Inovação: a mola propulsora de empresas no cenário econômico atual

De 19 a 30 de outubro, o Sebrae-Go realiza a Semana da Inovação. Diversas ações são realizadas a fim do crescimento empresarial

Divulgação Sebrae

Divulgação Sebrae

Yago Rodrigues Alvim

I.no.va.ção é ato ou efeito de inovar, de criar, renovar, é ato de inventividade, coisa nova, novidade e é isso que a Semana da Inovação propõe. Parte da Semana Nacional de Ciência e Tecnologia 2015, idealizada pelo Ministério de Ciência e Tecnologia, a Semana traz diversas atividades de 19 a 30 de outubro em 19 municípios goianos. As ações são propostas pela seccional goiana do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-GO).

Serão realizados seminários sobre inovação, cooperação e criatividade a fim do desenvolvimento do turismo e de novas competências na gestão empresarial; palestras sobre design de produtos e negócios, boas práticas em gestão de produção, consultorias sobre layout, planejamento e controle de produção e design de comunicação, que exemplificam temas de eventos que os empreendedores e empresários goianos podem participar. E é tudo gratuito.

O diretor técnico do Sebrae-GO, Wanderson Portugal Lemos, explica que o maior propósito da ação é atender de forma plena e disponibilizar soluções para promover o empreendedorismo e o desenvolvimento das pequenas empresas em Goiás. “Está é mais uma oportunidade que o Sebrae abre ao empreendedor para que ele possa ultrapassar com sucesso o atual momento econômico e social nacional”, completa.

Gerente regional do Sebrae-GO, George Gustavo Toledo: “Na Semana de Ciência e Tecnologia diversas inovações são apresentadas às empresas para que elas possa enfrentar um momento difícil economicamente” | Arquivo Pessoal

Gerente regional do Sebrae-GO, George Gustavo Toledo: “Na Semana de Ciência e Tecnologia diversas inovações são apresentadas às empresas
para que elas possa enfrentar um momento difícil economicamente” | Arquivo Pessoal

O Serviço destaca que “Ino­vação” é a mola propulsora das empresas, seja inovação de produto, processo ou mercado. Inovar, continuamente, pode assegurar a competitividade do negócio, visto que, no cenário atual, a empresa que quiser sobreviver deverá inovar sempre. A inovação pode acontecer no produto, por meio de investimentos em pesquisa e desenvolvimento (P&D) que, no Brasil, recebe incentivo governamental; e também pode acontecer no processo, seja de fabricação, workflow, marketing ou na gestão do negócio.
No ambiente empresarial inovação é algo que cria valor, aumenta a competitividade e a sustentabilidade das empresas, às vezes com pequenos esforços adicionais que implicam melhoria de produtos, processos, gestão e marketing e que contribuem para uma maior eficiência na utilização de recursos.

Além das já citadas formas, a inovação também pode ser organizacional, com implementação de novas técnicas de gestão dos negócios, no local de trabalho ou nas relações externas com o mercado. E há ainda a inovação de marketing, que envolve novas estratégias de posicionamento dos produtos e de comunicação com os clientes.

Entretanto, os pequenos negócios, que já enfrentam problemas inerentes ao seu porte, muitas vezes não conseguem pensar na inovação como uma necessidade e um diferencial competitivo, pois o empreendedor acredita que é um processo difícil e que exige muitos investimentos. É pensando nisso que o Sebrae disponibiliza soluções em auxílio à pequena empresa, a fim de diferenciá-la, criando oportunidade de crescimento e abertura no mercado que não anda nada fácil.

Dentre as soluções do Sebrae estão “Atendimento personalizado”, com agentes locais de Inovação; “Consultorias tecnológicas subsidiadas –– Programa Sebraetec”, que tem ajudado muitos pequenos empresários a ampliarem seus negócios de forma responsável; “Incubadoras de empresas”; “Histórias de inovação e tecnologia”; “Marcas e Patentes”; e “Normas Técnicas”.

Se você habita uma das cidades a seguir, entre no site (www.sebraego.com.br) e confira a programação completa, com data, horário e local, das ações da Semana da Inovação. Os municípios são Anápolis, Caldas Novas, Campos Belos, Goiânia, Inhumas, Ipameri, Itaberaí/Diorama (Dia de Campo), Iporá, Jaraguá, Jataí, Orizona, Piranhas, Pires do Rio, Posse, Rio Verde, Rubiataba, São Domingos, São Luís de Montes Belos e Trindade.

Anápolis

O gerente regional George Gustavo de Souza Toledo explica que a Semana de Ciência e Tecnologia é uma semana em que diversas inovações, seja por alguma forma nova de tecnologia ou por algum novo conhecimento em processo–– “tudo que é novo”, simplifica –– são apresentadas às empresas para que elas possam enfrentar um momento difícil economicamente e possam, de fato, crescer de uma forma mais rápida, mais barata e, assim, bem melhor. “Essa é a nossa semana da inovação.”

