Mês da Micro e Pequena Empresa é lançado pelo Sebrae

A expectativa é de que 32 mil pessoas sejam atendidas em 89 municípios espalhados pela Estado

O diretor do Sebrae, Igor Montenegro, durante lançamento do Mês da Micro e Pequena Empresa

Já são mais de 13 milhões de micro e pequenos empresários (MPE) em todo o País — dos quais 400 mil estão em Goiás. Juntos, correspondem a 99,5% dos empreendedores brasileiros, responsáveis por 27% do PIB e 60% da massa salarial. Vale ressaltar que, de janeiro a agosto deste ano, as micro e pequenas empresas registraram um acréscimo de 327 mil vagas de emprego, enquanto as demais perderam 182,4 mil postos devido tanto à crise quanto à robotização das mesmas.

Comemora-se, em todo o Brasil, o Dia da Micro e Pequena Empresa em 5 de outubro, data criada em 1999 para marcar a sanção do “Estatuto Nacional da Microempresa e da Empresa e Pequeno Porte”, uma grande conquista do setor almejada desde a Constituição Federal de 1988, cujo art. 178 prevê o tratamento jurídico diferenciado das micro e pequenas empresas no que tange as suas obrigações administrativas, previdenciárias e creditícias objetivando eliminá-las ou reduzi-las a fim de incentivar este importante segmento da economia. Desde então, as MPEs têm se fortalecido através, por exemplo, da Lei do Simples Nacional, de 2006, e da possibilidade de se empreender sem a necessidade de um sócio, tornada real em 2008.

É com base nisso que o Ser­vi­ço de Apoio às Micro e Pequenas Em­presas em Goiás (Sebrae-GO) pro­move o Mês da Micro e Pe­quena Empresa, lançado na última quinta-feira, 27, e que conta com uma programação especial elaborada a partir das missões da instituição, como fomentar novos negócios e fortalecer os já existentes; lutar pela redução da burocratização e dos impostos e pela ampliação da oferta de crédito; formar, por meio de cursos e treinamentos, os empreendedores para aprimorarem suas empresas; ajudar, com consultorias, as empresas a aperfeiçoarem a gestão, o conhecimento e a inovação; dar suporte na formalização de micro e pequenos empreendimentos; difundir informação essencial para as MPEs.

Casos concretos

Maria Inês Espíndola é proprietária da Santa Efigênia Embalagens, uma empresa de Goiânia especializada em embalagens e frascos há cerca de 20 anos no mercado. O contato com o Sebrae já dura aproximadamente 3 anos. Maria Inês considera fundamental o projeto Agente de Local de Inovação (ALI). Ela brinca que o programa deveria se chamar Agente Local de Animação porque ele visa apontar sugestões animadoras. “Com a crise, é normal ficar pessimista e abatida. Mas o Sebrae, por meio do ALI, vai até a empresa e propõe inovações, como a mudança da fachada, que foi 70% subsidiada pelo Sebratec.”

A empresária conta que as ideias propostas referentes à logística ajudaram na agilidade do atendimento e no aumento do faturamento. A Santa Efigê­nia Embalagens passou a atuar também nas redes sociais, como Facebook e Instagram. Para Maria Inês, os clientes estão mais satisfeitos. Ela diz que pretende participar do Mês da Micro e Pequena Empresa por apresentar uma programação interessante, que, de acordo com ele, deve ajudar a consolidar os pequenos negócios.

Quênia Pereira Neves, sócia da Fio e Arte Artesanatos e Aviamentos, empresa do segmento de varejo, especificamente de artesanatos e bordados, localizada no Centro Goiâ­nia, está na direção desde o fi­nal do ano passado. O apoio do Sebrae se dá por meio de oficinas e cursos. Recentemente, foram fechados três projetos em parceria com o Sebratec: redesenho da logomarca, repaginação do layout interno e criação de uma patente.

De acordo com Quênia, o impacto é positivo. “Com o apoio do Sebrae, o negócio começou a crescer mesmo em meio à crise”, comenta a empresária, que estará presente no Mês da MPE, juntamente com seus funcionários, na espera de receber informações que sejam aplicáveis no seu dia a dia.

A Doceria da Ane é uma loja virtual de bolos e doces, criada por Ane Moraes há dois anos, dos quais um e meio funcionam na formalidade, adquirida por intermédio do Sebrae e que abre as portas para novos clientes e oportunidades. “Estar vinculada a uma instituição como o Sebrae gera credibilidade”, frisa.

Com o crescimento da clientela, Ane revela que sentiu a ne­cessidade de melhorar a gestão. “Além de ações de marketing, estamos buscando nos instalar em um ponto físico. Atual­mente, 90% da clientela é online”, aponta. Financiamento, ex­pan­são e aumento de produção são alguns dos motivos que fa­zem a empresária participar do Mês da Micro e Pequena Empresa.

Programação

O Sebrae-Go espera receber 32 mil pessoas em suas 350 atividades espalhadas por 89 municípios durante o Mês da Micro e Pe­quena Empresa. Ao todo, se­rão 5 mil e 200 horas de capacitação.

