O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) e o Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas do Estado de Goiás (Cimehgo) alertam para chuvas intensas no Estado de Goiás no decorrer dessa semana. “Ainda com a influência da frente fria que avança pela região sudeste do Brasil, o que vai favorecer o aumento de nebulosidade sobre o nosso Estado, com isso teremos pancadas de chuvas em diversas regiões”, explicou. Confira ao final quais serão os municípios mais afetados.

O Instituto alerta ainda que podem vir acompanhadas de rajadas de vento (acima de 60 km/h) e raios. O município de Jataí, em Goiás, já iniciou a semana com chuvas intensas, registrando 90mm de volume pluviométrico nesta segunda-feira, 22. A capital goiana ainda não registrou chuvas, mas há previsão para variação de nebulosidade, sol e pancadas de chuvas isoladas na próxima terça-feira, 23.

As regiões mais afetadas serão: Norte Goiano; Centro Goiano; Sul Goiano; Noroeste Goiano e Leste Goiano. Confira abaixo os municípios. As chuvas devem persistir até a próxima sexta-feira, 26.

Regiões afetadas pelas chuvas intensas. | Cimehgo

Municípios goianos mais afetados

  • Alto Horizonte
  • Amaralina
  • Amorinópolis
  • Aporé
  • Aparecida do Rio Doce
  • Aragarças
  • Araguapaz
  • Arenópolis
  • Aruanã
  • Aurilândia
  • Baliza
  • Barro Alto
  • Bom Jardim de Goiás
  • Bonópolis
  • Britânia
  • Buriti de Goiás
  • Cachoeira de Goiás
  • Caçu
  • Caiapônia
  • Campinorte
  • Campinaçu
  • Campos Verdes

Plano de Drenagem em Goiânia

Nos próximos anos, as mudanças climáticas poderão aumentar de 10% a 15% a intensidade das chuvas em Goiânia. Como tem sido observado recentemente devido à instabilidade no regime pluviométrico, espera-se que o volume de precipitação seja despejado de maneira mais concentrada, em intensas pancadas, embora breves. No entanto, o fenômeno global, agravado nesta temporada pelo El Niño, está longe de ser o principal problema ambiental da cidade. O que pode agravar a situação para a população são as deficiências nas políticas públicas, ou melhor dizendo, a sua ausência.

Sua importância como política pública diante do quadro de mudanças climáticas faz agora com que o Plano de Dregagem na capital sejam objeto de uma série de reportagens especiais que o Jornal Opção publica desde a semana passada, com o objetivo de jogar luz sobre o assunto.