Capacitação empresarial potencializa a sustentabilidade de pequenos negócios

Seccional goiana do Sebrae disponibiliza nos próximos meses,em diversas regiões goianas, cursos voltados para a gestão

Diretor superintendente do Sebrae-GO, Igor Montenegro: “Para aprimorar a gestão na empresa, o Sebrae oferece uma agenda de cursos que se relacionam, diretamente, com a pequena empresa no campo ou na cidade” | Foto: Silvio Simões

Diretor superintendente do Sebrae-GO, Igor Montenegro: “Para aprimorar a gestão na empresa, o Sebrae oferece uma agenda de cursos que se relacionam, diretamente, com a pequena empresa no campo ou na cidade” | Foto: Silvio Simões

Yago Rodrigues Alvim

Do antigo egípicio Ha­­thor (ou simplesmente Hator) é uma das mais importantes divindades do Egito. Deusa do amor e da alegria, ela também personifica o princípio da beleza. Foi assim que Cristiane Bandeira deu nome a seu empreendimento, a Hathor Centro Estético. Com pouco mais de um mês de funcionamento, o momento, segundo ela, é de análise, de cuidados.

Tudo começou na faculdade, quando a atual empresária se graduou no curso de Administração. Como grande parte dos formandos do curso, ela quis abrir um negócio próprio. Como parte da graduação, ela fez estágio junto à seccional goiana do Serviço Nacional de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae-GO). Na época de estágio, ela diz que bem se aproveitou dos diversos cursos disponibilizados pelo Serviço: “Tudo que estava ao meu alcance, de palestras a oficinas e capacitações, eu participei”.

O Sebrae atende empresas do campo e da cidade, na missão de disponibilizar soluções para promover o empreendedorismo, o de­sen­volvimento e a sustentabilidade de pequenos negócios nacionalmente. A seccional goiana segue o mesmo princípio e, por isso, lança, diversas ações voltadas para a gestão do negócio.

Dentre elas, destaca-se a capacitação empresarial, que é uma atividade de orientação, instrucional e informativa, voltada para as pessoas envolvidas na gestão de um pequeno negócio, fazendo com que elas possam desertar ainda mais para o empreendedorismo e para o desenvolvimento das suas capacidades empreendedoras. São cursos em sala de aula e à distância (EAD) — estes, realizados por meio da internet, vale destacar, são totalmente gratuitos.

O diretor superintendente do Sebrae-GO, Igor Montenegro, destaca as capacitações que auxiliam o empreendedor a aplicar, na prática, os conhecimentos apreendidos; conhecimentos esses que transformam o negócio próprio.

“Os empresários e empreendedores goianos, estejam no campo ou na cidade, podem contar com todos os serviços do Sebrae, seja de forma presencial ou virtual. Para aprimorar a gestão na empresa, o Sebrae oferece, no quadrimestre de maio a agosto de 2016, uma agenda de cursos, palestras, treinamentos e oficinas muito ampla com temáticas que se relacionam, diretamente, com a pequena empresa. Nossa equipe de consultores e instrutores estão em sala de aula e na linha de frente do atendimento com o cliente. Os cursos, preferencialmente, são realizados em sala de aula. Mas o Serviço também dispõe de uma agenda de ensino à distância, por meio da internet, possibilitando ao internauta participar dos cursos nos horários mais adequados à sua rotina.

A agenda quadrimestral é composta de quatro conjuntos de ações. A primeira é dos cursos “Aprenda a encantar seus clientes”, “Melhore a administração do seu negócio”, “Au­men­te as ven­das da sua empresa”, “Me­lhore a gestão financeira”, “Au­men­te o desempenho da sua e­quipe”, “Comece bem o seu negócio”; a segunda é de mais de 30 cursos à distância, os EADs gratuitos e, dentre eles, listam “Saiba como iniciar um pequeno negócio”, “Aprenda a empreender de forma correta”, “Seja um Mi­cro­empreendedor Indi­vidual”, “Realize um planejamento financeiro”, “Controle o di­nheiro da sua empresa”, “Co­nheça técnicas de atendimento ao cliente”.

Já o terceiro conjunto é constituído de palestras, atendimentos e diagnósticos empresariais, também gratuitos (esses presenciais). São eles: “Saiba como abrir sua empresa”, “Co­nheça as oportunidades de ne­gócios”, “Aprenda a controlar o fluxo de caixa”, “Faça gestão financeira eficiente”, “Compre bem e aumente o lucro” e “Veja quais são as linhas de crédito”. Por fim, um conjunto de consultorias; listam: “Elabore um plano de negócio”, “Invista com segurança em franquias”, “Organize a gestão financeira da sua empresa”, “Melhore produtos com inovação e tecnologia”, “Prepare sua empresa para o comércio eletrônico” e “Conheça estratégias para aumentar as vendas”.

