Advogados consagrados apoiam Flávio Buonaduce para presidente da OAB

O Jornal Opção ouviu 13 profissionais renomados e consolidados na advocacia de Goiás para saber quem eles escolhem como presidente da Ordem. A voz da experiência foi unânime: Flávio Buonaduce é o mais preparado para conduzir uma das instituições mais respeitadas pela sociedade

Advogados experientes enxergam preparo e conhecimento da estrutura da Ordem como qualidades de Flávio Buonaduce

Advogados experientes enxergam preparo e conhecimento da estrutura da Ordem como qualidades de Flávio Buonaduce

Frederico Vitor

A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Seção Goiás, órgão máximo que define as regras para o exercício profissional dos advogados, terá eleições em novembro. Até lá, o movimento no mundo da advocacia goiana será de muita articulação e retórica por parte dos protagonistas deste processo sucessório. Ocupar a liderança da entidade máxima que define as regras para o exercício da profissão advocatícia no Estado é a aspiração de muitos advogados. Mas para ocupar tal cargo é preciso ter algumas características que inspirem credibilidade junto à classe que escolherá por meio do pleito quem presidirá uma das instituições mais respeitadas pela sociedade.

Por ser uma missão cívica, o comando da OAB-GO constantemente exerce o papel de interlocutor da sociedade civil junto aos Poderes Executivo, Legislativo e Judiciário. Pelo grau da importância que representa a escolha do novo presidente da Ordem, o Jornal Opção procurou 13 advogados, todos renomados e consolidados na advocacia goiana (com atuação fora de Goiás também), com longos anos de experiência em diversas áreas do Direito, para saber deles qual seria o candidato mais preparado para ocupar a presidência da instituição. O resultado foi unânime: Flávio Buonaduce Borges, da OAB Forte, é o que reúne todos os predicados necessários que o cargo exige.

Flávio Buonaduce, goianiense de 50 anos de idade, 25 deles dedicados à advocacia, é advogado especializado na área do Direito empresarial. Além disso, ele também é professor da Universidade Federal de Goiás (UFG), foi diretor-geral da Ordem, integrante da Comissão de Constituição e Justiça da entidade e deixou recentemente a direção da Escola Superior de Advocacia (ESA). Todos os 13 advogados ouvidos se disseram apoiadores de Flávio Buonaduce por diversas questões, sendo as principais delas a experiência e o profundo conhecimento das demandas da Ordem. Além disso, boa parte apontou uma característica importante: a diplomacia e a sensibilidade de ouvir os anseios da classe.

Adalberto Grecco

FFoto: Fernando Leite/Jornal Opção

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Presidente da Comissão de Direito Desportivo da OAB-GO, com 33 anos de atuação na ad­vocacia, em especial no Direito Despor­tivo, experiência e perspicácia para saber o melhor para Ordem não faltam a Adalberto Grecco. Para ele, o candidato Flávio Buona­duce é o mais capaz de administrar, levando em consideração o engajamento na defesa das prerrogativas dos advogados. “Além de advogar ele é professor universitário, consegue aliar juventude e experiência, notável saber jurídico com serenidade. O vejo com total condição de comandar a nossa instituição”, afirma.

De acordo com Adalberto Greco, o candidato Flávio Buo­naduce é sensível à questão da inserção de jovens advogados no mercado, uma demanda cada vez mais crescente. Ele lembra a própria experiência quando chegou a Goiânia em 1989, já formado, mas sem exercer a profissão. Por conta disso ele foi dono de bar, gerente de choperia e de casa noturna, além de ter administrado clubes, transportadoras e grandes empresas. “Em razão da competitividade do mercado, cheguei a acreditar que não iria sobreviver com a profissão”, diz.

Adalberto Greco ressalta uma das propostas de Flávio Buo­naduce que é a “anuidade solidária”. O projeto visa a inserção da taxa de anuidade aos advogado em início de carreira, principalmente os profissionais egressos de faculdades por meio de programas sociais.