Dentre as atrações, estão o Pop-up Sebrae, a Semana de Crédito, a inauguração da Regional Metropolitana de Goiânia e o Circuito de Palestras Sebrae. A programação completa de cada uma delas pode ser conferida a seguir:

PROGRAMAÇÃO MPE

POP-UP SEBRAE SHOPPING BOUGAINVILLE (17 a 25 de outubro)

Atendimento presencial do Sebrae, com caráter diferenciado:

l Sebrae POPstory: Exposição de Casos de Sucesso
l Sebrae POPfun: Empreendedorismo Infanto Juvenil
l Sebrae POPLab: SebraeLab Pocket
l Sebrae POPcorn: Mostra Sebrae de Empreendedorismo~
l Sebrae POPtalk: Atendimento Sebrae

SEMANA DE CRÉDITO – PORTAL SHOPPING (16 a 20 de outubro)

Consultorias em:

l Orientação para o crédito e microcrédito
l Gestão financeira
l Fundo de Aval às Micro e Pequenas Empresas (Fampe) e renegociação de dívidas

INAUGURAÇÃO DA REGIONAL METROPOLITANA DE GOIÂNIA (03 de outubro)

l 1.471 metros quadrados
l 37 estações de atendimento
l salas multiusos
l estacionamento

Circuito de Palestras Sebrae

l Goiânia: 03 de outubro
l Porangatu: 04 de outubro
l Aparecida de Goiânia: 19 de outubro
l Cidade Ocidental: 26 de outubro

“Preparamos uma programação especial”, diz diretor do Sebrae

Diretor do Sebrae, Igor Montenegro: “estamos animados com os resultados que vêm sendo apresentados pelos pequenos negócios esse ano“

O Diretor-superintendente do Sebrae-Go, Igor Monte­negro, foi quem lançou, na quinta-feira, 27, o Mês da Micro e Pequena Empresa. Confira, abaixo, o seu discurso:

“O segmento empresarial tem um papel crucial no desenvolvimento econômico em razão da geração dos postos de trabalho, trocas comerciais, exportações e importações, produção agrícola, comércio, serviço, indústria e transformação de matéria-prima em produto acabado. O setor empresarial é, portanto, peça chave para o desenvolvimento de qualquer sociedade.
Em outubro, comemoramos o Mês da Micro e Pequena Empresa. É o mês do empreendedor e é algo muito simbólico para nós. Por isso, preparamos uma programação especial. A cada ano que passa, caprichamos ainda mais.

Gostaria de agradecer à Camilla Carvalho, que assumiu recentemente a gerência de inovação e competitividade, a área que cuida dessa estratégia e, em seu nome, agradecer toda a equipe. Temos 12 escritórios regionais e mais de 40 agências para fazer com que a ação chegue no maior número de municípios possível. Queria gradecer também à área de comunicação pelo apoio e trabalho fundamental que vocês fazem. Afinal, uma campanha dessa magnitude não acontece sem chegar às pessoas. Agradeço, por fim, a presença de todos os jornalistas aqui presente.”

Coletiva

Após seu pronunciamento e explanação detalhada das atividades previstas para o Mês da Micro e Pequena Empresa, Igor Montenegro concedeu uma entrevista coletiva à imprensa. O diretor do Sebrae-Go enalteceu a rica programação com cursos, consultorias, orientações e informações. “Teremos também ações de incentivo à inovação dentro das empresas, exibição de filmes relacionados ao empreendedorismo, Semana de Crédito e muitas outras voltadas para gestão de pessoas, finanças, marketing, vendas, além da área tecnológica, de design, produtividade, sustentabilidade nos negócios, marcas e patentes”, destacou.

Ane Moraes, Quênia Pereira Neves e Maria Inês Espíndola são exemplos de sucesso. As três empresárias estarão presentes nas atividades especiaos do Mês da Micro e Pequena Empresa

Já que costumam falar tanto de inovação, Igor disse que, por isso, resolveram inovar também no MPE. “Resolvemos não fazer o mesmo que fazemos no restante do ano. Faremos um programa diferente, atrativo, alegre e inovador”.

A programação diversificada abrange todas as áreas de um negócio no Brasil. O diretor do Sebrae fala em fazer intervenções transformadoras no sentido de ajudar os empresários a identificar, por meio de diagnósticos, quais são os problemas que existem em suas empresas e como vencê-los através de cursos e consultorias. Além disso, o diretor ressalta a questão do crédito. “Identificaremos quais são as alternativas de crédito para o empreendedor pegar capital de giro ou capital de investimento a fim de tentar tirá-lo da crise e poder fazer frente às demandas do seu mercado” frisou.

Para Igor Montenegro, a resposta ao desenvolvimento econômico na geração de empregos está nas micro e pequeno empresas porque as médias e grandes estão desenvolvendo estratégias de automação, investimento em tecnologia, robotização de atividades à medida em que as MPEs são a grande saída para a geração de empregos no Brasil e os números, de acordo com o diretor, estão mostrando isso.

Igor Montengro diz que período atual já pode começar a chamar de “pós-crise”. Ele garante estar animado com os resultados que vêm sendo apresentados pelos pequenos negócios esse ano e possui grandes expectativas para 2018.

Deixe um comentário