Sebrae promove Empretec para capacitar empresários em Goiás

Realizado há mais de duas décadas no Brasil, seminário com metodologia desenvolvida pela ONU já foi ministrado em cerca de 40 países

O Sebrae intermediou a chegada do Empretec ao Brasil, capacitando cerca de 250 mil pessoas em todo o País | Foto: Jornal Opção

Fernanda Garcia

Despertar o espírito empreendedor é um dos principais fundamentos do Empretec, seminário internacional oferecido pelo Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas em Goiás (Sebrae-GO), que será realizado em Goiânia, entre os dias 18 e 23 de junho. O curso é baseado em uma metodologia desenvolvida pela Organização das Nações Unidas (ONU) e já foi realizado em cerca de 40 países. No Brasil, o Sebrae intermediou a chegada do seminário, capacitando empresários e potenciais empreendedores para expandirem ou mesmo começarem seu próprio negócio.

Em 2017, foi registrada em Goiás a abertura de mais de 20 mil empresas, de acordo com um levantamento da Junta Comercial do Estado de Goiás (Juceg). São 55 novos negócios por dia. A formalização, no entanto, é apenas o primeiro passo. O próximo desafio é ampliar o empreendimento e torná-lo bem-sucedido. Para obter esse êxito, é primordial a busca por capacitação, como afirma ao Jornal Opção a analista do Sebrae-GO e gestora do Empretec, Cleonice Silva. “Em um mundo que está sempre se transformando, é importante, especialmente para os empreendedores, procurar novos conteúdos e novas práticas de mercado”, afirma.

Com 25 anos de história, o Empretec trabalha o aspecto comportamental. De acordo com Cleonice, o curso é menos focado em técnicas administrativas e mais centrado em atitudes empreendedoras. De acordo com a analista, a partir de uma pesquisa com empresários de todo o mundo, a ONU percebeu que existiam alguns atributos em comum na conduta daqueles que geriam negócios mais prósperos. A partir disso, a organização desenvolveu o seminário, cujo objetivo é dar condições de aprimoramento desses atributos aos seus participantes. Entre eles, conforme a gestora, estão o estabelecimento de metas e a persistência no relacionamento com o cliente.

Cerca de 250 mil pessoas já foram capacitadas pelo Empretec, em mais de 10 mil turmas espalhadas pelos 27 Estados do País. Segundo dados do Sebrae, o seminário recebe em torno de 10 mil participantes por ano. E a boa recepção entre o público é grande. Uma pesquisa da instituição realizada com cerca de 2,5 mil clientes atendidos revelou que a satisfação geral com o seminário é bastante positiva, com nota média de 9,1 pontos. Segundo o levantamento, 74% dos pesquisados atribuíram notas 9 ou 10.

Autoconhecimento

O empresário Hugo Makss afirma que o Empretec o ajudou a aperfeiçoar suas técnicas de gestão | Foto: Reprodução

Em abril deste ano, o proprietário da Valorize Apoio Administrativo, Hugo Makss, foi um dos participantes do Empretec, em Goiânia. O empresário comanda um negócio que oferece suporte administrativo para outras empresas e decidiu aperfeiçoar suas técnicas enquanto gestor. Segundo ele, o seminário possibilitou a identificação de um estilo próprio de gerenciamento e de falhas que poderiam ser reparadas. “O curso me fez identificar os pontos fortes que eu tenho como empreendedor e também os pontos e as características que necessitam ser melhoradas”, diz.

Para Hugo Makss, ações como essa abraçam a coragem e o sonho do empreendedor de maneira responsável e segura. O empresário destaca que as orientações proporcionam um melhor desempenho na condução dos negócios, como o estabelecimento de objetivos bem definidos, melhor controle fiscal e uma gestão de relacionamentos mais acertada.

A autoavaliação também foi exercitada pela empreendedora Leila Dutra, diretora da Ative Educação, após realizar a capacitação. Dirigente de uma empresa voltada para a promoção de soluções de aprendizagem e treinamento para outros empreendimentos, Leila conta que passa agora por um processo de reestruturação. Confiante, ela assegura que tem determinado as metas com mais eficiência e tratado do planejamento com maior diligência. “A Ative terá um caminho muito próspero.”

“A Ative terá um caminho muito próspero”, afirma Leila Dutra sobre sua empresa após realizar o seminário | Foto: Reprodução

Com muitos planos, Marcos Braga foi outro empresário que buscou aprimoramento por meio do Empretec. Engenheiro e dono da Vale Braga, ele explica que o curso auxiliou no desenvolvimento de maior capacidade para gerir. “Essas ações configuram um elevado nível de capacitação, no qual o empreendedor cria uma percepção mais aguçada dos cenários desafiadores que ele tem pela frente”, explica. Além disso, o engenheiro aconselha àqueles que desejam embarcar na seara do empreendedorismo que procurem participar de projetos de capacitação.