“Flávio Buonaduce é alguém capaz, um advogado de renome, bom professor com notável saber jurídico que sabe ouvir e atender bem as pessoas. Ele tem disposição para trabalhar pela advocacia em geral”, afirma Greco, destacando especialmente outra proposta do candidato: a criação do “OAB Office”, um grande espaço que comportará advogados que ainda não possuem escritório ou que precisem de uma estrutura de apoio. A ideia é que as salas sejam instaladas na antiga sede da Ordem, na Avenida Goiás, no centro da capital.

Antônio Pereira

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Com 19 anos de advocacia (na área Trabalhista), o advogado An­tô­nio Pereira de San­tana não tem dúvidas: “Flávio Buo­na­duce é o candidato mais preparado para pre­sidir a Ordem”. Ele é conselheiro da Ordem e da Associação Goiana dos Advo­gados Trabalhistas (Agatra), ex-in­tegrante das comissões de Estudo do Direito do Trabalho e do Con­selho Deliberativo do Ins­tituto Goiano de Direito do Tra­balho (IGT). Lembra que o candidato da OAB Forte consegue aglutinar competência, habilidade e, acima de tudo, compromisso com a história da OAB-GO.

Antônio Pereira afirma que a experiência de Flávio Buonaduce como secretário-geral da Ordem e diretor-geral da ESA, além da militância como advogado participativo nas atividades da instituição, o credencia presidir uma das mais respeitadas entidades civil do País e do Estado. “Ele faz parte do projeto que revolucionou a história da Ordem em Goiás”, afirma.

Além disso, Antônio Pereira ressalta que, quando diretor da ESA, Flávio introduziu vários cursos que rendeu melhorias importantes para a categoria, isto é, ele é o candidato que mais está a par das verdadeiras carências e anseios da classe no Estado. “Conclamo os advogados a votarem na OAB Forte porque tem Flávio Buonaduce, um advogado sereno, extremamente educado, que saberá administrar a Ordem”, diz.

Celso Benjamin

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

O advogado securitário Celso Ben­ja­min, com 39 anos de advocacia, afirma que Flávio Buo­na­duce tem uma história im­portante dentro da OAB-GO que o cre­dencia a exercer a presidência da entidade.

Celso, que é conselheiro da OAB, ex-juiz do Tribunal de Ética e Disciplina da Or­dem, presidente da Comissão de Di­reitos e Prerrogativas, do Conselho Deliberativo da OAB-PREV GO/TO e integrante da Comissão Nacional de Socie­dades de Advogados da OAB Federal, afirma que Flávio Buonaduce é o candidato que tem o melhor preparo para o cargo em postulação.

Segundo Celso Benjamin, que já integrou a Comissão de Estudos Consti­tu­cionais, Legis­lação, Doutrina e Juris­prudência da entidade e a Comissão de Seleção do Primeiro Concurso Público da Defensoria Pública do Estado de Goiás, Flávio reúne os pré-requisitos mais importante para presidir a OAB, que é o conhecimento profundo da Ordem.

Celso Benjamin ressalta que os vários anos em funções relevantes dentro da instituição, como a de conselheiro, diretor-geral da ESA e secretário-geral da instituição, condiciona Flávio Buonaduce como o melhor candidato, isto é, o mais preparado para assumir a responsabilidade de presidir a Ordem. “Como advogado e professor, com vasta experiência adquirida dentro da instituição ao longo dos anos, o tenho como o mais aprontado para o cargo, portanto tem o meu voto”, diz.

Diane Mauriz Jayme

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

A advogada Diane Mauriz Jayme, com 28 anos de advocacia, tem Flávio Boanaduce como a melhor opção para presidência da Ordem. Segundo ela, o fato dele aliar as experiências de advogado com a de professor universitário, o torna versado ao cargo mais importante dentro da Ordem.