De 21 a 25 de outubro será realizado em Anápolis, município onde fica o escritório regional em que George Gustavo faz suas ações, o Congresso Internacional de Pesquisa, Ensino e Extensão (Cipeex), um evento promovido pelo Centro Universitário de Anápolis –– UniEvangélica. O evento, bem como a Semana da Inovação, integra a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia.

O gerente especifica as atividades propostas para semana. No dia 27 de outubro, às 19 horas, o vencedor da quinta edição do reality show “O Aprendiz”, o engenheiro Clodoaldo Araújo, que se tornou sócio do apresentador de TV Roberto Justus, é o convidado especial para palestra magna. No dia seguinte, será realizada a abertura da semana. Embaixadores asiáticos estarão presentes para dar início ao Desafio Business Academy. Na ocasião, o presidente da Porto Seco de Anápolis, uma das empresas privadas que mais aplicam em logística no Centro-Oeste e que mais atrai investimentos para a região, além de proferir sobre o assunto, irá propor um desafio aos universitários participantes do Desafio.

Eles têm de resolver um problema real com uma solução real. Segundo George Gustavo, a solução necessariamente terá que passar pela criação de um software ou por um aplicativo mobile. “Eles têm três dias para criar uma solução para o problema da grande empresa.

Também será um reality show para que deixe os universitários mais entusiasmados”, explica.
Do dia 28 ao dia 30, serão realizadas palestras da Google São Paulo, com a presença da Priscila Vieira. Graduada na Universidade de Harvard, ela falará sobre “Soluções da Google para o seu negócio”. Muito importante, interessante e atual, a palestra atrairá muitas pessoas, destaca o gerente.

Com tempo curto e temas variados, também será realizado o primeiro Summit com jovens em­preendedores. São 17 palestras. Dentre elas estão a palestra com Henrique Morgantini, da Rádio Interativa, que falará sobre “O Empreendedorismo na Comuni­ca­ção”; Fabrízio Ribeiro, da Secretaria Municipal de Ciência e Tecnologia, com o tema “O Empreende­dorismo na Ciência e Tecnologia”; Arthur Lorga, da Thrush Aircraft, com o tema “O Empreende­do­rismo em Multinacional”; e a blogueira Layla Monteiro sobre o assunto “O Empreendedorismo nas Redes Sociais”.

George Gustavo ressalta que em uma hora é possível aprender sobre quatro coisas diferentes. “Você escuta alguém da comunicação, outra pessoa sobre ciência e tecnologia, tem ainda mídias sociais, multinacionais, enfim; é uma dinâmica muito interessante”, afirma.

Por fim, o gerente ressalta um convidado ilustre de Portugal. O lisboeta Miguel José Gamboa participa da rodada de palestras para falar sobre sustentabilidade; sobre como a automação residencial e empresarial pode promover eficiência energética. Em Anápolis, a entrada também é gratuita para todos os eventos do Sebrae. Dentro do Cipeex, porém, as inscrições são a parte.

“Na crise é que se cria, é no momento de perturbação, de instabilidade que você tem que se mexer, inovar, afinal o momento não é bom para ninguém”
Fundadores da Vissato, Wilton Bastos e Jairo Almeida: “Estamos sempre em busca de inovação, pois temos que nos mexer, mas com responsabilidade, pois se você se mexe irresponsavelmente, você se complica”

Fundadores da Vissato, Wilton Bastos e Jairo Almeida: “Estamos sempre em busca de inovação, pois temos que nos mexer, mas com responsabilidade, pois se você se mexe irresponsavelmente, você se complica” | Divulgação/Sebrae

Com início em 2006, a Vissato Café e Complemento tem só ampliado seus horizontes. Wilton Bastos, sócio-fundador da empresa, conta que já trabalhava no segmento desde 2000 e que, após percorrer todo percurso desde auxiliar-técnico até a gerência-geral de uma empresa do mesmo segmento, passou a cumprir consultorias independentemente; com isso, ele e Jairo Almeida montaram algumas empresas no segmento de café expresso. Foi então que surgiu a Café Cream, hoje Vissato.

Eles mudaram o nome junto ao Sebrae-GO. “Em 2005, eu participei do Empretec, um curso do Sebrae, onde o consultor apresentou alguns pontos cruciais para obter sucesso, alguns caminhos e metas que tínhamos que percorrer e atingir. Dentro dos pontos que ele colocou, por felicidade minha, eu tinha os posicionamentos de início, que eram conhecimento do concorrente, do produto e de onde vinha a matéria-prima, por exemplo; ou seja, já tinha todo um conhecimento do mercado”, conta Wilton.

