A eleição da chapa única ocorreu em sessão extraordinária, contudo, a posse da nova Mesa Diretora ocorrerá apenas em 2021

Antonio Andrade: mandato renovado com antecedência | Foto: Asleto

Por unanimidade, os deputados estaduais do Tocantins elegeram a Mesa Diretora da Assembleia Legislativa para a 3ª e 4ª Sessões Legislativas da 9ª Legislatura (biênio 2021/2022), O atual presidente, deputado Antonio Andrade (PTB), foi reconduzido ao cargo.

A eleição da chapa única ocorreu em sessão extraordinária realizada na terça-feira, 7, contudo, a posse da nova Mesa Diretora do Poder Legislativo Tocantinense ocorrerá apenas no início do ano legislativo, em fevereiro de 2021.

Durante breve balanço que fez de sua administração até agora, Andrade ressaltou a interlocução entre os Poderes Executivo e Judiciário, afirmando que quer avançar ainda mais. “Os próximos anos serão desafiadores. Precisamos de união para combater o coronavírus e lutar por investimentos do Estado para a recuperação da nossa economia”, ressaltou.

A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa do Tocantins para a 3ª e 4ª Sessões Legislativas da 9ª Legislatura (biênio 2021/2022) se formou assim:

Presidente: Antônio Andrade (PTB)

1º vice-presidente: Cleiton Cardoso (PTC)

2º vice-presidente: Leo Barbosa (SD)

1º secretário: Jair Farias (MDB)

2º secretário: Valdemar Júnior (MDB)

3ª secretária: Vanda Monteiro (PSL)

4ª secretária: Amália Santana (PT)

Encerramento do semestre Legislativo

Nas duas sessões, uma ordinária e outra extraordinária, realizadas também terça-feira, dia 7, na Assembleia Legislativa (Aleto), os deputados aprovaram várias matérias relevantes para o Estado tempo, ao tempo em que se encerraram as atividades do primeiro semestre de 2020. Entre as proposituras estão duas medidas provisórias que autorizam gratificações a servidores da saúde estadual que trabalham diretamente com pacientes da Covid-19.

Entre outras matérias, uma de autoria do deputado Ricardo Ayres (PSB), aprovou o Projeto de Emenda Constitucional (PEC) que altera o parágrafo 1º do artigo 24 da Constituição Estadual, permitindo que o suplente de deputado assuma o mandato do titular nas licenças superiores a 60 dias. A Constituição previa a posse do suplente só no caso de a licença superar 120 dias.