A estrutura do Sebrae em Goiás dispõe de 12 escritórios regionais e 32 agências de atendimento. Dentre os principais produtos do Serviço, estão os cursos “Empretec”, que usa da metodologia da ONU voltada para o desenvolvimento de ca­racterísticas de comportamento empreendedor; o “Se­braetec”, que promove o acesso a soluções em sete áreas de conhecimento da inovação (são elas De­sign, Produtividade, Propriedade intelectual, Qua­lidade, Inovação, Sustenta­bi­li­dade, Serviços Di­gitais); o “Começar Bem”, que oferece um conjunto de soluções como palestra, oficina, curso, cartilha, guia visual, aplicativo e vídeo para quem está começando o próprio negócio.

O ALI, abreviação de “A­gentes Locais de Inovação”, que promove a prática continuada de ações de inovação nas empresas de pequeno porte, por meio de orientação proativa, gratuita e personalizada; “Negócio a Ne­gócio”, um programa gratuito de atendimento e orientação empresarial que oferece diagnósticos e recomendações para microempreendedores individuais e donos de microempresas; o “Na Me­di­da”, uma iniciativa que prepara o empreendedor para agarrar oportunidades e lidar com situações difíceis; o “Sebrae Mais”, que oferece diversas soluções para empresas quem busca crescimento e evolução do seu empreendimento; e, por fim, “No Campo”, que é composto por palestras, cursos, consultorias e outras soluções que ajudam o produtor rural a aumentar sua renda.

No site EAD Sebrae (www.ead.sebrae.com.br), são dispostas soluções e temas para quem quer empreender. Como dá para perceber nos nomes das ações acima citadas, são diversas as áreas de atuação; podem ser na área de gestão, inovação, financeiro, marketing e muitas outras. Pelo ensino à distância, ainda é possível brincar (aprendendo), assistir vídeos e ler dicas. “Aprender a Empreender”, por exemplo, é indicado a quem quer abrir um negócio ou mesmo já possui um e quer aprimorar seu perfil empreendedor e conhecer sobre mercado e finanças.

A oficina por celular “SEI Planejar” apresenta informações e ferramentas sobre planejamento empresarial empreendedor; tem como intuito conscientizar que o planejamento de ações contribui e muito a um negócio sustentável. No joguinho “Kart das 11 Habi­lidades”, é possível desvendar 11 habilidades de um bom vendedor. Esses são alguns exemplos de capacitações que, como bem diz Cristiane, é importantíssimo aproveitar.

A empreendedora ressalta que os estagiários, muitas vezes, não se dão contam da oportunidade que têm diante de si. Como eles, em­presários ou potenciais empreendedores podem desfrutar de todo um conhecimento de mercado para pôr em prática a vontade de ter um negócio com ressalvas/cuidado. “Quem sabe aproveitar e o faz, na hora certa colhe tudo o que plantou em relação a esta dedicação”, afirma.

Cristiane diz que, para si, o Sebrae foi e ainda é sua escola. “Sem os cursos e tudo o que eu aprendi lá, não teria tido a coragem de abrir uma empresa”, conta.

O Sebrae propiciou uma base, uma noção de gestão, marketing e financeiro, da qual ela dispõe hoje no centro estético. “Aproveitei todos os cursos que tinham; fiz o que se chamava ‘Programa Próprio’, hoje conhecido como ‘Começar Bem’, que é um curso voltado especificamente para o empreendedorismo; fiz também o ‘Empretec’ e participei de palestras e outros cursos, como o ‘Juntos Somos Fortes’ e o ‘Aprender a Empreender’”, relata.

Quando estagiária, Cristiane não foi uma aprendiz comum; ela aproveitou ao máximo o que pôde, durante os dois anos que por lá passou. Com auxílio de uma supervisora, realizou a oficina “Sebrae de Empre­ende­dorismo” e proferiu palestras para jovens da Fundação Pró-Cerrado, que vão de encontro ao primeiro emprego. “Tive sorte de ter uma supervisora que me deu autonomia para fazer algo e que confiava em meu trabalho”, diz a empreendedora, ressaltando que foram tais coisas que lhe despertaram a vontade e que lhe deram uma maior noção e perspectiva para abrir uma empresa.

“Quando fazemos este tipo de curso, chegamos ao ponto em que conseguimos ver certa viabilidade de um negócio próprio e, quando eu avistei, fiz da minha irmã a minha parceira. Ela é a biomédica que faz os procedimentos. Hoje, além de irmãs, somos sócias”, diz.

Diante da situação atual do país, ela comenta que o mês de vida de seu empreendimento tem sido de cuidados; uma fase para entender como está o mercado e, assim, traçar novas estratégias para atingir um maior público. Tem se enveredado na mídia digital, onde o mercado atual acontece. Tem páginas no Facebook, Instagram e, dentre outras perspectivas, faz uso de datas especiais, como o dia das mães. Ela, inclusive, está com uma promoção no mês para atrair mais clientes. Ou seja, uma expertise posta em prática.

A Hathor disponibiliza inúmeros procedimentos estéticos. Tudo desenvolvido com base em análise da região para termos os procedimentos que disponibilizamos, os valores de pacotes e etc. Até mesmo a logomarca foi desenvolvida com base em um estudo para atrair mulheres e homens. Por fim, com todos os cuidados e vontade de melhoria e ressalvas, Cristiane diz que procura sempre fazer uma reciclagem junto ao Sebrae. “Sempre, sempre.”­

artigo_jose maria e silva.qxd

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.