Prefeitura aposta em agregar valor da sustentabilidade ao entregar pacote de obras

Semana do 82º aniversário de Goiânia teve várias ações e eventos, principalmente em torno da revitalização urbana, com a inauguração da nova Praça Cívica e de intervenções do complexo Macambira-Anicuns

A Praça Cívica na versão “requalificada”: saem os carros, voltam as pessoas | Fernando Leite/Jornal Opção

A Praça Cívica na versão “requalificada”: saem os carros, voltam as pessoas | Fernando Leite/Jornal Opção

Elder Dias

A semana do aniversário de 82 anos da fundação de Goiânia foi recheada de inauguração de obras por parte do prefeito Paulo Garcia (PT). Ao todo, mais de uma dúzia de obras foram entregues, em diversas áreas de atuação: educação, saúde, lazer, infraestrutura, meio ambiente etc., sob o tema “Goiânia 82 anos – o nosso futuro sustentável começa agora”.
O ato mais emblemático foi a entrega da renovada Praça Cívica à população, obra que foi levada adiante com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Cidades Históricas, do governo federal, e teve seu projeto bancado pelo Estado. Chamada de “requalificação urbanística da Praça Cívica” e com a meta de resgatar traçado histórico da cidade, devolvendo o espaço à população, a ação faz parte da busca por restabelecer a arquitetura original de Goiânia.

A ideia central do projeto foi “voltar no tempo” do desenho original da Praça Cívica — ou Praça Pedro Ludovico Teixeira, como depois foi rebatizada. Uma estátua dele, concebida pela escultura Neusa Moraes (que morreu em 2004) ganhou agora lugar de relevância, após anos “escondida” ao lado do palácio que também leva o nome do fundador da capital.
A maior mudança para o cidadão será em relação ao estacionamento no interior da praça, que não existe mais. Os veículos serão trocados pelas pessoas, na intenção da Prefeitura. A circulação de carros será restrita aos que forem acessar o Palácio das Esmeraldas. A revitalização da Praça Cívica começou em fevereiro de 2015, quando ela foi fechada para o acesso de veículos e cercada por tapumes. O projeto foi assinado pelo arquiteto Luiz Fernando Teixeira Cruvinel.

O prefeito Paulo Garcia, ao falar das obras mais recentes: destaque para a qualidade de vida

O prefeito Paulo Garcia, ao falar das obras mais recentes: destaque para a qualidade de vida

Desde o início se buscou como objetivo da obra resgatar o traçado histórico da cidade e devolver o espaço à população. A Praça Cívica, é bom que se diga, já desempenhou, especialmente até a década de 80, seu destino de ser “do povo”, como diz o verso famoso do poeta Castro Alves. Foi lá que, em 1984, se realizou o histórico primeiro comício da campanha das Diretas Já. O projeto de sua revitalização de Goiânia está entre 425 que foram selecionados pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) e também pelos Ministérios de Cultura e do Planejamento, Orçamento e Gestão e abrangeu a ordem de R$ 12,5 milhões.

A revitalização contemplou a restauração de bens tombados, a requalificação do espaço público e do conjunto da praça. Pelas fotos extraoficiais, percebeu-se que o Monumento às Três Raças, por exemplo, ganhou mais visibilidade com o novo design. Novas espécies de árvores foram plantadas. Toda a iluminação no espaço interno foi modificada.
A novidade da nova Praça Cívica é uma obra do artista plástico Siron Franco, que usou como material para sua confecção espelhos e aço inoxidável. Ela tem 3 metros de altura e 11 metros de comprimento e, projetada como arte urbana, pretende vincular o passado ao futuro por meio de totens de 2,80 metros com identidade carajá. Pessoas que passarem pelo local verão seu reflexo na obra, tida como “caleidoscópica”.

