Moradores de Senador Canedo padecem com falta de saneamento e descaso da gestão pública

Os canedenses relatam cólica e diarreias causada pela ingestão da água que sai da torneira, que tem aspecto sujo e barrento. Conforme os moradores, a prefeitura passou a ignorar as reclamações

Segundo moradores de Senador Canedo, há tempo a água não sai limpa das torneiras | Foto: Arquivo pessoal

 

Desde o início do último mês de setembro, os moradores do Residencial Solar das Oliveiras, em Senador Canedo, Região Metropolitana de Goiânia, sofrem com um dilema que, aparentemente, tornou-se insolúvel para a gestão pública. Os habitantes da região reclamam de um persistente problema com a água, o bem mais essencial para qualquer atividade humana que, conforme os moradores, quando não está em falta, está completamente imprópria para o consumo ou para atividades domésticas.

Reclamar com as autoridades competentes, de acordo com os canedenses, já se tornou problemático. Ao Jornal Opção, os moradores do Solar das Oliveiras contam que, quando conseguem falar com representantes da Agência de Saneamento de Senador Canedo, a Sanesc, o que não é sempre, recebem apenas promessas de solução abstratas sem nenhum caráter efetivo.

O estudante e autônomo Ramos Ferreira tem 39 anos e há 18 vive no Solar das Oliveiras, em Senador Canedo. Ramos relata que o problema de falta d’água acontece diariamente, há mais de 15 dias. De acordo com o autônomo, o fornecimento de água é interrompido em toda a região no período matutino e só é retomado à tarde, e a insistente busca de solução junto à Sanesc, órgão do município, parece não surtir nenhum efeito.

O canedense conta que só conseguiu ser atendido pela agência através do Whatsapp. Segundo Ramos, um funcionário da Sanesc pediu que ele procurasse o engenheiro responsável pela região, mas o profissional jamais foi localizado. “Ele não deu resposta nenhuma e nem atende”, desabafa.

Ramos revela que, além da falta d’água, está a impossibilidade de consumir o líquido quando ele volta a sair da torneira, além do fato de que a fatura chega à sua residência sem nenhuma alteração. “Fica o tempo sem água e quando ameaça voltar está tudo suja, tem que jogar fora. E tudo passa lá no hidrômetro, está contando”, diz.

Insatisfação mobilizada

A deficiência do saneamento na região fez com que a população do bairro se mobilizasse. Um grupo de Whatsapp foi criado e, nele, moradores trocam experiências, relatos e ações em relação à água. A reportagem do Jornal Opção teve acesso às mensagens enviadas no grupo e se deparou com pessoas indignadas e que sofrem com a água suja e falta de providências da gestão local.

A água turva que tem saído da torneira dos habitantes do Solar das Oliveiras tem provocado, inclusive, problemas de saúde naqueles que se esquecem da qualidade questionável do líquido e o ingerem. É o caso da doméstica Maria Lira, de 45 anos. Maria relata que teve dor de barriga e diarreia após consumir a água ‘da rua’, fornecida pela Sanesc. “Gosto de sabão”, descreve.

Foto: Whatsapp

“Eu não tinha comprado água ainda pra beber, estava bebendo dela. Mas fui beber da água e me deu dor de barriga, tinha gosto de sabão. E quando vou tomar banho, o corpo da gente fica liso. Parece que não sai o sabão. Está com sabão, essa água, ela não está normal”, contou, em um relato enviado no grupo.

Em vídeos enviados no grupo da rede social, é possível o estado em que a água sai das torneiras: escura e de aspecto barrento. A indignação é constante: “Estamos precisando de ajuda. Sei que a seca está grande, mas não é motivo da gente estar tantos dias sem água. Descaso total com a gente aqui. Nossa água está vindo muito suja, isso quando tem”, desabafa uma moradora.

Em um dos vídeos, um moradores expõe a revolta. “Olha a situação da água. Essa aqui eu vou levar e despejar lá na mesa do gestor da Sanesc”, diz.