Ela, que atua na área Trabalhista, afirma que está levando em consideração o fato de Flávio Buonaduce conhecer como poucos a história da Ordem. Além disso, o candidato da OAB Forte tem propostas específicas para as mulheres advogadas, todas pautadas pelo Plano Nacional de Valorização da Mulher Advogada. As demais propostas foram elaboradas a partir de reuniões com um grupo de advogadas que, durante os encontros, surgiram demandas como a de isenção do pagamento da anuidade da OAB-GO no ano em que a advogada se tornar mãe, inclusive por adoção.

Segundo Diane Mauriz, Flávio Buonaduce esteve presente nos momentos de enfrentamento, mas se posicionando exemplarmente, ou seja, ficando fora do que classificou como choque de vaidades e imperícia no trato com a categoria. “Ele exerce tanto a advocacia como o magistério, que é uma forma de aglutinar o Direito na vida do cidadão. Flávio é a pessoa certa para nos representar neste próximo mandato.”

Márcio Pacheco

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Para o advogado Márcio Pacheco, com 17 anos de advocacia nas áreas Civil, Trabalhista e Previdenciária, o candidato que mais conhece a estrutura da Ordem, com plenas condições de gerir a entidade, é Flávio Buonaduce. Ele, que é mineiro de Uberlândia radicado em Goiânia há vários, ex-presidente da Comissão de Orçamento e Contas da OAB-GO de 2007 a 2009, afirma que Flávio representará a continuidade do trabalho bem sucedido iniciado por Felicíssimo Sena e Miguel Cançado.

Ele não poupa críticas aos adversários do candidato da OAB Forte, e ressalta que as qualificações e experiência de Flávio Buonaduce junto à Ordem o tornam mais preparado. “O candidato da oposição é mais professor do que advogado, não conhece a estrutura da OAB. No atual presidente não voto porque rompeu um compromisso com o grupo que estava a frente da gestão da Ordem”, diz.

Tatiana Aires

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Para a advogada Tatiana Aires, Flávio Buonaduce é o candidato à presidência da OAB que mais se mostra sensível à questão das mulheres advogadas. Além disto, ela afirma que Flávio é um parceiro da advocacia previdenciária, área em que ela atua há 10 anos. Presidente da Comissão de Direito Previdenciário e Securitário da OAB e vice-presidente do Instituto Goiano de Direito Previdenciário, Tatiana Aires está convencida que o candidato da OAB Forte reúne todas as qualidades necessárias de um presidente da Ordem comprometido com os anseios da classe.

Tatiana Aires diz que Flávio Buo­naduce sempre demonstrou total preparo para gerir a Ordem e o considera capacitado e experiente para a responsabilidade de comandar uma das Seções da OAB mais respeitadas do País. “Considero-o o mais preparado, uma das razões pelo qual o apoio. Ele é sensato, sabe ouvir e estará sempre sensível as demandas das advogadas que serão apresentadas a ele quando estiver na presidência da Ordem”, afirma.

Ovídio Martins Araújo

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Para o advogado Ovídio Martins Araújo, com 35 anos de advocacia nas áreas Civil, Agrária e Empresarial, Flávio Buonaduce tem uma carreira advocatícia consolidada que não pode ser confundida com a militância classista. Para ele que, já atuou como procurador-geral da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e da Fundação Nacional do Índio (Funai), além de ter sido secretário-executivo do Conselho de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana e procurador autárquico da Previdência Social, o candidato da OAB Forte é o que mais tem condições de promover o fortalecimento da classe.

Ovídio Martins, que chegou integrar a listra tríplice do quinto constitucional da advocacia para integrar o Superior Tribunal de Justiça (STJ), em 2010, afirma que Flávio Buonaduce é um advogado atuante que tem histórico de defesa da entidade e dos direitos e prorrogativas dos advogados, características que o credencia a exercer a presidência da entidade máxima da advocacia em Goiás. “Ele tem uma história na entidade, participa há um bom tempo nos conselhos e nas diretorias, portanto tem experiência no colegiado.”