Quando criaram a Café Cream, tiveram uma boa aceitação. Sem nenhuma verba, sem nenhum apoio financeiro no início, foram crescendo pela credibilidade que, aos poucos, firmaram com os clientes. Em 2013, a empresa já tinha crescido consideravelmente e, assim, acresceram a linha de equipamentos industriais à empresa. Como o nome estava muito direcionado a café, procuraram Sebrae, que os apoiaram com o curso do Sebraetec e nós fizemos a mudança da marca Café Cream para a marca Vissato – Café e Complementos.

Hoje, Café Cream é um produto da empresa. Industrializado por eles próprios, já contam com café moído, expresso, cappuccino; e, desde 2013, têm uma linha de equipamentos industriais. “Pas­sa­mos a representar as maiores empresas de equipamentos, centro de manutenção, assistência técnica; em 2014, nós tivemos a iniciativa de lançar um módulo de showroom inovador em Goiânia, que não existia”, diz.

Wilton explica a novidade: “É uma cozinha-show, onde temos toda a linha de equipamentos industriais, desde o fogão até o forno combinado, com chefe de cozinha, nutricionista e engenheiro de alimentos, em que trazemos os empresários para uma apresentação da cozinha em funcionamento. Essa é nossa proposta para 2016”. Em 2014, deram início ao projeto, sendo que, em 2015, finalizaram o processo e têm trabalhado para que, em 2016, sejam alavancadas as vendas e que o projeto funcione definitivamente.

“O objetivo era 2015, mas infelizmente pelo cenário econômico, tivemos que dar uma freada, não ir com tanta sede ao pote, pois não sabíamos como seria a reação do mercado quanto ao impacto que tivemos economicamente, mas temos ido bem. Já fizemos alguns atendimentos nos nossos espaços, já temos equipamentos, mas lançamento será em janeiro de 2016”, explica.

Inovação

Idealizador da Go! Mídias, Luiz Gustavo: “Vejo a inovação como um processo constante dentro da empresa para que ela realmente não se acomode e tenha o foco no mercado, visualizando tendências e oportunidades”

Idealizador da Go! Mídias, Luiz Gustavo: “Vejo a inovação como um processo constante dentro da empresa para que ela realmente não se acomode e tenha o foco no mercado, visualizando tendências e oportunidades”

Quanto à Inovação, tema que dá nome a semana incrementada por atividades propostas pelo Sebrae-GO, o empresário Wilton elenca alguns pontos cruciais, cuja inovação diferencia o empreendedor, destacando-o no cenário econômico e comercial. Segundo ele, inovar é uma necessidade, principalmente em um momento de crise. “Tenho conversado com grandes empresários e aprendido muito com eles. ‘Na crise é que se cria’, me disseram. Então, é no momento de perturbação, de instabilidade e de muita preocupação que você tem que se mexer, tem que inovar, afinal o momento não é bom para ninguém. Só conseguirá sobreviver, portanto, aquele que estiver se mexendo, que estiver inovando.”

E é isso que tem feito, diz. No dia 22 de outubro, por exemplo, o empresário viajará a Itália para participar da maior feira do segmento gastronômico do mundo. “Estou indo em busca de inovação, pois sabemos que é lá onde surgem as principais novidades do cenário. Então, temos que buscar nos mexer, mas com responsabilidade, pois se você se mexe irresponsavelmente, você dá o passo maior do que a perna e, assim, se complica”, dá como dica.

Go! Mídias

Há quatro anos no mercado, a empresa Go! Mídias frutificou de uma pesquisa realizada por Luiz Gustavo Ferreira. Após identificar uma carência na região, o empresário pesquisou concorrentes, fornecedores e desenvolveu, junto ao Sebrae-GO, um plano de negócio. Ele participou de consultorias do Sebraetec, programa que auxilia com subsídio a algumas soluções para Micro e Pequenas Empresas (MPE).

A Go! Mídias é uma empresa que trabalha com mídias; são, em sua maioria, mídia-outdoors. Como exemplo, o empresário cita mídias como blimps, roof tops, tendas infláveis e wind banners.

Quanto à inovação, ele diz que, atualmente, uma empresa não pode aguardar mais o fluxo espontâneo de clientes; ela tem que ter estratégias para captar clientes, para gerar demandas; tem que estar sempre atualizada sobre tendências. “Eu vejo, portanto, a inovação como um processo constante dentro da empresa para que ela realmente não se acomode e tenha o foco no mercado, visualizando as tendências, oportunidades”, diz.

Nesse sentido, a Go! Mídias tem trabalhado a comunicação em mídias sociais, internet, um espaço cada vez mais infinito, e tem buscado parcerias com empresas que agreguem valor a sua marca. “Muitas vezes apoiamos eventos para obter mais know-how, para melhorar o nível do círculo de relacionamento profissional; estamos sempre tentando agregar clientes, pois o foco é atendê-los bem e que sejam cada vez mais, isso através de comunicação, relacionamento, inovação”, conclui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.