Lideranças evangélicas apostam na reeleição de Roberto Naves em Anápolis

34% dos anapolinos se declaram evangélicos. Esse forte potencial eleitoral pode pesar a favor do candidato progressista que costurou uma aliança com as igrejas

A fé que move montanhas também pode ser decisiva em uma eleição. E numa cidade como Anápolis, que figura entre as que contam maior percentual de fiéis evangélicos, ter o apoio de lideranças religiosas gera resultados tão significativos quanto a composição de uma aliança entre grandes partidos políticos. E entre os principais líderes religiosos anapolinos, a reeleição do prefeito Roberto Naves (PP) é a aposta — e a história da política na cidade mostra as igrejas são fortes cabos eleitorais.

Dados extraídos do Censo de 2010, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), confirmam que a religiosidade não é apenas um traço histórico de Anápolis, mas, sim, uma realidade. A amostragem destaca que 315.434 anapolinos, ou 94,36% da população (334.272 habitantes, também conforme o Censo), são cristãos. O mesmo levantamento revela que a religião Evangélica soma 115.244 anapolinos (34,47%). Qualquer candidato na cidade precisa ter os olhos voltados para as demandas e também para os votos dessa parcela da sociedade anapolina.

A força do segmento evangélico se reafirma politicamente na formação das chapas que concorrem pela Prefeitura de Anápolis. Historicamente, se o candidato a prefeito for católico, ele busca compor com um vice que representa os evangélicos.

O atual prefeito e candidato à reeleição segue essa receita — assim como seus principais adversários. Ele tem como vice o pastor da Assembleia de Deus Márcio Cândido (DEM). Já nas eleições em 2016 o democrata foi o principal interlocutor com o segmento evangélico. Nos quatro anos de mandato, ele seguiu cumprindo esse papel e pelo resultado desse trabalho, a reeleição ganhou apoio das principais lideranças religiosas da cidade.

Entre os apoiadores declarados de Roberto Naves está o pastor Clarimundo César, presidente do Ministério da Assembleia de Deus em Anápolis e uma voz evangélica respeitada nacionalmente. A denominação possui mais de 300 pontos de pregação, entre igrejas, congregações e templos. “Creio que há uma força considerável do Roberto Naves entre os evangélicos. Sempre foram prezadas essas dobradinhas — candidatos católicos com os evangélicos. Há outros candidatos fazendo o mesmo, mas a força principal é de Roberto e Márcio Cândido, por conta da  administração que eles fizeram nesses quatro anos”, expõe o pastor.

O líder religioso aponta que a aproximação da gestão junto a comunidade evangélica também foi primordial para que o apoio à reeleição de Roberto Naves fosse selada. “Procuramos caminhar com pessoas que defendem os princípios cristãos. Isso é muito precioso. E o Roberto os defende. Fizemos muitas reuniões na Prefeitura durante esses anos da administração e sempre se viu esse compromisso com os valores da família”, argumenta.

Bispo Henrique de Souza – Igreja Luz para os Povos | Foto: Arquivo pessoal

O progressista também conquistou o apoio do bispo Henrique de Souza, da Igreja Luz para os Povos. “Na primeira eleição dele em 2016, nós passamos a apoiá-lo a partir do segundo turno. Mas agora já entendemos que ele é a melhor opção e manifestamos a favor da reeleição dele”, sustenta.

O bispo Henrique destaca a atuação do vice-prefeito, Márcio Cândido, na gestão e como representante evangélico. “Vejo que todas as lideranças tiveram acesso à administração municipal. Sempre houve um diálogo aberto com um governo acessível. Isso passa pelo vice-prefeito.”

Bispo Mozart Morais Almeida – Igreja Fonte da Vida |Foto: Arquivo pessoal

O bispo Mozart Morais Almeida, da Igreja Fonte da Vida, também divulgou publicamente seu apoio a Roberto Naves. O primeiro mandato cumprido pelo prefeito é que serviu para conquistar essa aliança. “O trabalho feito nestes quatro anos nos mostrou que há um compromisso com Anápolis”, diz. “Eu sou pastor em uma igreja que não tem nenhum partido. Apoiamos pessoas que têm princípios bíblicos, o Roberto e o Márcio têm esses princípios de conservação da família”, declara.

Presidente estadual da Igreja Quadrangular, pastor Washington Luiz | Foto: arquivo pessoal

O presidente estadual da Igreja Quadrangular, pastor Washington Luiz, também é um dos líderes que apostam na reeleição de Roberto Naves. O religioso demonstra simpatia com o governo que foi executado nos primeiros quatro anos. “É preciso reconhecer o modo como a gestão vem enfrentando a pandemia. A forma equilibrada que o prefeito trabalhou ao dialogar, procurando não trazer prejuízo para cidade e cuidar da saúde das pessoas fez diferença. Para nós isso foi muito importante”, avalia. 

A defesa dos princípios cristãos e da família também é realçada pelo pastor Washington como um dos quesitos que pesaram para o apoio da reeleição de Roberto. Segundo ele, essa característica faz bem para a gestão pública e para a cidade de Anápolis.  “Tivemos visitas de alguns candidatos. Tratamos todos com respeito e oramos por todos, mas declaramos nosso apoio ao Roberto”, sinaliza.

Pastor Thiago Vinícius Cunha, Church In Connection | Foto: Arquivo pessoal

Outro que aprova o desempenho de Roberto Naves e manifesta apoio é o pastor Thiago Vinícius Cunha, da Church In Connection. Assim como os demais líderes, ele evidencia a defesa que o progressista faz em relação aos valores da família e os resultados alcançados na gestão. “Sempre tivemos uma boa comunicação. Quando chegou a pandemia, houve uma participação das lideranças religiosas junto ao Roberto. Foi uma parceria das igrejas no geral com a figura do prefeito. O diálogo e essa forma de gerir é um modelo que tem dado certo e deve continuar”, enfatiza

Religião em Anápolis

Em Anápolis, o protestantismo adquiriu visibilidade principalmente por meio da atuação na saúde e na educação. Essa percepção começou na década de 40, com a criação do Hospital Evangélico Goiano e Associação Educativa Evangélica -— hoje UniEvangélica. 

O Hospital Evangélico Goiano foi o primeiro hospital da cidade  e se tornou referência. Já a Associação Educativa Evangélica foi pioneira no ensino universitário na cidade e região. Essas instituições foram sempre reconhecidas e garantiram prestígio aos seus gestores. Assim os líderes evangélicos de Anápolis passaram a participar das decisões políticas e sociais da cidade. 

Ainda no ano de 1957 foi formado o Conselho de Pastores de Anápolis (CPA) — composto por líderes das igrejas Presbiteriana Independente, Presbiteriana de Anápolis, Batista, Metodista, Cristã Evangélica e a Assembleia de Deus. O Conselho até hoje tem forte atuação na cidade, sendo referência até em outras regiões do Estado.

Uma demonstração de como Anápolis é uma referência evangélica reconhecida nacionalmente é o Carnaval religioso realizado na cidade e que sempre conta com o apoio da administração pública. A cidade faz do período carnavalesco um momento para investir no turismo religioso. Ao menos quatro grandes eventos voltados para oração e louvor são realizados neste feriado. Caravanas de todas as regiões do País são recebidas pelas igrejas da cidade, somando mais de 30 mil fiéis participantes.

Congresso de Mocidades Evangélicas Pentecostais (Comepe) realizado durante o feriado de carnaval | Foto: Divulgação

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.