Walquires Tibúrcio

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Com 50 anos dedicados à advocacia, experiência é o que não falta para Walquires Tibúrcio. Atuante na área do Direito Civil, ele é pai do ex-presidente da OAB-GO e secretário de Governo, Henrique Tibúrcio, e do advogado especializado em Direitos Humanos, Fernando Tibúrcio. Walquires não tem dúvidas: Flávio Buonaduce é o nome mais indicado para presidir a Ordem no próximo mandato.

Walquires Tibúrcio, que foi inte­gran­te do Ministério Público de Goiás (MP-GO) entre 1966 e 1973, ano em que passou a se dedicar integral e exclusivamente à advocacia, e conselheiro da OAB de 1998 a 2000, afirma que pela experiência acumulada por Flávio Buonaduce como diretor da ESA, já o diferencia positivamente dos demais candidatos. Segundo ele, o candidato da OAB Forte tem um grande poder de agregação, ou seja, é um diplomata. Para Walquires esta é uma qualidade importante para quem aspira presidir a Ordem.

“Flávio Buonaduce vem de uma tradição jurídica, de um tronco familiar formado apenas por juristas. A OAB precisa muito de um líder com poder de agregação e relacionamento”, ressalta.

Felicíssimo Sena

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Poucos conhecem tão bem a OAB, como o advogado Felicíssimo Sena. Presidente da Seção Goiás da Ordem por cinco mandatos (1987-1990/ 1991-1993/ 1996-1997/ 1998-2000/ 2001-2003), ele tem um dos escritórios mais respeitados e renomados do Centro-Oeste do País, com atuação nas áreas Cível, Comercial, Tributária, Família e Eleitoral. Um dos fundadores da OAB Forte, ele avaliza a candidatura de Flávio Buonaduce, e enaltece as qualidades de seu candidato que, segundo ele, são indispensáveis para exercer a presidência da instituição:
“Flávio Buonaduce conhece a instituição, algo indispensável para exercer a presidência. Além do mais é uma pessoa que sabe ouvir, equilibrado, ponderado. A Ordem, neste momento de grande dificuldade, precisa de sensatez e não pode ser ocupada por aventureiros”, diz.

“Embora jovem, ele tem experiência, é um professor concursado da UFG, já foi secretário-geral da Ordem, presidiu a ESA, portanto apto para a gestão em que busca ter”, afirma.

Haroldo José Machado Filho

Arquivo pessoal

Arquivo pessoal

Para o advogado Haroldo José Ma­chado Filho, com 22 anos na advocacia na cidade de Goiás (no sétimo mandato de presidente da Subseção da OAB), Flávio Buonaduce, que já exerceu vários cargos na direção na OAB, dos candidatos a presidência da entidade, é o que mais tem conhecimento aprofundado das necessidades dos advogados, tanto no interior quanto da capital. Segundo ele, que é um “clínico geral”, ou seja, atua em vários ramos da advocacia, principalmente na área Civil, Trabalhista e Agrária, o candidato da OAB Forte é um advogado competente, que se dedica de fato à profissão, além de militar na defesa da classe e da representação da Ordem junto à sociedade.

Vilaboense legítimo, herdeiro do decano Haroldo José Rosa Machado, Ha­rol­dinho, como também é conhecido em Goiás, participou ativamente do Mo­vimento Pró-Cidade de Goiás que elevou a antiga capital do Estado a Patrimônio Histórico da Humanidade. Segundo ele, a Ordem precisa virar um ambiente de liberdade, de respeito ao advogado e, sobretudo, do zelo aos recursos e ao patrimônio. “É assim que entendo que deve ser, e acredito que Flávio Buonaduce tem plenas condições de administrar em nível de excelência a Seção Goiás da OAB”, diz.

Mais: “Flávio Buonaduce stá preparado, até porque os cargos que ele exerceu na Ordem foram desenvolvidos com a competência impar. Uma pessoa séria e tranquila, a situação de ser jovem até o ajuda, pois ele tem de boa disposição e nobreza de espírito. Isso é tudo que a Ordem necessita neste momento, ou seja, uma pessoa séria, competente e diplomática, que sabe representar com honradez o que a OAB representa na sociedade.”