Saúde, educação e lazer

Centro de saúde na Cidade Jardim vai servir de referência a um universo de quase 40 mil pessoas

Centro de saúde na Cidade Jardim vai servir de referência a um universo de quase 40 mil pessoas | Divulgação/Twitter

O mais novo centro municipal de educação infantil (Cmei) está na região noroeste de Goiânia. É o Cmei Licardino Ney, que vai assistir 120 crianças menores de 6 anos, a partir de 6 meses. A unidade tem 928 metros quadrados de área construída, com quatro blocos, um deles da administração e todos os outros com oito salas de aulas — incluindo berçário, lactário e maternal, além de playground. Cerca de R$ 1,2 milhão foi investido na obra, de acordo com dados da Secretaria Municipal de Educação (SME).

Uma referência a mais em saúde pública pode ser agora encontrada na Cidade Jardim. É o Centro de Saúde da Família Cidade Jardim Michele Muniz do Carmo (CSF Rodoviário). Com custo estimado em R$ 1,3 milhão, também integra o complexo Macambira-Anicuns, tendo três equipes de Saúde da Família, três consultórios (atendimento médico e de enfermagem), três salas odontológicas, duas de vacina, além de sala de observação, de curativos e para atendimento pré-emergencial. A previsão é de que, somando-se ao atendimento da unidade do Setor São Francisco, o CSF Rodoviário beneficiará 39 mil moradores de 15 bairros das imediações.

A obra que faltava para o Parque Mutirama está programada para ser entregue neste domingo à população. É o Teleférico, uma das atrações mais aguardadas entre as várias do parque de diversões. Ele consiste em um meio de transporte aéreo, através de cabo com 500 metros de extensão. Dez cabines, cada uma com capacidade para seis pessoas, compõem sua estrutura. Curiosidade: uma das cabines será montada para carregar a tocha olímpica dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro, que passará por Goiânia em maio do próximo ano.
Também no Mutirama haverá a entrega da nova entrada de acesso ao parque e do complexo de lazer e convivência, ambos sobre o Túnel Jaime Câmara, na Avenida Araguaia. O local recebeu quadras esportivas (vôlei, peteca, basquete, golzinho etc.) e espaços de convivência.

Paulo Garcia faz ações emblemáticas e reforça valor dos parques e das bicicletas
Parque Ambiental Macambira, entregue na semana passada: obra chave de complexo que mudará a face de Goiânia | Divulgação/Twitter

Parque Ambiental Macambira, entregue na semana passada: obra chave de complexo que mudará a face de Goiânia | Divulgação/Twitter

O passeio ciclístico que marcou o aniversário da cidade teve um valor simbólico que merece ser ressaltado. É que uma das ações mais recorrentes do prefeito Paulo Garcia nos últimos meses têm sido a de pedalar, até mesmo para se deslocar para o trabalho, no Paço Municipal. Dessa forma, o evento (no trajeto Parque Areião – Parque Vaca Brava – Lago das Rosas – Rua 3 — Avenida Tocantins – Praça Cívica) ganhou um caráter ainda mais engajado. Junte-se a isso a limitação, prometida para breve, da redução da velocidade de veículos motorizados no “manto de Nossa Senhora” (quadrilátero delimitado pela Praça Cívica e as avenidas Araguaia, Paranaíba e Tocantins) e pode-se dizer que o ciclista tende a ter, em tese, um bom ganho no espaço urbano do Centro.

Outra ação emblemática foi o plantio de 82 mil mudas de árvores pela cidade. Executado pela Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma), pela Comurg e pela Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços Públicos, o trabalho se dividiu entre ações envolvendo escolas do município e do Estado (25.520 mudas) e unidades de conservação (56.480 mudas). O maior volume foi para a região onde será delimitado o Parque Cerrado, ao lado do Paço Municipal, com 10 mil mudas, e para o Aterro Sanitário de Goiânia, com 12 mil espécimes plantados para dar suporte à nascente do Córrego Caveirinha, que quase na sua foz, no encontro com o Rio Meia Ponte, recebeu a vizinhança do shopping Passeio das Águas, uma construção que rendeu polêmica.