No caso de Valéria Viana, que estava à frente da Exata Condomínios, a capacitação foi reveladora. “O Empretec foi um divisor de águas porque o curso me mostrou que eu poderia trabalhar em outras áreas”, afirma. Segundo a empresária, durante o seminário ela percebeu que aquele ramo não era exatamente o lugar onde queria estar. “A Exata agora ficou no passado e o Empretec vai me ajudar na empresa que irei abrir. Estou procurando novas parcerias e sociedades para outro negócio”, complementa.

Metodologia

Em 1993, o Sebrae trouxe para o Brasil o Empretec, um seminário de capacitação que intenciona desenvolver características de comportamento empreendedor em seus participantes. Como esclarece a analista da entidade e gestora do curso, Cleonice Silva, a metodologia foi desenvolvida pela ONU, que, após realizar uma pesquisa com vários empreendedores de diferentes países, percebeu que algumas características eram comuns aos empresários bem-sucedidos.

Em um vídeo disponibilizado pelo Sebrae de São Paulo, expõe-se que a sistematização teórica do curso é fundamentada também em um estudo executado por David McClelland, psicólogo pela Universidade de Harvard. O pesquisador colocou em prática uma análise sobre as chamadas Características Comportamentais do Empreendedor (CCE) e chegou à conclusão de que os empreendedores de sucesso apresentavam dez dessas características.

David McClelland, teórico responsável pelo estudo que deu origem à metodologia empregada pelo Empretec | Foto: Reprodução

Para McClelland, todo empreendedor comporta uma motivação interna para melhorar. Colocar essa motivação, portanto, no plano da ação seria a base da metodologia. No caso do Empretec, são 60 horas de curso durante seis dias de imersão em que o participante é instigado a desenvolver esses comportamentos empreendedores. De acordo com Cleonice, o objetivo é mostrar para o empreendedor essas características e aperfeiçoá-las.

10 COMPETÊNCIAS EMPREENDEDORAS

O pesquisador norte-americano David McClelland enumerou as principais características dos empreendedores de sucesso:

  1. Busca de oportunidades: Desenvolvimento da capacidade de se antecipar aos fatos e de criar oportunidades de negócios com novos produtos e serviços.
  1. Persistência: Desenvolvimento da habilidade de enfrentar obstáculos. O empreendedor não desiste diante de dificuldades.
  1. Comprometimento: Sacrifício pessoal, colaboração com os funcionários e bom relacionamento com os clientes.
  1. Exigência de qualidade e eficiência: Característica de melhorar continuamente seu negócio ou seus produtos, satisfazer e exceder as expectativas dos clientes.
  1. Correr riscos calculados: O empreendedor avalia os desafios. Procura e estuda alternativas para tomar decisões, busca reduzir as chances de erro e aceita desafios moderados.
  1. Estabelecimento de metas: Nenhuma das outras competências irá funcionar sem essa. É importante aqui que o empreendedor estabeleça objetivos que sejam claros para a empresa.
  1. Busca de informações: Buscar atualização constante de dados e informações sobre clientes, fornecedores, concorrentes e sobre o próprio empreendimento.
  1. Planejamento e monitoramento sistemáticos: O empreendedor desenvolve a organização de tarefas de maneira objetiva, definindo prazos e focando nos resultados.
  1. Persuasão e rede de contatos: Este comportamento envolve o uso de estratégia para influenciar e persuadir pessoas que possam ajudar no desenvolvimento do negócio.
  1. Independência e autoconfiança: Desenvolvimento de autonomia para agir e manter sempre a confiança. O empreendedor deve ser otimista e acreditar no sucesso de seu projeto.

Empretec trabalha características do comportamento empreendedor

Há mais de duas décadas o Sebrae aplica, por meio do seminário Empretec, uma metodologia que busca trabalhar em seus participantes características do comportamento empreendedor. “Iniciativa, persistência, qualidade, eficiência, compromisso, metas claras, planejamento, independência e autoconfiança são algumas dessas características”, destaca a diretora de administração e finanças da instituição, Luciana Albernaz.

Para a diretora, o intuito do Sebrae ao viabilizar esse tipo de programa de capacitação é apoiar os pequenos negócios para que as empresas permaneçam ativas no mercado. Luciana pontua que os pequenos empreendimentos constituem parcela significativa da movimentação econômica do País — representam 98,5% das empresas formalizadas. Esse número reflete na geração de 54% dos empregos formais, corresponde a 44% da massa salarial e 27% do Produto Interno Bruto (PIB).

Segundo a representante do Sebrae, o foco na capacitação está no desenvolvimento de características empreendedoras e também na identificação de novas oportunidades de negócios. Com o seminário, é possível que os empresários e aqueles que desejam empreender amadureçam suas ideias para que façam uma boa gestão de seus negócios. Conforme a diretora, esse é um dos principais compromissos do Sebrae. “Oferecer o Empretec é mais uma das formas que o Sebrae Goiás cumpre com a sua missão de promover a competitividade e o desenvolvimento sustentável dos pequenos negócios”, pontua.

Luciana Albernaz, diretora de administração e finanças do Sebrae Goiás | Foto: Divulgação/Sebrae

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.