Tecnocracia adotada em Trindade garante moralidade fiscal e avanço expressivo da receita

Modelo implantado pelo secretário municipal de Finanças colocou a casa em ordem e possibilitou acompanhamento das necessidades da população

Wagner Alves (foto), secretário municipal de Finanças, foi aposta do prefeito Jânio Darrot (PSDB) que deu certo para botar a casa em ordem | Foto: Jaqueline Costa

Fábio PH
Especial para o Jornal Opção

O prefeito Jânio Darrot (PSDB), de Trindade, credita muito o seu acerto na gestão da Secretaria Municipal de Finanças ao confiar para o posto de secretário o administrador e especialista em gestão de patrimônio Wagner Alves. Em dia de prestação de contas para populares, colaboradores e autoridades da cidade, Wagner agradeceu a Jânio pela confiança e valorizou o sincronismo e o esforço de toda a sua equipe, bem como as parcerias com outras áreas da gestão.

Tecnocracia é o sistema de organização política e social fundado na supremacia dos técnicos. Já em nossa época, os administradores do executivo, que encontraram a sua síntese na chamada tecnocracia, procuram substituir os políticos no domínio da gestão financeira, com a reiterada invocação da racionalidade e, sobretudo, da eficiência.

A gestão pública se encontra, atualmente, diante da necessidade de acompanhar a evolução tecnológica e com isto, as exigências de uma população cada vez mais informada, engajada. Além disso, enfrenta outros grandes desafios, como a crescente pressão sobre recursos, necessidade de alternativas viáveis de investimento, manutenção dos serviços essenciais à população e a promoção do crescimento do município de forma racional e eficaz.

A Prefeitura de Trindade faz-se exemplo financeiro por expandir todos os índices de receitas e aproveitamento de capital, o que proporcionou a maior e mais competente prestação de serviços e realização de obras em toda a história do município. E não foi algo herdado. Jânio e Wagner não encontraram nada organizado.

No início de 2013, quando assumiram, a Prefeitura de Trindade estava toda negativada, devendo muito. Com salários atrasados, nada funcionava na saúde, sem profissionais e unidades sucateadas. Na educação, escolas precárias e professores desmotivados recebendo abaixo do piso. Em infraestrutura, vias esburacadas e 25 bairros tradicionais sem pavimentação. Um péssimo cenário em todas as áreas.

Em apenas seis anos, colhendo os resultados da competência, da seriedade, da honestidade, do comprometimento no controle e incremento do erário de Trindade, a situação é absolutamente diferente e o município está enquadrado como referência em gestão pública no cenário estadual e nacional.

Agradecimentos
Em sua prestação de contas, Wagner apresentou organogramas das superintendências, enalteceu o trabalho do setor de captação de verbas através de emendas e convênios com a União e com o Estado. Agradeceu o apoio do Legislativo trindadense, que estava representado na oportunidade por vários vereadores e pelo presidente da Câmara, vereador Hélio Braz (PSDB). “A Câmara Municipal esteve firme, votando por Trindade, apoiando decisões corajosas como a atualização da planta de valores dos imóveis, 15 anos defasada”, declarou Wagner.

O secretário pediu palmas para a regularização e sustentação positivada do CAUC, sistema que reúne informações do município sobre o cumprimento de requisitos fiscais necessários à transferência de recursos federais. “Sem o CAUC não teríamos conseguido firmar os convênios que nos proporcionaram, proporciona expressivos recursos.”

De forma eloquente, o administrador foi merecedor de fortes aplausos ao declarar que, mesmo atravessando uma das maiores crises financeiras da história do Brasil, Trindade saiu de um faturamento anual de R$ 125 milhões em 2013 para previstos R$ 209 milhões em 2018.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.