadeu Pinto, que compareceu acompanhado por vários membros da equipe técnica. “É importante a participação da Câmara Municipal na fiscalização de nossos serviços, seja diretamente em visitas ‘in loco’ nas nossas instalações ou por meio de encontros como esse, que são muitos importantes para que possamos aperfeiçoar nossos serviços”, discorreu o diretor.

O autor do requerimento da reunião, Filipe Fernandes (DC), presidente da Comissão de Administração, cobrou solução rápida para solucionar o problema. “Não podemos mais somente sentar e discutir essa situação simplesmente para alcançar mídia. Temos de encontrar uma solução rápida, o mais breve possível, pois estamos vendo nossas águas serem contaminadas por tudo que não presta, desde fezes de fossas sépticas a produtos químicos que são despejados pela BRK.”

“Fico muito triste com o que esta acontecendo com moradores do Setor Bertaville, que sofrem com mau cheiro diário, sem condições mínimas para viver com dignidade. Enquanto isso, essa empresa tem faturamento milionário e nada faz para resolver essa situação”, denunciou Fernandes.

Prestação de contas da saúde municipal

Já na quinta-feira, 20, ocorreu uma audiência pública para apresentação do relatório de prestação de contas do terceiro quadrimestre do exercício de 2019, sobre as ações e os serviços de saúde da Gestão dos Programas do Sistema Único de Saúde (SUS).

Segundo o relatório apresentado pelo secretário municipal de Saúde, Daniel Borini, no terceiro quadrimestre de 2019 a pasta contou com o montante de mais de R$ 97 milhões. 54,11% do recurso são repasses do município, 40,67% verba federal, 4,56% estadual, 0,34% do petróleo e 0,32% de convênios.

Ainda de acordo com o mesmo documento, a receita total de 2019 foi de quase R$ 229 milhões, tendo como a maioria deste valor a fonte de recursos próprios. “No ano passado conseguimos executar mais de 94% do orçamento, o que é muito bom. O resultado nos permite sonhar para este ano. Por causa dos ajustes, hoje é possível fazer melhores investimentos na rede”, explicou o secretário.

Outro ponto enfatizado por Daniel foi o horário de funcionamento ampliado em algumas unidades de saúde para as 21 horas. O secretário disse que o funcionamento será expandido para a maioria das unidades da capital no mês de março.

“A ação prioritária é fortalecer a atenção primária – mesmo que traga um ônus financeiro. Acreditamos que isso melhora a qualidade do serviço, que aumentou consideravelmente no terceiro quadrimestre. A procura é muito grande nos horários alternativos.”

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.