Ministério escolhe posto de saúde em Trindade como referência do Mais Médicos

Governo federal levou equipe para reportagem na unidade do Jardim Primavera, que se tornou exemplo a ser seguido pelo programa na Região Centro-Oeste

Médico gaúcho Adriano Raiter, formado na Espanha, atua em Trindade: “Foi minha chance de voltar ao meu País”

Médico gaúcho Adriano Raiter, formado na Espanha, atua em Trindade: “Foi minha chance de voltar ao meu País”

Fábio PH
Especial para o Jornal Opção

Com o intuito de diminuir a carência de médicos nos municípios do interior e nas periferias das grandes cidades do País, áreas prioritárias para o Sistema Único de Saúde (SUS), o programa Mais Médicos foi lançado em julho de 2013, pelo governo federal. Em serviço para o Ministério da Saúde, na terça-feira, 21, o repórter cinematográfico Rodolfo Vilela fez uma matéria na Unidade Básica de Saúde (UBS) do Jardim Primavera, escolhido pela pasta como unidade referência do programa na Região Centro-Oeste.

Foram entrevistados o diretor de Atenção Básica da Secretaria Municipal de Saúde de Trindade, Leonardo Izidorio, a coordenadora da UBS Primavera, enfermeira Renata Barcelos, o médico Adriano Raiter e vários pacientes. Declarando o empenho do município em relação a ampliação, reforma das unidades, aparelhamento, abastecimento de insumos e medicamentos — e fundamentalmente oferecendo padronização completa da equipe técnica de apoio em todas as 25 UBS — Leonardo elogiou a pontualidade e dedicação ao consultório dos profissionais que atuam pelo Mais Médicos, cumprindo o objetivo principal, suprindo o grande problema da falta de médicos que existia na cidade. “Temos 30 equipes qualificadas na atenção básica e indo além disso, como é o caso desta unidade aqui no Primavera, que oportuniza atendimentos especializados nas áreas de gastroenterologia, hanseníase, ortopedia, ginecologia, entre outras”, declarou.

Renata Barcelos citou as atividades extras realizadas pela UBS Primavera, a exemplo de trabalhos com grupos de idosos e gestantes e as visitas domiciliares para pacientes com dificuldades de locomoção. “Os profissionais do Mais Médicos foram aprovados pela comunidade pela forma humanizada, muito próxima dos pacientes”, pontuou.

Formado na Espanha, o gaúcho clínico-geral Adriano Raiter ressaltou que atua na medicina por ideologia social, que fez mais de 9 mil atendimentos em dois anos de atividade no Mais Médicos e que o Brasil avançou em saúde pública com o programa. “Particularmente foi a chance que tive de retornar ao meu País e, além da minha formação acadêmica, o governo federal trabalha na qualificação do nosso atendimento, focando muito no formato humanitário, imprescindível nesta atuação”, concluiu. Elogiando e concordando com as declarações de atendimento prestativo, também falou para o Ministério da Saúde o paciente Nilo Dias, de 71 anos, residente no Setor Sul.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.