Um selo comemorativo pela passagem do aniversário de 82 anos da capital também foi lançado. Ele é uma representação artística do slogan da Prefeitura para a data e mostra, em poucos traços, uma criança pedalando em direção rumo ao sol sobre linhas que simbolizam as ciclofaixas. A sustentabilidade também está representada, por meio do desenrolar do novelo e das cores primárias.

Mobilidade

Não diretamente se referindo à Praça Cívica, mas uma intervenção deve interferir diretamente no acesso a ela: é a conclusão da ciclofaixa ligando a pista do Corredor Universitário, existente desde 2012 na Avenida Universitária — a antiga Rua 10 — ao Corredor da Avenida T-7, passando pela Avenida Assis Chateaubriand.

Ao custo de R$ 20 milhões, a Prefeitura entregou o asfalto aos moradores do Residencial Jardins do Cerrado em suas etapas 1, 2, 3 e 4. As vias passam ao uso da população com toda a infraestrutura: galerias de águas pluviais, sinalizações, construção de reservatório de amortecimento de vazões e calçadas acessíveis.

Um dia antes, na sexta-feira, 16, em uma das primeiras atividades comemorativa, o prefeito Paulo Garcia (PT) já havia entregado a travessia da Avenida Trieste, entre os setores Granville e Novo Horizonte. A via é uma das mais importantes ligações da região sudoeste da capital e a intervenção pretende dar mais agilidade ao trânsito nas imediações. Perto dali, no Setor Novo Horizonte, outra via, a Avenida Parque, foi construída pela Prefeitura de Goiânia dentro do projeto Macambira-Anicuns, como obra integrante. Ela também foi entregue na mesma programação. Antigamente a área era parte do viveiro da Companhia de Urba­nização de Goiânia (Comurg). O local recebeu serviços galerias pluviais, compactação do solo e pavimentação asfáltica. Também houve arborização das calçadas seguindo as normas do Plano Diretor de Arborização Urbana de Goiânia e a revegetação da área de preservação permanente (APP) do Córrego Macambira, onde 2 mil mudas de espécies nativas do Cerrado foram plantadas.

Tudo isso foi preparação para a entrega do Parque Ambiental Macambira (PAM), na terça-feira, 20. É uma das obras chave do complexo Macambira-Anicuns, cujo valor total está orçado em R$ 340 milhões, com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Ao seu término, o complexo formará o maior parque linear da América Latina, com 24 km de extensão, afetando positivamente o dia a dia de 350 mil goianienses, em 132 bairros. O ex-prefeito Pedro Wilson (PT), em cuja gestão, de 2001 a 2004, foi idealizado o projeto Macambira-Anicuns, esteve presente e seu papel foi lembrado em placa descerrada na solenidade. Hoje, Pedro Wilson é secretário de Direitos Humanos da gestão municipal.

Também obra do Macambira-Anicuns, o Parque da Vizinhança 2 (PV-2), apresentado na quinta-feira, 22. Construído no Setor Faiçalville, coloca à disposição da comunidade quadras poliesportivas, playground, pista de skate, academias de ginástica e — o grande diferencial — a primeira quadra pública de tênis da cidade.

Outra ação na região sudoeste da capital — e também no Setor Novo Horizonte — foi a Praça da Ju­ventude. A obra teve investimento de R$ 666 mil e cobre 9,6 mil metros quadrados, ou seja, quase um hectare. Uma novidade é que contará com campo de futebol soçaite gramado, além de pista de skate com arquibancada, pista de salto triplo e de caminhada, além de áreas para convivência e ginástica. As mães podem usufruir de playground para os filhos e também contar com uma área de alimentação. Para quem gosta de esportes mais leves, espaço também para tênis de mesa e jogos de tabuleiro (xadrez e dama). O estacionamento conta com 24 vagas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.