Sem resposta

Fundada em 1992, a Sanesc é responsável pelo saneamento realizado pela Prefeitura de Senador Canedo e responde pelo fornecimento de água de mais de 90% do município. De acordo com a própria agência, o órgão recebe “infraestrutura completa, tanto para o tratamento de esgotos quanto para o fornecimento de água tratada”.

O Jornal Opção entrou em contato com a prefeitura e com a própria agência, informando da situação relatada pelos moradores quanto ao problema de saneamento. Todavia, mesmo depois de dois dias, a reportagem não obteve retorno.

Após a publicação desta matéria, a Prefeitura de Senador Canedo entrou em contato com a reportagem e afirmou que o abastecimento de água na Vila Matinha foi restabelecido.

Ainda conforme a prefeitura, “não há falta de saneamento e nem descaso da gestão”. “A gestão do prefeito Divino Lemes foi a que mais investiu na questão hídrica na história do município. Dobramos a capacidade de entrega de água tratada nos domicílios de Senador Canedo”, declarou.

A prefeitura não mencionou o problema relatado por moradores do Solar das Oliveiras.

“Gestão deficitária”

O fisioterapeuta e perito judicial Fernando Pellozo, conhecido como Dr. Fernando, é candidato à Prefeitura de Senador Canedo pelo PSD. Pellozo, que vive no município há quase 30 anos não poupa críticas à atual gestão, conduzida pelo prefeito Divino Lemes, do Podemos, e diz que Senador Canedo sofre uma situação de “abandono”.

O fisioterapeuta cita a crise hídrica da região e garante: o problema não está restrito apenas ao bairro Solar das Oliveiras. “É um sentimento de abandono. Lá está uma crise de água agora e a gente vê o pessoal reclamando que não consegue atendimento. É um sofrimento sem tamanho em várias áreas”, relata.

“Eu moro lá há 26 anos e eu vou confessar que eu nunca vi uma gestão tão deficitária quanto essa. A cidade está passando por um momento muito crítico e isso tem refletido na população”, diz Pellozo.

O deputado estadual Júlio Pina, do PRTB, também é outro nome que não esconde a insatisfação com a atual gestão de Senador Canedo. Pina, que também é candidato à prefeitura pelo PRTB, avalia que o município passa por uma crise de desinvestimento, uma vez que, segundo ele, há escassez de recursos em diversas áreas.

“Todas as áreas estão péssimas. Falta tudo, falta infraestrutura que não melhorou em nada, falta a valorização do servidor público, que não foi feita, o investimento na área da segurança não aconteceu, incentivo ao comércio também não”, pontua o deputado.

“Ele teve 4 anos pra fazer e não fez. Era o tempo necessário para colocar a casa em ordem, mas teve o tempo e não cumpriu”, finaliza Pina.

Atualização: Após a publicação da matéria, a Prefeitura de Senador Canedo enviou uma nota ao Jornal Opção em que se manifesta sobre os pontos levantados.

Conforme a nota, a falha de abastecimento em alguns pontos do município se deve ao período de “alto consumo, principalmente com as altas temperaturas”, mas que a gestão municipal está comprometida com a solução dos problemas apresentados.

Veja a nota abaixo:

“A Prefeitura de Senador Canedo, por meio da Sanesc, informa que o abastecimento em alguns pontos tem tido alguns comprometimentos, durante alguns horários, neste período de alto consumo, principalmente com as altas temperaturas. Com a evaporação da água é maior nos reservatórios, a pressão da água fica mais baixa, não conseguindo chegar, em alguns momentos, aos domicílios. A produção de água tratada é contínua nas Estações de Tratamento de Água, em torno de 1 milhão de litros por hora.

Ressaltamos também o compromisso da Administração Municipal em solucionar a questão, com obras e intervenções em todas as regiões, para ampliar o abastecimento. Caminhões pipas, com água tratada, são também disponibilizados para elevar o nível dos reservatórios. Sobre a denúncia de água com resíduos, o fato ocorre devido as intercorrências no abastecimento na região, há o contato da água tratada com resíduos de canos e reservatórios provocados pela pressão e volume menor de água.

Lembramos que está sendo realizada a limpeza da rede, de forma contínua. Para mais informações ou solicitações a população pode ligar na Ouvidoria Municipal, no 3275-3000.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.