Djalma Rezende

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

“Para presidir a Ordem é preciso ter nome na advocacia.” Este é pensamento do advogado especializado em Direito Agrário Djalma Rezende, que apoia e vota em Flávio Buonaduce. O advogado agrarista, natural de Mineiros, tem 60 anos de idade, 25 deles devotados à advocacia, ressalta que o candidato da OAB Forte é da terceira geração de uma família de juristas, um advogado tarimbado, professor universitário e conhecedor profundo da Ordem. “Flávio Buonaduce conhece como poucos os meandros da OAB, o tenho como um excelente caráter, um advogado que honra nossa classe”, diz.

Djalma Rezende considera que Flávio Buonaduce terá condições de trabalhar no fortalecimento da Ordem, em especial para respaldar novos advogados, aos quais considera carentes de líderes de forte simbolismo. Ele lembra que cerca de 60% do eleitorado tem menos de cinco anos de inscrição na entidade, portanto, precisam de um presidente de expressão junto à sociedade com folha de serviços em favor da Ordem. “A Ordem precisa de um presidente que saiba o que é ‘ralar’ no balcão de uma escrivaninha, ter ciência das dificuldades que os advogados passam no dia a dia”, afirma.

Ele lembra que Buonaduce é advogado há 25 anos, está no auge da advocacia, ou seja, do conhecimento técnico jurídico. “Ele é um cidadão agregador, tendo como experiência bem-sucedida a presidência da ESA, além de ser um advogado e professor preocupado com a ética, inclusive saiu do cargo em que ocupava na Ordem para concorrer às eleições, diferentemente do presidente que está aí usando a máquina para ganhar. Sem dúvidas é o mais preparado e experiente para lutar pela classe na OAB”, assegura.

Ricardo Carlos Ribeiro

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Foto: Fernando Leite/Jornal Opção

Autor de livros sobre Direito Eleitoral, Direto do Menor, Direito Constitucional e professor na Pontifícia Universidade Católica de Goiás (PUC-GO), o advogado Ricardo Carlos Ribeiro, com 17 anos de advocacia, afirma que Flávio Buonaduce está preparado para dar continuidade ao projeto de sucesso iniciado pela OAB Forte. Segundo ele, o candidato da OAB Forte é um profissional solícito quando procurado pelos demais advogados e sempre aberto para ajudar quando solicitado. “A Ordem em Goiás é uma das mais respeitadas e fortes do Brasil, e ele é o nome mais acertado para presidi-la”, diz.

Segundo Ricardo Ribeiro, o candidato da OAB Forte não teria nenhum obstáculo a frente da presidência da Ordem, ou seja, já está inteirado das necessidades e das potencialidades da instituição. Para ele, Flávio Buonaduce é um advogado atuante que tem histórico de defesa dos direitos e prorrogativas dos advogados, algo que ele enxerga como importante na hora de avaliar a escolha dos que querem presidir a instituição mais importante da advocacia. “Sem dúvidas é o que mais tem experiência no colegiado, com uma carreira consolidada que não pode ser confundida com a militância classista.”

Luciano Hanna

Foto: Léo Iran

Foto: Léo Iran

Para o advogado Luciano Mtanios Hanna, o candidato Flávio Buonaduce é o mais experiente e comprometido com a entidade. Ele que está na advocacia há 20 anos, especialista em Direito empresarial — foi juiz substituto do Tribunal Regional Eleitoral (TRT) de Goiás, de 2012 a 2014 —, acredita que Flávio reúne todas as características essenciais para exercer com excelência o cargo de presidente da Ordem.

“Flávio Buonaduce é um advogado militante. Tem experiência em administração e conhece muito bem a Ordem, onde foi conselheiro, secretário-geral com muita experiência na instituição. Ele não é um aventureiro que está chegando aí querendo ser presidente”, arremata.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.