Avelar confiou no PPS e ficou na chapada

A tão propalada candidatura do procurador da República Mário Lúcio Avelar ficou pelo caminho, atropelada pelo fisiologismo, uma doença grave que acomete a maioria dos partidos do Tocantins. O procurador anunciou a desistência acusando a executiva nacional do PPS de não cumprir a palavra dada de que teria legenda para disputar as eleições. Avelar ficou na chapada, como dizem por aqui, e ainda foi usado ao associar a sua imagem de homem público combativo com a de um partido vazio de conteúdo ideológico e governista por excelência.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.